sexta-feira, 11 de agosto de 2017

FUTEBOL, JUDÔ, BAVI, BOTAFOGO /RJ/ COPA LIBERTADORES


Duelo entre Botafogo e Nacional termina em confusão com quatro expulsos; assista
Foto: Reprodução
Além do jogo, o Nacional, do Uruguai, perdeu a cabeça na derrota por 2 a 0 para o Botafogo e causou uma grande confusão dentro de campo. Num espaço de cinco minutos, quatro jogadores foram expulsos. As duas equipes se enfrentaram na última quinta-feira (10), no Estádio Nílton Santos, pelo jogo de volta das oitavas de final da Libertadores.

Tudo começou aos 43 minutos. Já com o placar final construído e a classificação assegurada, pois o Fogão havia vencido a primeira partida por 1 a 0, a torcida carioca entoou o tradicional "olé". E então, os jogadores do time uruguaio partiram para a agressão. O zagueiro Poleta desferiu uma cotovelada no lateral-esquerdo Victor Luis, gerando a confusão. Além do zagueiro uruguaio e o lateral brasileiro, o meia Rodríguez, do Nacional, também foi expulsos. Depois, aos 48, um pouco antes do apito final, o atacante Aguirre, do clube estrangeiro, chutou Guilherme, atacante do Fogão. O juiz então mostrou o cartão vermelho para o visitante. O jogador brasileiro está fora do confronto do clube carioca contra o Grêmio pelas quartas de final do torneio.

Do gramado, a confusão se estendeu para as arquibancadas. Os torcedores do clube urugaio quebraram 220 cadeiras e atiraram no campo. Eles foram contidos pelos seguranças e 11 pessoas foram detidas, sendo três brasileiros e oito urugaios. Além disso, sete pessoas ficaram feridas, mas não correm risco. Um torcedor foi encaminhado ao hospital Salgado Filho, mas o quadro dele não é grave.

Segundo a assessoria do Botafogo, o prejuízo foi de R$ 55 mil. Para evitar que o caso seja levado para a Conmebol, o que poderia gerar punições aos uruguaios, o presidente do Nacional acertou o pagamento com o Botafogo. Em contrapartida, o cartola pediu que os torcedores detidos fossem liberados.

Assista a confusão:
‘Não temos orçamento para isso', diz Jair Ventura sobre Botafogo não ser favorito
Foto: Vitor Silva / SSPress / Botafogo
O técnico do Botafogo, Jair Ventura, exaltou a classificação da equipe para as quartas de final da Libertadores. O Fogão voltou a vencer o Nacional, do Uruguai, por 2 a 0, na última quinta-feira (10), no Estádio Nílton Santos, pelo segundo jogo do confronto das oitavas de final. O treinador destacou que o orçamento do clube não o coloca entre os favoritos, mas a superação do grupo dribla este obstáculo. O próximo adversário será o Grêmio.

"Não temos que ficar chateados quando não nos colocam como favoritos. Não temos orçamento para isso. Mas conseguimos equiparar os orçamentos com trabalho. Estamos junto com o Grêmio dentro das mais importantes competições. Isso é prazeroso. Queremos sempre fazer o nosso melhor para nós, para nossa torcida e para nossa família", afirmou.

Além de se manter vivo na Libertadores, o alvinegro carioca também se classificou para a semifinal da Copa do Brasil, assim como clube gaúcho. Neste domingo (13), as duas equipes se enfrentam às 19h, no mesmo Nílton Santos, mas desta vez pelo Campeonato Brasileiro. Jair Ventura e companhia ocupam a 11ª colocação com 25 pontos. Enquanto que os gremistas são os vice-líderes com 39, oito a menos do que o primeiro colocado Corinthians.
Kanu quer apoio incondicional da torcida contra o Avaí: 'Vai fazer a diferença'
Foto: Maurícia da Matta/ Divulgação / Vitória
O zagueiro Kanu, do Vitória, quer apoio incondicional da torcida contra o Avaí, sábado (12), às 19h, no Barradão, em duelo válido pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro.
 
“Nós esperamos um Barradão lotado no jogo de sábado. Tenho certeza que o nosso torcedor estará presente em grande número para nos ajudar nesta partida decisiva. Isso vai fazer a diferença”, disse o jogador, em entrevista ao Bahia Notícias.
 
Para a partida, a diretoria do Leão decidiu fazer uma promoção.  Quem for sócio do plano Ouro ou Prata do Sou Mais Vitória terá direito a levar um acompanhante sem pagar nada.
 
No caso do plano Bronze ou Leão, que oferecem descontos no valor do ingresso, o sócio recebe seu ticket no ato da compra na bilheteria ou ponto de venda, apresenta na catraca e tem a liberação do acompanhante junto com ele.
 
O bilhete de arquibancada custa R$ 40 (inteira), enquanto o setor de cadeiras é oferecido por R$ 60 (inteira).

Os tickets podem ser adquiridos no site do Futebol Card, nas bilheterias no Barradão e em diversos pontos de vendas espalhados por Salvador.
 
Com 19 pontos, o time Rubro-negro ocupa a 18ª posição no Campeonato Brasileiro.
Sexta, 11 de Agosto de 2017 - 07:45

Zé Rafael reforça campanha por efetivação de Preto: 'Mostrou capacidade'

por Ulisses Gama
Zé Rafael reforça campanha por efetivação de Preto: 'Mostrou capacidade'
Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia
O técnico interino Preto Casagrande conta com um fator positivo para ser efetivado no cargo: o elenco. Um dos que reforçam a campanha do grupo pelo profissional é o meia Zé Rafael. Durante entrevista coletiva na última quinta-feira (10), o atleta afirmou que o comandante tem capacidade de gerir a equipe na sequência do Campeonato Brasileiro.
 
"Tem [capacidade], por que não? Acredito que sim, mostrou isso. Nos jogos que teve oportunidade mostrou capacidade. Espero que a gente possa ajudar a ele. Se a gente conseguir ter o s resultados ele vai ter mais oportunidades", declarou.
 
Questionado sobre a dúvida no comando técnico, Zé indicou que o grupo está tranquilo e reforçou o discurso de confiança em Preto Casagrande.
 
"A gente está bem tranquilo. Preto é um cara bacana que tem o grupo na mão, trabalho há um bom tempo como auxiliar. Ele tem nossa confiança e a gente a dele. Ambos têm conhecimento de cada um. Ele sabe o que cada atleta pode render. Ele está feliz com a oportunidade, a gente também. Não cabe a nós. A diretoria que resolve essa parte aí", indicou.
 
Sem uma definição, o Bahia volta a jogar pela competição nacional no próximo domingo (13), contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada, pela 20ª rodada.
Campeonato Baiano de Judô acontece neste final de semana
Foto: Divulgação
Depois do Jiu-Jitsu, é a vez do Judô subir no tatame neste final de semana no Shopping Paralela. O Campeonato Baiano da modalidade será realizado nesta sexta-feira (11), sábado (12) e domingo (13), na na praça de eventos do centro de compras. A competição é promovida pela Federação Baiana de Judô.

Marcado para começar às 19h, neste sexta será o dia da categoria sênior. O sábado, marcado para às 10h, está reservado às categorias sub-11, sub-18 e veteranos que disputam o Circuito Baiano. Já no domingo, a programação começa às 13h30, com a a garotada no Festival da Criança. Para quem quiser acompanhar os combates, o ingresso é gratuito.
Quinta, 10 de Agosto de 2017 - 22:00

Moisés defende Egídio e Deyverson por pênaltis na Libertadores: 'Foram homens'

por Ciro Campos | Estadão Conteúdo
Moisés defende Egídio e Deyverson por pênaltis na Libertadores: 'Foram homens'
Foto: Cesar Greco / Ag. Palmeiras / Divulgação
O meia Moisés, do Palmeiras, defendeu nesta quinta-feira (10) os companheiros de time Egídio e Deyverson pelas decisões tomadas pouco antes do começo da decisão por pênaltis pelas oitavas de final da Copa Libertadores contra o Barcelona, do Equador, no estádio Allianz Parque, em São Paulo. O lateral-esquerdo se prontificou a bater e teve a cobrança defendida pelo goleiro Banguera, enquanto que o atacante achou melhor não chutar.

O time perdeu por 5 a 4, mesmo após a vitória por 1 a 0 no tempo normal, e deu adeus à competição. "As circunstâncias levaram para os pênaltis a decisão. A ideia nossa era fechar comigo, no quinto pênalti, mas passou disso. O Egídio foi homem para caramba, teve coragem e personalidade para pedir bater. Infelizmente o goleiro pegou. Mas estamos com ele, juntos no mesmo barco", disse Moisés.

Egídio foi o sexto a bater e desperdiçou a cobrança decisiva. Antes do início da decisão, o técnico Cuca procurou os jogadores e perguntou quem se sentia bem para chutar. Ficaram de fora da relação dos cinco o zagueiro Luan, que chegou a ser o batedor oficial do Vasco, e o atacante Deyverson, que segundo Moisés alegou não estar bem e preferiu ser deixado de lado.

"Eu prefiro que o jogador seja honesto e fale o que sente. Se ele não quis bater, foi homem. Melhor falar que não se sente confortável do que ir com medo e não fazer o melhor", afirmou. Moisés explicou que na véspera do jogo, o Palmeiras treinou cobranças e teve alto aproveitamento, com 16 acertos em 18 tentativas. "Infelizmente nossos quatro batedores oficiais - o Jean, Dudu, Róger Guedes e o Borja - não estavam em campo. Então, isso nos prejudicou", disse.

Autor do gol da vitória no tempo normal, Moisés pediu para que os colegas de time não sejam criticados pelos erros nos pênaltis. "A gente pede para que não individualizem. O Egídio fez o bastante, assim como o Bruno Henrique. Todos fizeram o melhor. Não é momento de caçar um ou outro", afirmou.


Falta de cobrança de dívida em obra da Olimpíada torna Eduardo Paes réu em denúncia
Foto: Bruno Albernaz / G1
Os jogos olímpicos do Rio 2016 acabaram, mas a dor de cabeça com as irregularidades não. O Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente do Ministério Público (Gaema) do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) tornou o ex-prefeito da cidade, Eduardo Paes, réu em ação civil pública que investiga irregularidades na licença ambiental cedida para a construção do Campo de Golfe Olímpico da Barra da Tijuca, feito para os Jogos Rio 2016. De acordo com a denúncia do MP-RJ, a prefeitura teria deixado de cobrar uma dívida de licença ambiental no valor de R$ 1,8 milhão. De acordo com informações do G1, o ex-prefeito afirma que a 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio já havia decidido no último dia 1° que o valor de licença não provocou qualquer dano ou prejuízo ao tesouro municipal. "Não tendo havido qualquer renúncia de receita de Eduardo Paes, na qualidade de Prefeito, tendo havido, inclusive, o ajuizamento de execução fiscal pelo MRJ. Mais do que isso, o ato questionado já foi revogado pelo Prefeito, antes do encerramento do mandato", disse.
Quinta, 10 de Agosto de 2017 - 20:30

Valdir Espinosa é demitido do Grêmio e lamenta: 'Dia mais triste da minha vida'

por Estadão Conteúdo
Valdir Espinosa é demitido do Grêmio e lamenta: 'Dia mais triste da minha vida'
Foto: Roberto Azambuja
A quinta-feira (10)  que era para ser tranquila no Grêmio, com a vitória sobre o Godoy Cruz e a classificação às quartas de final da Libertadores na véspera, foi agitada pelo anúncio da demissão do coordenador técnico Valdir Espinosa. Homem de confiança de Renato Gaúcho, o dirigente veio a público no CT Luiz Carvalho e revelou ter sido dispensado pelo clube.

Considerado um ídolo do Grêmio por ter comandado o time gaúcho aos títulos da Libertadores e do Mundial de 1983, Espinosa não escondeu a decepção com a diretoria. Ele admitiu desavenças com a alta cúpula tricolor, mas tratou esta quinta como "o dia mais triste da minha vida".

"Hoje é o dia mais triste da minha vida, pois me mandaram embora do Grêmio. Tivemos algumas desavenças e espero, da parte da direção, que seja dita verdade", declarou. "Com o Grêmio, não fica nenhuma decepção. Mas com a direção, exceto o presidente, decepção total. Não sei se é 'trairagem' ou burrice. Mas mandar uma pessoa com minha experiência e minha rodagem embora é uma coisa ou outra."

Emocionado, Espinosa não escondeu a insatisfação com o tratamento que lhe foi dado pela diretoria. Com exceção do presidente Romildo Bolzan, a quem teceu elogios, o dirigente reclamou do comportamento dos outros cartolas do clube e disse que foi deixado de lado nos últimos meses.

"Isso não é de agora, eu me sentia de lado. Qual é a função de alguém como eu, ex-treinador? Não é dar opinião sobre as coisas, as contratações? Mas eu não era chamado para nada. Havia viagem que eu não era sequer informado se iria ou não. Era colocado para ver os jogos, mas não era consultado para qualquer coisa. Foi uma série de fatores", afirmou.

Espinosa também isentou o técnico Renato Gaúcho, que foi seu jogador em 1983 e com quem chegou junto ao Grêmio no ano passado, e garantiu que o treinador sequer sabia da demissão. O dirigente ainda mandou um recado à torcida e garantiu que sua saída não deve abalar o ótimo momento da equipe, que segue na briga pelos títulos do Campeonato Brasileiro, da Copa do Brasil e da Libertadores.

"Eu sei que a torcida vai sentir uma dor, mas não pode deixar a dor dominar. Não é porque botaram para a rua o campeão da primeira Libertadores e o campeão do Mundial que têm que abaixar as forças. E isso eu disse para os jogadores também. A minha tristeza hoje será a minha alegria amanhã. Se as lágrimas hoje são de tristeza, amanhã serão de alegria. Porque o Grêmio será tri da Libertadores e bi mundial", comentou.
MAIS  DE  UM MILHÃO E 14  MIL  ACESSOS, NO PLANETA  TERRA/11/08/17


Nenhum comentário:

Postar um comentário