sexta-feira, 17 de março de 2017

CATEDRAL DE SÃO TOMAZ DE CANTUÁRIA - BIOGRAFIA BISPO DOM JOÃO CARLOS PETRINI -2409-2013

terça-feira, 24 de setembro de 2013


DIOCESE DE SÃO TOMÁZ DE CANTUARIA- CAMAÇARI/BA HISTÓRICO


                                       

                                    HISTÓRICO!
Revisada  e ampliada em  17-03-2017

                  
                           CATEDRAL DE SÃO TOMÁZ DE CANTUÁRIA/CAMAÇARI/BA.
                                           Fotos  Chiquitinha  Maravilha
               NAVE E ALTAR - MOR  DA  CATEDRAL DA DIOCESE DE SÃO TOMÁZ DE CANTUÁRIA/CAMAÇARI/BA.



TOTAL DE ACESSOS  MAIS  947 MIL, DIA 17-317 - 17H21

INÉDITO! HISTÓRICO


Edificação da Capela  de São Thomaz  de Cantuária
Na pesquisa inédita  de Chiquitinha  Maravilha

 O  Desembargador  Thomás  Garcez  Paranhos Montenegro  edificou  a  Capela  de  São  Thomaz   de   Cantuária   no arraial de  Camaçari,   também    conhecido   como Vila  Thomazina, em  homenagem  ao  nome  da  esposa  do Desembargador. Ela foi  inaugurada  em  31/12/1911.

 A  Capela  da  igreja  católica  de  São  Thomáz  terminou  as  suas  obras  de  edificação  em   fevereiro  de  1912, sendo  apresentado a  imprensa  pelo  Desembargador  Montenegro,   o  balanço das despesas  e  receita,  como  também doações de pessoas que ajudaram  na  edificação  da  referida Capela  de São  Thomáz  de  Cantuária.

Despesas  e  Receitas  na  Edificação  da  Capela

Foram gastos  12  contos,  341 mil reis  e  380 reis  com:  serventes,  pedreiros,  carpina,  pedras,  cal,  madeiras,  tijolos,  adobe  e  ladrilhos,  bicas,  telhas,  vidros,  pinturas,  tinta  a  óleo,  imagens,  altar  mor,  condução  de  materiais,  desapropriação  de  uma  casa.
O  Desembargador  Montenegro  doou   4  contos,  228  mil  reis,  sendo  o  déficit  de  8  contos  e  113  mil  reis  e  380  reis,  além   do  terreno  da  edificação  da  Capela,  Thomás  ainda  deu  mais  150  metros  quadrados  de  pedras.

Mais  Doações  de  Outras  Pessoas

 Arcebispo Dom Jerônimo Thomé  deu  um  parâmetro  vermelho  completo.  O  Coronel  José   Sotero   Meneses  ofereceu   um  altar   mor   da  Capela  do Quartel   de   Palma  demolido,  2  púlpitos  e  2  cruzes  de  pedras.
 Dona  Clara  César  de  Morais   ofereceu  1  sino  com  78 kg,  o  Comendador Manoel  Severino  ofereceu  6  portas,   dona  Julieta  de Menezes, 10   metros   de  tapete  para  a  Capela  Mor.

Maria   Joaquina  Montenegro Barbosa doou  uma  banqueta,   Conselheiro   Pedro  Joaquim   dos   Santos   2   imagens, Conselheiro  Ponciano  de   Oliveira  1  imagem,  Dr.  Elvécio  da  Silva  Monte  1  cruz.
Manoel  da  Costa  Guimarães 1 vaso  de prata para  os  Santos Olhos,  dona Clara Sepúlveda,  1  toalha  bordada  para  o  Altar  mor.
Ziroca  Pedrosa,   doou   6 castiçais,  dona Maria  Alexandrina  Montenegro,  deu  os  bordados  das  tolhas  do  Altar  da  Comunhão  dos  púlpitos  e   as   cortinas   do   sacrário.

Alexandro  da  Costa,  João  Tavares,  João  Nepomuceno  de  Souza  e  Agedo  Joaquim  da  Silva  ofereceram  alguns  carros  para  a  condução  de  materiais.  Diversos  moradores  de  Camaçari  ofereceram  alguns  serviços.
A Livraria Dois Mundos de Salvador ofereceu 1 livro de Ata, Mari  Xavier  Limeira  Mesquita  ofereceu   alguns   ramos   de   flores   e  a  divulgação  nos  jornais  de  Salvador  foi  grátis.
 Chácara   Vila   Thomazina,  3/2/1912,  nota  divulgada   pelo   próprio   Desembargador  Thomás  Montenegro.


CATEDRAL  SÃO TOMÁZ  DE  CANTUÁRIA 2013 

 (DIOCESE   DE  CAMAÇARI)

Por Chiquitinha Maravilha

 

  A  antiga Capela  de  São Thomás  de Cantuária  edificada  pelo notável Desembargador  Thomás  Garcez   Paranhos   Montenegro   na   praça   do   mesmo   nome  do  fundador  da  igreja,  foi ao  longo dos  anos ficando   pequena   com  o  crescimento  da  cidades  de  Camaçari,   especialmente   com   a  implantação   do   Pólo   Petroquímico   no   início   da  década  de  1970. Esta  igreja  citada  foi   reconstruída   com   a   ajuda  da  comunidade  no  mesmo  local  da  antiga   Capela   edificada  inaugurada  em 31/12/1911. A  nova     Igreja  de  São  Thomáz, atual Catedral,  mais  espaçosa,  bonita  de  uma  arquitetura  moderna,  predominando  no  seu  frontão,  na  sua  parte  mais  alta  a  notável  cruz,  simbolizando  o  cristianismo.

 O   Desembargador  Thomás  Montenegro   devoto  do santo   inglês,   o   Thomaz  A. Backet,  nascido   em   Londres,  ano  1117.  Ele foi  arcebispo  de Canterbury  e  chanceler  do  Reino  Unido  da  Inglaterra.


SÃO TOMÁZ A. BACKET  DE ARCEBISPO  A SANTO

 

Thomás   foi    exilado,   depois voltou a Inglaterra  sendo  assassinado  por  soldados  ingleses  dentro da Catedral de Canterbury, no dia 29 de dezembro de 1179,  tinha 52  anos,  sendo  canonizado  3  anos  depois  da  sua  morte.

Thomás defendia a soberanidade da igreja sem  interferência do Rei da Inglaterra nos  assuntos  pertinentes  a  Igreja  Católica,  daí  ele  passou  a  ser  perseguido,  exilado  e  depois    assassinado    covardemente    por   4   soldados do Rei da   Inglaterra   naquele  período  citado.

 

O  nome escolhido  pelo Desembargador Thomás  Montenegro  deve-se  ao  fato  de ser batizado Pia  Batismal  da antiga  Matriz   da Igreja  da  freguesia do  Senhor do Bonfim da  Mata de São João  em 1839, pelo  seu milionário avô,   o capitão  Tomás da  Silva Paranhos,  dono  de imensas  terras na região de Salvador  e adjacências. Ao ser   batizado  na   história  Pia Batismal  por seus  pai que  colocaram o  nome do seu  citado  avô lusitano e que era devoto do   Santo   inglês.  Sua  esposa  e  prima  carnal Dona Thomazina   tinha   nome  derivado  do  seu  avô (Capitão Tomás Paranhos Montenegro).

   


CLICK NO LINK E VEJA MAIS HISTÓRIAS E FOTOS ...

Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem

Dias D’Ávila

Pároco

Pe. Reinaldo Balvino dos Santos 

Endereço: Avenida Brasil, 406, Centro
CEP: 42850-000
Tel.: (71)3625-1358
Dia da Padroeira: 15 de Agosto
Ano de Criação:1981

Capelanias no território Paroquial: São Roque; Nossa senhora da Conceição; Santo Antônio de Capuame; Sagrado Coração de Jesus; São Genário; Senhora Santana; Senhor do Bonfim; Santa Luzia; Nossa Senhora de Lourdes; Nossa Senhora do Parto; Santa Helena; Nossa Senhora de Guadalupe; Irmã Dulce dos Pobres.
Origem da Devoção: É uma devoção mariana (hiperdulia) da Igreja Católica comum em Portugal e no Brasil, para onde foi trazida pelos homens do mar. Ermidas e capelas foram levantadas em honra de Nossa Senhora com este título. Algumas delas se transformaram em santuários que recebiam a visita de um grande número de devotos. Os portugueses sempre foram devotos de Nossa Senhora da Boa Viagem, tanto que o mais antigo Santuário dedicado à Nossa Senhora da Boa Viagem fica localizado a duas léguas de Lisboa. Na vila de Ericeira, Portugal, todos os anos, desde 1947, do dia 15 a 18 de agosto, a Senhora da Boa Viagem é homenageada com bailes, espetáculos, procissões e Missa campal. Tradicional festa de pescadores, conta com uma grande comissão organizadora onde todos os anos o mar e a praia é abençoada. Os navegadores costumavam levar uma imagem da Santa em suas embarcações para que tivessem êxito nas suas empreitadas.

Congregações Residente na Paróquia

FRANCISCANAS HOSPITALEIRAS DA IMACULADA CONCEIÇÃO (Noviciado Provisório)

Fraternidade Imaculada Conceição
Endereço: Rua Valter Seixas, 84-A, Bairro do Genaro, Dias D’ Ávila, Bahia.
Tel.: (71)3625-1297 Ramal 1
Responsável: Ir. Catarina Alflin


 Texto: Diocese de Camaçari

Publicado em 26/12/2012 às 19:31

História



Dados Históricos

 Diocese de Camaçari foi criada em 15 de dezembro de 2010 pelo Papa Bento XVI, desmembrada da Arquidiocese de São Salvador da Bahia. O território da Diocese é constituído pelos municípios de Camaçari, Candeias, Dias D’Ávila, Madre de Deus, São Francisco do Conde, São Sebastião do Passé, Simões Filho e Terra Nova.
Quando foi criada, no território da diocese haviam 708 mil habitantes, dos quais 481 mil eram católicos. A solenidade de instalação da diocese e posse de seu primeiro bispo, Dom João Carlos Petrini foi realizada no dia 19 de fevereiro de 2011.
O padroeiro da Diocese de Camaçari é São Thomaz de Cantuária, e a catedral fica localizada na Praça Desembargador Montenegro, n 9, Centro de Camaçari.Brasão
O campo de escudo é azul, corprópria de Maria Santíssima, Mãe de Jesus e da Igreja, Rainha do Universo, Guia da Nova Evangelização, Advogada Nossa, aludindo a Nossa Senhora das Candeias, cujo Santuário é sufragâneo desta Diocese.
A cidade sede Diocesana originou-se da Aldeia do Espírito Santo, situada na Vila de Abrantes, aldeias de índios catequizados, fundada em 1557, Vila em 1758 e sede do governo em 1624. A aldeia está retratada nas três tocas Indígenas colocadas sob o símbolo gráfico do espírito Santo, em seu matiz vermelho que domina o mantel, com figuras de ouro.
Importa destacar o padroeiro Diocesano, Arcebispo de Canterbury, Dom Tomas Beckrett, grande defensor do múnus eclesiástico, o que resultou no seu supremo martírio. Sobre uma cruz de oito pontas, referente à fé Cristã em todos os quadrantes da terra, no seu centro, revela-se a mitra do patrono, cortada por uma espada, arma de algozes.
Falante do presente, a Diocese assume uma roda dentada, marca da indústria e do progresso, protegida pela Cruz de Cristo, para maior Glória de Deus e da Sua Igreja Imortal.



bispo dom João Carlos Petrini - DIOCESE DE SÃO TOMÁS DE 



CANTUÁRIA

Santuário




Início /Paróquias / São TOMÁZ de Cantuária Camaçari











São Tomaz de Cantuária Camaçari


Pároco: Pe. Valmir Miranda dos Santos

Vigários: Pe. Angocilo Domingos da Cunha /Pe. Marcelo da Conceição Souza

Colaboradores: Diác. José Wedson Porto Cardoso

Endereço: Praça Desembargador Montenegro, 09, Centro, Camaçari, Bahia

CEP: 42.800-020

Tel.: (71) 3621-1303

Dia do Padroeiro: 07 de Janeiro

Capelanias no território Paroquial: Igreja Sagrado Coração de Jesus (Parque Florestal); Igreja Santa Cruz, Igreja São Francisco de Assis (Bomba); Igreja São Paulo Apóstolo (Ficam); Igreja Santo André Apóstolo (Mangueiral); Igreja Cristo Ressuscitado (Inocoop), Comunidade Santo Expedito (Ponto Certo), Igreja Nossa Senhora da Conceição (Camaçari de Dentro).



Congregação Religiosa residente na Paróquia

FRANCISCANAS DO CORAÇÃO DE MARIA, CIFCM -

Congregação das Irmãs (2005)

Fraternidade Nossa Senhora da Visitação

Avenida Rio Bandeira III, Comunidade São Francisco de Assis, Bomba,

Camaçari – BA

CEP: 42800-230

Tel.: 3412-1707

Superiora: Ir. Maria Natália da Imaculada

História do Padroeiro:


São Thomas Becket, ou Tomás Becket, foi Arcebispo de Cantuária 1162 a 1170.

Envolvido num conflito com o rei Henrique II da Inglaterra pelos direitos e privilégios da Igreja, foi assassinado por seguidores do rei na Catedral de Cantuária. Em pouco tempo, fiéis por toda a Europa começaram a venerar Thomas Becket como mártir, e em 1173, cerca de três anos após a sua morte, foi canonizado pelo papa Alexandre III

Cúria

Expediente

Endereço: Praça Desembargador Montenegro, 09, Centro – CEP: 42800-020 – Camaçari/Ba
Tel.: (71) 3627-6334

O funcionamento da Cúria conta com horário disponível ao público de segunda a sexta-feira, manhã das 08h às 12h e à tarde das 14h às 17h.

VIGÁRIO GERAL
Cônego Osmar Freire Monteiro Júnior

GABINETE DO BISPO
Secretaria Bispado: Padre Milton Santos Pereira
Secretaria de Pastoral: Cônego Paulo Roberto Bittencourt de Souza

CHANCELARIA
Chanceler: Padre Milton Santos Pereira

- MITRA DIOCESANA-
-
ECONOMATO
Ecônomo: Padre Alex de Oliveira Almeida
Secretaria Economato: Lúcia de Fátima    Email: financeirodacuria@gmail.com

DEPARTAMENTO JURÍDICO
Dr. Otoney Alcântara

DEPARTAMENTO ADMINISTRATIVO, PATRIMÔNIO E RECURSOS HUMANOS
André Moreira dos Santos
Email: admcuria@yahoo.com.br

COLÉGIO DOS CONSULTORES
Cabe a esse órgão exercer funções de grande importância, tais como: escolher o Administrador diocesano, no caso da vacância da Diocese; dar parecer na venda de bens da Diocese e criação de paróquias, entre outras

SÃO MEMBROS DESSE CONSELHO:
Pe. Frei Cristiano da Silva Freitas;
Côn. Euclides Cardoso Moreira
Pe. Nelson Nascimento Bandeira Filho;
Côn. Osmar Freire Monteiro Júnior;
Côn. Paulo Roberto Bitencourt de Souza;
Côn. Vilauba Alves da Fonseca.

Institutos

Ordem dos Frades Menores Conventuais (OFMConv)

Endereço: Travessa Presidente Kennedy, 07, Centro, Candeias, Bahia.
Tel.: (71) 3601-1942
Responsável: Fr. Cristiano da Silva Freitas






CATEDRAL DE SÃO TOMÁZ DE CANTUÁRIA/CAMAÇARI/BA.
Foto Chiquitinha  Maravilha - 2013
               NAVE E ALTAR - MOR  DA  CATEDRAL DA DIOCESE DE SÃO TOMÁZ DE CANTUÁRIA/CAMAÇARI/BA.




Biografia

Dom João Carlos Petrini

Créditos: Wendell Wagner

Dom João Carlos Petrini nasceu em Fermo, na Itália em 18 de novembro de 1945. Formou-se em Ciências Políticas na Universidade de Perúgia-Itália, em março de 1970, neste mesmo ano chegou a São Paulo. Ainda leigo, estudou Teologia na Faculdade Nossa Senhora da Assunção (São Paulo) e foi ordenado sacerdote em 1975. Cursou o Mestrado e o Doutorado em Ciências Sociais na PUC SP, realizando pesquisas sobre comunidades de base e sobre as relações entre religião e sociedade moderna.

Em 1989 mudou-se para Salvador, onde foi Reitor do Seminário Propedêutico (de 1990 a 1998) e diretor do Instituto de Teologia da UCSAL (de 2005 a 2009). Desde 1998, é diretor da Seção Brasileira do Pontifício Instituto João Paulo II para Estudos sobre Matrimônio e Família. Em 2005 foi nomeado pelo Papa João Paulo II, Bispo Auxiliar de Salvador. Em maio de 2007 participou da Conferência de Aparecida. É um dos maiores divulgadores do movimento Comunhão e Libertação.

Em 19 de fevereiro de 2011 tomou posse da Diocese de Camaçari. No dia 11 de maio de 2011 foi eleito Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB.









Em entrevista à site de Camaçari, Dom Petrini 

fala sobre o real significado do Natal


foto: Maryane Meira
O Natal está às portas. E o Camaçari Notícias aproveitou a oportunidade para entrevistar o Bispo Dom João Carlos Petrini da Diocese de Camaçari, e conhecer um pouco mais sobre o significado desta festa comemorada anualmente e suaimportância para a Igreja Católica e sociedade cristã.

Confira a entrevista:
Camaçari Notícias – Qual o significado da Natal?

Dom João Carlos Petrini - O significado mais importante do Natal é a chegada do mistério invisível de Deus dentro da nossa realidade de uma forma visível, uma forma humana. Por isso a palavra que é usada no evangelho para indicar o Natal é Emanuel, que significa “Deus conosco”. Quer dizer que Deus é Mistérios, invisível que ninguém jamais viu. O qual fala no antigo testamento, que decidiu no certo momento da história entrar no nosso horizonte de percepção, colocando-se ao alcance dos olhos, ouvidos e das mãos. Quer dizer que pode ser visto, ouvido e tocado, assumindo uma forma humana de tal maneira que pode ser encontrado, não mais a partir do Natal. Ter fé não significa acreditar na existência do Deus distante, atrás das estrelas, mas significa reconhecer os sinais desta presença divina entre nós. Este é o primeiro significado entre nós, por isso a palavra mais bonita que se associa ao Natal é a palavra presença de Deus, que se tornou uma presença humana. Jesus foi condenado à morte e ressuscitou, mas continua sendo exatamente por causa da ressurreição, uma presença real. O corpo está presente hoje, através não somente de sua palavra, mas também através de toda a realidade da Igreja.

Qual o significado real do presépio Jesus?

 nasceu em uma gruta, que era reservado para guardar os animais durante meses, um lugar não muito cheiroso e não muito bonito. Mas depois do nascimento, aquele lugar se tornou uma Catedral, um lugar que foi visitado pelos reis magos, mesmo sendo uma gruta, o local tinha mudado de valor e significado, era o lugar que se encontrava o filho de Deus.
O Senhor acha que as pessoas perderam a essência do que realmente significa o Natal?
O nosso país é muito colonizado pelo mercado, tudo que vale é aquilo que o mercado valoriza. Então no Natal, a presença de Deus não interessa, o que realmente interessa é organizar festas, troca de presentes, essa cultura dominada que o mercado valoriza. Digamos que são conseqüências do Natal e não seu significado, pois se é verdade que Jesus doa a nós sua própria vida divina, é claro que quero doar algo meu para outra pessoa, então essa troca de presente é uma forma de simbolizar a dom maior que recebemos o dom que nos incentiva doar algo. Mas quem se lembra deste significado quando troca presente? As pequenas coisas que simbolizam o Natal estão perdendo as raízes, pois muitos não sabem os significados. Até iluminar a cidade e as árvores é um ato que considero bonito, porque Jesus é luz, ele mesmo disse: “- Eu sou a luz, a luz que ilumina todo homem”, mas quando é que nós observamos a luzes e dizemos que essas decorações são para festejar Jesus?

O que representa o nascimento de Cristo para a Igreja Católica?
A igreja é o inicio da existência de Jesus Cristo, não existia a igreja antes de Cristo, o que existia era uma aliança de Deus com o povo hebreu, mas, era algo limitado, porém com o nascimento de Jesus, começou uma nova etapa e aquilo que começou com os hebreus, na realidade se estendeu a todos os povos e em uma velocidade impressionante, que 40 anos depois do acontecimento da Páscoa, já havia comunidade cristã em muitos lugares. Era tão grandiosa a percepção de está acontecendo que as pessoas não podiam ficar paradas e os meios de comunicação levaram muita gente a percorrer o mundo para falar de Deus, e esse ato mudava vidas.

Em dezembro se vê uma grande mobilização de atos de solidariedade, tanto das Igrejas quanto da sociedade. Porque isso acontece no Natal?
Acontece só no Natal, justamente porque é de interesse do mercado, não seria viável que todos os dias fazer essa farra do comércio, mas, na realidade para um cristão que vive na fé e reconhece essa presença de Cristo dentro da nossa realidade atual, a busca da fraternidade é permanente, não apenas no Natal. É uma lastima ser apenas no Natal, deveria ser sempre, porque Jesus não chegou e permanece no Natal, mas está entre nós até hoje.

Qual a mensagem de Natal que o Senhor deixa para os leitores?

Não devemos ficar na superficialidade de se satisfazer de forma banal na onda do mercado ao viver esse ideal do Natal, mas viver a origem desta festa, saber o realmente significa. Tendo a certeza que filho de Deus chega a nós sem prepotência, na forma mais discreta possível. Tem um trecho da Sagrada Escritura do Apocalipse, que Jesus diz: – “Que eu estou à porta e bato, se alguém abrir a porta eu entrarei e cearei junto com ele”. Mas, se não abrir a porta e se não estiver interessado, nada acontece. É exatamente desta maneira que escreve e deixa totalmente aberto o espaço para nossa liberdade.
Texto: Maryane Meira / Camaçari Notícias 
Publicado em 16/12/2012 às 19:29


SÃO TOMÁS  DE CANTUÁRIA
PADROEIRO DE CAMAÇARI
Foto Chiquitinha   Maravilha


                                                      PADROEIRO DA DIOCESE 


FAMÍLIA PEREIRA  DAS  CHAGAS EM CAMAÇARI
Intendente  Eleito
     Marcus   José  Pereira  das  Chagas descendente (paterno) de  Chiquitinha Maravilha (família  Pereira  Chagas), foi Intendente  eleito    do atual município  de  Camaçari   em 1912/15 e 1920/23, falecendo no ano de 1923 sendo sepultado no Cemitério  paroquial  da   antiga Matriz  do Bonfim de Mata de   onde  era  natural.
 Marcos José  Pereira  das  Chagas  foi   proprietário do Engenho   Jordão  (depois Fazenda Jordão  na República). Marcos   avô  da  professora Ernestina  Chagas de Camaçari, onde existe  descendência. 










São Thomaz de Cantuária Camaçari

Sao Tomaz de Cantuaria Camacari

Camaçari


Pároco: Pe. Osmar Freire Monteiro Júnior
Vigários: Pe. Angocilo Domingos da Cunha, Pe Carlos Fernando Dias dos Santos Pe. Renivaldo Crispim
ColaboradoresDiác. José Wedson Porto Cardoso Diác. José Ferreira
Endereço: Praça Desembargador Montenegro, 09, Centro, Camaçari, Bahia
CEP: 42.800-020
Tel.: (71) 3621-1303
E-mail : catedral@diocesedecamacari.com.br

Divino Espírito Santo

divinoespiritosantoabrantes

Vila de Abrantes

Pároco: Côn. Luiz Orlando de Oliveira Ferreira
Colaborador: Diác. João Silva Teixeira
Endereço: Praça Matriz, Vila de Abrantes, s/n –Orla Marítima, Caixa Postal 63. Vilas de Abrantes.
CEP: 42810-010
Tel.: (71)3623-1815 / 3623-4739

São Sebastião do Passé

Sao Sebastiao

São Sebastião do Passé

Pároco: Côn. André Alexandre Vigário : José André  da Silva Jesus
Endereço: Praça 12 de Outubro, 234, Centro
CEP: 43850-000
Tel.: (71) 3655-1009 / 3655-1034
E-mail : saosebastiao@diocesedecamacari.com.br
Dia da Padroeira: 20 de Janeiro
Ano de Criação: 1718

São Miguel de Cotegipe

Sao Miguel

Simões Filho

Pároco: Côn. Paulo Roberto Bittencourt
Colaborador: Diác Antônio Oliveira dos Anjos
Endereço: Praça Noêmia Meireles Ramos, s/n, Centro
CEP: 43700-000
Tel.: (71) 3396-1026
Email: saomiguel@diocesedecamacari.com.br

São Tomé Apóstolo

PARÓQUIA SÃO TOMÉ

Camaçari

Pároco: Côn. Celcide Santana Costa
Endereço: Praça da Gleba E, Gleba E, Camaçari, Bahia
CEP: 42804-380
Tel.: (71) 3627-2820
E-mail : saotome@diocesedecamacari.com.br
Dia do Padroeiro: 2° Domingo de Julho

Sagrada Família Jesus, Maria e José

madre de deus

Madre de Deus

Pároco: Pe. Vilauba Alves
Endereço: Rua Frei Godofredo, 02,Centro Comunitário Cristo Rei.
CEP: 42600-000
Tel.: (71) 3604-1034
E-mail : sagradafamilia@diocesedecamacari.com.br
Dia do Titular: Domingo entre o Natal e a Epifania
Ano de Criação: 1661

Nossa Senhora da Boa Viagem

nossa senhora da boa viagem

Dias D’Ávila

Pároco: Pe. Reinaldo Balbino dos Santos
Colaborador : Diácono Corinto Pereira
Endereço: Avenida Brasil, 406, Centro
CEP: 42850-000
Tel.: (71)3625-1358
E-mail : boaviagem@diocesedecamacari.com.br
Dia da Padroeira: 15 de Agosto
Ano de Criação:1981

Nossa Senhora da Conceição

Nossa Senhora da Conceicao- CIA

Simões Filho

Administrador Paroquial: Pe Edwin Casadiego
Colaboradores: Diác Antonio Miguel dos Santos Reis /Diác Djalma José Santos Oliveira
Endereço: Avenida Rivaldo Guimarães, 284, Cia I –Qd. 03
CEP: 43700-000
Tel.: (71) 3396-3189
Emailconceicao@diocesedecamacari.com.br
Dia da Padroeira: 08 de Dezembro

                                          CAMASSARY    "A ÁRVORE QUE CHORA!"

Camassary, Camassary! 

Um nome de origem tupi-guarani que  significa na linguagem Portuguesa  ‘árvore  que  chora”   as  suas  folhas verdes, viçosas, tem a propriedade de ficarem  Cobertas  de Gotículas  de águas transparentes, tendo  outra particularidade Alvissareira! O seu  nobre caule  foi  utilizado para  fabricação de formidáveis embalagem de caixote    para armazenagem de açúcar dos  engenhos  da  regime  imperial e  colonial....

Estrofe  da  Poesia de Chiquitinha Maravilha
A POESIA DO MUNICÍPIO DE CAMAÇARI/
DESCRIÇÃO POÉTICA /HISTÓRIA REAL

TÍTULO DA POESIA ABAIXO:



DE  ABRANTES A CAMAÇARI!

MUNICÍPIO INDUSTRIAL DA BAHIA
Chiquitinha  Maravilha

Direitos  autorais  em nome do autor da poesia. 


Salve!  Camaçari uma   cidade  histórica,  município  do  estado  da  Bahia
No sagrado ano  de mil  e  quinhentos  e  Cinquenta  e  Oito!  Logo  acontecia
No  governo  de  Mem  de  Sá,  terras  de  sesmarias  aos  índios  ele  doou
Onde  os Padres   jesuítas,  a  Aldeia  do  Divino  Espírito  Santo   fundou!

Manoel  da  Nobreza e  os  outros  jesuítas,  vindos  do Reino  de  Portugal
Pertencentes  a  Companhia  de  Jesus!  Na  Aldeia Indígena  logo  realizaram
Trabalhos  missionários  e  índios  Tupinambás, os nobres  jesuítas  catequizaram
Na Aldeia fundada, edificou-se casas, praça, escola e  uma  linda igreja  colonial.

A  histórica  Aldeia  do  Divino  Espírito  Santo,  ficava   localizada   no   litoral
Próxima  da  Barra  do  Rio  de  Joanes,  as  margens  da  antiga  Estrada  Real
Caramuru,    Garcia  D’ Ávila  e   padre  José  de   Anchieta!  Por  lá  passaram.
Na  Aldeia  fundada,   plantou-se   mandioca, milho,  algodão  e  até gado   criaram.

O  Conselho  Ultramarino,  elevou a  Aldeia  jesuíta,   que  passou   a   categoria
De  Vila  do Divino  Espírito  Santo  de  Nova  Abrantes,  esta  notável   honraria
Aconteceu no dia  vinte  e  oito  do mês de   setembro do ano de   mil  setecentos
E  cinqüenta  e  oito!  Sendo  uma  data  histórica, um  grandioso   acontecimento!

Nos  combates  pela  Independência  da  Bahia! A  Vila de Abrantes  participou
unidas  com  a  lendária Casa  da  Torre,  sediou as  Tropas  Brasileiras  e  imperial
Que  defenderam  o  Litoral  Norte! Essas   Tropas  seguiram  pela  Estrada Real
Passando por  Capuame,  uniu-se a  Labatut que  em  Pirajá,  contra  lusitanos, lutou.

 Vinte e oito de setembro de   mil  novecentos  e  vinte  e  oito! Conforme  lei  estadual
A   histórica Vila  de  Abrantes,  passou  a  chamar-se  Montenegro,  mudando   de  local
Sendo   a  citada Vila,  instalada    no  distrito  de  Camaçari,  que    estrategicamente
Oferecia  as   melhores condições  geográficas, para crescer social e   economicamente!

De Aldeia  de Índios catequizados passou a  Vila de Abrantes,  Montenegro e finalmente
Passou  a   denominar-se  Município  de  Camaçari!  Sendo oficializado definitivamente
A  sua  identidade  nominal,   através  do  histórico  decreto  que tornou-se lei  estadual
No ano  mil  novecentos  e  trinta  e  oito,  ficando com  esse  nome até o  período  atual.

Camassary, Camassary! Um  nome de origem tupi-guarani que  significa na linguagem
 Portuguesa  ‘árvore  que  chora”   as  suas  folhas verdes, viçosas,  tem a propriedade
De ficarem  Cobertas  de Gotículas  de águas transparentes, tendo  outra particularidade
Alcaçareira! O seu  nobre caule  foi  utilizado para  fabricação de formidáveis embalagem

De caixotes  leves  e  resistentes,  que  armazenavam  o  açúcar  que eram fabricados
Nos engenhos  que  eram localizados na  região de  Camaçari e que eram exportados
Para  povoações  do  Brasil Colonial,  sendo também o açúcar vendidos para o exterior
 gerando  riquezas,  movimentando a economia do Brasil e os cofres  dos meus  Senhores... 

O nobre e caridoso Tomás Garcez   Paranhos  Montenegro, o ilustre  desembargador
No período  imperial edificou  sua chácara - residência  nas  terras do então   arraial
De   Camaçari,  cujas terras  foi herdada  da   sua  família, sendo Tomás o fundador
Da  atual cidade  de  Camaçari,  de economia  pujante, com sua cidade Polo  Industrial 

Município de Camaçari,  com  os  seus  três  distritos  progressistas  e  importantes
Distrito de Parafuso!  Já  foi  sede  do  governo  municipal!  Na  Vila  de  Abrantes
Aí  nasceu o  atual  município! Fundado pelos missionários jesuítas os  catequizadores
Distrito de Monte  Gordo!  Reduto de  lindas  praias, coqueirais  e dos bravos  pescadores.

Orla  marítima  de Camaçari! Com  lindas praias, rios,  lagoas e seus belos coqueirais
Oh!  Arembepe!  Com  sua famosa Aldeia   Hippies!  repleto de  recifes  e  quebra-mar
As  Barras  dos  Rios   Joanes,  Jacuípe  e do  Rio  Pojuca!  De  verdejantes  manguezais
Oh! Praias de Itacimirim,  Guarajuba, Busca  Vida e  Jauá! Locais lindos para  veranear.

Camaçari  com  sua  Bacia  Hidrográfica,  desaguando mansamente  no oceano  mar
Dos  Rios  Capivarí Grande e Pequeno,  Joanes,  Jacuipe, Pojuca, Camaçari  e afluentes
Barragens dos  Rio   Joanes,    com as  suas  lindas   lagoas  e  riachos  e  as nascentes!
Margeados pela primitiva Mata  Atlântica, Um  magnífico  santuário  ecológico  a  preservar.

Oh! Camaçari, Cidade  dos Montenegro  um  centro  de  lazer  e esportes na  região
Com  seus inúmeros equipamentos  esportivos!  Orgulho do seu povo, da sua   população
Camaçari,  cidade  de raízes religiosa!  E  que  cultiva  as  suas  tradições  doutrinárias
Irmandades na  sua abençoada  Diocese! Do Santo padroeiro São  Tomás  de  Cantuária  

Camaçari!  Um  Polo Petroquímico  Industrial!  Com  as suas  fábricas  gerativas
De matérias primas,  empregos  e  rendas!  Fortalecendo  a  sua  economia municipal 
Temos as  indústrias Petroquímica solidificada e  a pujante  Montadora Forde  automotiva
A  crescente  indústria  da  Pesca  e  do  artesanato! Temos o fabuloso  turismo  no  litoral.

Camaçari  uma  cidade  populacional pujante e  industrial!  Com  suas  modernidades
Dos  seus  filhos amados, tanto os nativos como os  imigrantes, vindo de  várias localidades
Onde  todos eles  unidos,  trabalhando  incansavelmente, construindo o  município  a  mil
Vamos,  Vamos! Avante  Camaçari  de  Abrantes!  Você  é o orgulho da  Bahia e  do  Brasil!




                                   ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE CAMAÇARI 2013

ESTAÇÃO FERROVIÁRIA!
UM MARCO HISTÓRICO DESDE O    IMPÉRIO  E  REPUBLICANO,  DESDE   DA VILA A PARTIR DE 1860  E  MUNICÍPIO NA ERA   REPUBLICANA.
Foto e legenda Chiquitinha Maravilha 


SEPULTAMENTO HISTÓRICO DO DESEMBARGADOR
 TOMÁS GARCEZ PARANHOS MONTENEGRO /CAMAÇARI/MATA DE SÃO JOÃO.

2ª Estação Ferroviária,  edificada na segunda datada  da  década  de 1940),   na  estação  anterior    que  foi demolida e edificada a  atual, através  de um comboio  trem (vários vagões) foi o corpo do desembargador Tomás  Garcez Paranhos Montenegro (o 1° com este nome  e  pai  do Desembargador  Tomás  Junior),  juntamente   com familiares,  membros dos  Três  Poderes  Constituídos  da Republica  na  Bahia, seguiu  o  corpo do  Eminente  Matense/Camaçariense  e  Baiano, que   foi sepultado no jazigo da  família na  Nave  da   Matriz  do Senhor do Bonfim  de Mata de São  João, no ano  de  1914, sendo um dos maiores e talvez o maior  sepultamento   já  realizado  na  Matriz  do Bonfim de Mata    pela  quantidade  e   o número  de  personalidades Top  da  Sociedade   Baiana.  Na   pesquisa inédita de Chiquitinha Maravilha

NA FOTO ABAIXO:
RESIDÊNCIA PRIMITIVA DO DESEMBARGADOR TOMÁS  GARCEZ  PARANHOS MONTENEGRO FUNDADOR DO ARRAIAL DE  CAMAÇARI  A PARTIR  DA DÉCADA DE 1860 E QUE SE TRANSFORMOU AO LONGO DOS ANOS   NA ATUAL CIDADE DE CAMAÇARI E  O NOME DO PUJANTE  MUNICÍPIO ATUAL
Antiga  casa    residência da família do 1° desembargador Tomás   Garcez  Paranhos  Montenegro que  foi doada   em 1938 para ser a  sede  do Poder Executivo Municipal e  que  dezenas de anos depois   foi mudada  a  sede  do    imóvel da  foto para o atual centro  administrativo. No prédio   acima,   depois  de   reformado  continua no  mesmo local  perto  da  estação  da ferroviária (2013}, tendo funcionado o Tribunal de Contas do  Municípios.    Foto  Histórica!

  

HISTÓRICO!  INÉDITO
OCUPAÇÃO DAS TERRAS
Por volta do ano 1000, a região do Recôncavo Baiano foi invadida por povos tupis procedentes da Amazônia. Eles expulsaram os habitantes anteriores da região, falantes de línguas macro-jês, para o interior do continente. Quando os primeiros exploradores europeus chegaram à região, no século 16, a mesma era habitada pela tribo tupi dos tupinambás.[16]
A história da ocupação portuguesa do território de Camaçari começa em 1558, quando foi criada a Aldeia do Divino Espírito Santo pelos padres jesuítas, reunindo índios de várias aldeias tupinambás ao redor de uma capela de taipa sob o comando do padre João Gonçalves e do irmão Antônio Rodrigues às margens do Rio Joanes.
A Vila  do Divino do Espirito Santo  de Nova  Abrantes  foi criada  em 28 de setembro  de  1758 por Provisão do Conselho  Ultramarino e  foi instalada  em em 8/10/1758. No ano de 1759  foi   levantada  a  planta  pelo Dr.  João Ferreira  de Bittentencurt  Sá.
A Vila  foi extinta pela  Resolução  Provincial de  n. 241, de 15/04/1946, sendo restabelecida   pela Resolução  de  n.  310 de 03/07/1848 e reinstalada  em  a  10/01/018, com a  designação   de Vila de Nova  Abrantes, apos ser  desmembrada  do município de Mata  de São João.
Até   1890 a  categoria  política-administrativa de Abrantes  era "intendência municipal" quando então passou  a município,  Em 27//09/1890 foram doadas  terras ao município, para seu patrimônio, pelo então Conselheiro n Glicério, Ministro da Agricultura do Governo Provisório da republica  do Brasil.
Por força política, no entanto, houve o retorno da sede para Abrantes em 1892.

A Vila de Abrantes localizada  no litoral  foi  sede   municipal  até  1924 e  no ano seguinte 1925 perla  Lei  Estadual n. 1.809  de  28  de  julho foi transferida a  sede   do litoral para Montenegro que em 1938 passou  a  denominar-se Camaçari em virtude  de um  decreto-lei  estadual.
Fonte  IBGE.

SÉCULOS  XVIII E XIX
Entre os séculos XVIII e XIX, tem-se a administração da Marquesa de Niza através de Tomas da Silva Paranhos, que lhe enviou juros e rendas (enfiteuses e laudêmios) até, finalmente, adquirir a propriedade. Este latifundiário deixou 9 herdeiros: entre eles, Maria Joaquina da Silva Paranhos, casada com José Garcez da Rocha Vaconcelos Montenegro, de quem descende o desembargador Tomas Garcez Paranhos Montenegro.
No final do século XIX, houve a expansão da malha ferroviária baiana: suas principais diretrizes eram a integração com o recôncavo e a região do São Francisco. Camaçari está estrategicamente situada entre as duas bifurcações (uma em Simões Filho em direção ao recôncavo, e outra em Alagoinhas, onde a estrada toma outras duas direções – Médio São Francisco e Litoral Norte). 



HISTÓRICO!  INÉDITO 

LIGAÇÕES  GENEALÓGICA  ENTRE AS FAMÍLIAS:
HISTÓRICO, INÉDITO! GENEALOGIA  SILVA PARANHOS, PEREIRA  DE MESQUITA, GARCEZ PARANHOS MONTENEGRO RODRIGUES TEIXEIRA, SIMÕES  DE PAIVA, PEREIRA DE CARVALHO CHAGAS, TEIXEIRA SALES  CHAGAS, MEIRELES  VIANA
HISTÓRICO E INÉDITO!

 Tomás   filho   do   Coronel   José Garcez   da   Rocha   Vasconcellos  Montenegro  e  de   dona  Maria  Joaquina  da  Silva  Paranhos, batizado dia 01-04- 1839,  nasceu  em  22/1/1839,  na   Vila   de  Mata   de  São  João,  onde  casou-se  em 11/2/1860  aos  21  anos  de  idade, com  a  sua  prima carnal  Thomazina  Josephina  de   Mesquita,   nascida  em 06/11/1840 na  cidade de  Mata  de  São  João,   quando   ainda  era   freguesia do Coqueiro da Água  Comprida  do Senhor o Bonfim  de Mata de São João.
 Eram   pais  de  Thomázia   o  Sr. José  Pereira  de  Mesquita  e   dona   Josephina   da  Silva  Paranhos,  descendente   do   Cap.  Thomas  Paranhos este  comprou as  terras  da Várzea ( atual  cidade  de  Mata  de São João), Capuame  ( cidade de Dias D'Avila), terras  da  cidade  de Camaçari, Jauá, Arembepe...  (litoral),   parte  do  atual  bairro de   Brotas/Salvador,....
As  terras  da  Várzea,  atual  centro   da   cidade  de  Mata  de  São  João,  foi  comprada  em  O Capitão  Thomás  da Silva  Paranhos  comprou as   citadas dos    descendentes  do  Marquês  de  Cascaes,  sendo  as  terras  citadas  originarias  da  Casa  dos   Marqueses   de  Niza,  sendo  instituída  em  1552  por  D.  João  III,  Rei  de  Portugal  e  sendo   constituída  todas  as  terras   em  Capitania  (uma  capitania)  em  1556.


CHIQUITINHA MARAVILHA
 NA GENEALOGIA COM  SILVA PARANHOS MONTENEGRO /PEREIRA MESQUITA
INÉDITO!

Chiquitinha  Maravilha  está ligado a  família Montenegro através  do seu tio sobrinho 4º avô, Major Menandro dos Reis Meireles ao se  casar com  Umbelina  da Silva  Paranhos, irmã de  Maria Joaquina  da Silva  Paranhos,   que se  casou com   José Garcez da  Rocha Vasconcelos Montenegro, os  pais do matense Desembargador Tomás  Garcez  Paranhos  Montenegro.
Umbelina  e Maria Joaquina,   descendentes do Capitão Tomás  da Silva  Paranhos e este  parentes dos   estadistas do Império, o  barão e o Visconde   do Rio Branco (pai e  filho)  o José  Maria  da  Silva  Paranhos.
Major Menandro dos Reis Meireles, irmão  de  Amélia Josefina Reis Meireles, esta  casada com  Major Guilherme José   Batista  Viana,  tetra-avos  materno de  Gamaliel Chagas (Chiquitinha   Maravilha).
Major Menandro, irmão  de Amélia Josephina (ou Josefina) Reis  Meireles, sendo  Gamaliel Sales Chagas (Chiquitinha ..) sobrinho tetra avô do Major Menandro, idem p/ Umbelina da Silva Paranhos,  a  irmã Maria Joaquina  da Silva Paranhos
 Maria Joaquina da Silva  Paranhos, esta casada  com  José Garcez da Rocha Vasconcelos Montenegro, os pais do matense, 1º Desembargador matense, Tomãs Garcez Paranhos Montenegro, este casado com sua  prima carnal, dona Tomazina Josefina Paranhos  de  Mesquita  (esta filha de José Pereira de Mesquita  e dona Josefina Maria  da Silva Paranhos).

CASAMENTO  DE CUSTÓDIO PEREIRA  DE MESQUITA 
COM MARIA EMÍLIA RODRIGUES TEIXEIRA/1883

Na ligação genealógica  do casamento de João Antonio de Mesquita com   com Maria Emília  (Rodrigues) Teixeira,  em 07/11/1883.  Maria Emília filha  do casal  Capítão  José Rodrigues Teixeira (2° com este nome) e  Ephifania Simões  de  Paiva (ou Simões Teixeira   nome  de  casada), ambos tetra-avòs  materno de Gamaliel  Chagas (Chiquitinha  Maravilha). Sendo Gamaliel Sales Chagas, sobrinho trisavô materno, de Maria Emília  (todos matense), irmã dp m´dico político Antonio Rodrigues Teixeira, este  casado com Joana  Amélia Meireles  Viana, ambos   trisavôs materno de  Gamaliel Sales Chagas (Chiquitinha  Maravilha, todos  matenses).   
O matense, João Antonio de Mesquita, filho  do  falecido Capítão  Custódio  Pereira de Mesquita e  Sancha Maria de  Oliveira, Custódio Pereira  de Mesquita  parente, provavelmente irmão de  José Pereira de Mesquita, ele  casado com  Maria Joaquina da Silva Paranhos, pais de Tomazina Josefina (Josephina) de Mesquita, a esposa  do Desembargador  Tomás   Garcez  Paranhos Montenegro (o 1°  com este nome, ambos primos  carnais).
Fonte/ Livros de casamento e Batizado da   Igreja IBMAT.
***************************************************************************

.
NOTAS:
 Chiquitinha Maravilha
 O médico politico Dr. Antonio Rodrigues Teixeira  (trisavô maternos de Gamaliel), irmão de Maria  Emília  (Paiva ) Rodrigues Teixeira, do dr.  Américo  Rodrigues Teixeira, de Joaquim Simões  de Paiva ( seu nome    foi colocado em homenagem a  seu tio Joaquim Simões de Paiva, irmão  de sua mãe Maria  Ephifania Simões de Paiva, esta  casada em 1º nupcias  com o Capitão José Rodrigues Teixeira, o 2 com este nome,  e tetra avôs  materno  de Gamaliel Sales Chagas).
O Dr. Joaquim Simões  de Paiva,  casado com sua prima   Jerônima  Emília de Paiva.
Joaquim Simões  de Paiva (filho do 2º  capitão José  Rodrigues Teixeira e   Maria  Ephifania Simões de Paiva, ambos  tetra avôs  materno de Gamaliel.
Dr. Joaquim, irmãos do  médico político, Dr Antonio Rodrigues Teixeira  trisavô  materno de Chiquitinha  Maravilha,  ele foi  o 1º Intendente da Vila  de Mata  de São João 1890, ver sua biografia  no Blog Chiquitinha Maravilha).
Dr. Américo Rodrigues Teixeira avô de Antidoto Santos  Pereira  Teixeira, 80 anos residente  no Rio de janeiro, natural de Santo Amaro/Ba década  de 2010.
Custódio Pereira  de Mesquita, parente (provavelmente tio de Tomazina  Josephina de Mesquita Paranhos, esta filha  de José Pereira  de Mesquita e Josephina Maria da  Silva Paranhos, sendo  Thomazina  prima  carnal e esposa  do Desembargador Tomás  Garcez  Paranhos Montenegro (o 1°  com este nome).
José  Pereira  de  Mesquita  e   dona   Josephina   da  Silva  Paranhos,  descendente   do   Cap.  Thomas da Silva Paranhos.


FONTES BIOGRÁFICAS:
 BIOGRAFIA  DO DESEMBARGADOR TOMÁS MONTENEGRO
IBGE, Diário  Oficial do Estado da  Bahia  - Edição  Especial do Centenário da  Independência da Bahia- 02/07/1823, Livro de   batizados casamento IBMAT, Jornais   de Salvador    décadas   de  1890 a  1920. Wikipédia..
  
 Livro -   Histórias  Que  Não Contei,  p. 37, 38,  de  Sandra  Parente,  ano 2007,   editora Fast  Design,  Salvador/Ba. outras fontes não citadas.






Sábado dia 27/010/1984, no pátio da ONU na cidade Nova Yorque, antes da Corrida de 5 km para os maratonistas ...
CHIQUITINHAMARAVILHA.BLOGSPOT.COM

CurtirMostrar mais reações
Comentar






Nenhum comentário:

Postar um comentário