Foram apenas cinco dias, mas o suficiente para confirmar que há talentos do futebol espalhados por todo o Brasil. Na primeira convocação regional de 2017, a técnica Emily Lima, da Seleção Brasileira Feminina, observou jogadoras das regiões Sul e Sudeste e saiu satisfeita com o trabalho realizado com as 26 convocadas na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), entre os dias 6 e 10 de fevereiro.
– O balanço foi muito positivo. Ficamos muito satisfeitos com o que vimos, principalmente da parte técnica, que foi o que viemos para avaliar. Dentro do banco de dados, fizemos as avaliações físicas e temos muita coisa a melhorar não só com as meninas estreantes, mas até com as experientes. Queremos colocar na cabeça delas que elas precisam ser profissionais, ser atletas e não só jogadoras. Foi uma semana de muita repetição nesse sentido. Isso para ajudar não só para a Seleção Brasileira, mas nos clubes de cada uma – avaliou.
Emily também revelou como surgiu a iniciativa de testar talentos de todo o Brasil na Seleção Brasileira.
– A intenção da convocação de observação surgiu por uma ideia minha, do Julio, que é o analista de desempenho, e do Guilherme, o assistente. A gente começou a entender o que é o futebol feminino no Brasil. Encontramos 150 equipes dentro dos estaduais de cada Estado. Foram 19 competições estaduais no ano passado. É bastante coisa e isso nos chamou atenção. Então começamos a pensar em fazer por região e a planejar. A ideia foi aprovada e temos que aproveitar da melhor maneira possível – contou.
O objetivo do projeto vai além da busca por caras novas país afora. Com o novo sistema de observação da CBF, onde são armazenadas todas as informações dos atletas convocados, a iniciativa deixará um legado para o futebol feminino.
– Acredito que a gente consiga avaliar muitas meninas dentro dessas convocações de observação. E será uma avaliação que vai criar um banco de dados dentro do sistema de observação na CBF. Então, se nós sairmos da Seleção Brasileira, todas essas 26 atletas que foram convocadas dessa vez já estarão dentro do sistema de observação. E o próximo treinador ou treinadora que chegar já vai ter todo o histórico da atleta. Esse é o nosso objetivo: deixar também um legado para que o futebol feminino no país cresça, não somente com a Seleção Brasileira – concluiu a treinadora.
A próxima etapa de observação regional está prevista para agosto, quando jogadoras da Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará serão convocadas. Depois, em outubro, serão meninas do Piauí, Maranhão, Tocantins, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Na última etapa, em novembro, serão as atletas do Acre, Amazonas, Roraima, Amapá, Pará e Rondônia.