sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

FANTÁSTICO CARNAVAL DA BAHIA! XODÓ DOS TURISTAS DO PLANETA TERRA!,FOTOS E VÍDEOS.

CÚPULA DA  MOSTEIRO  DE SÃO BENTO  NA  BAHIA
 O matense,  poeta  Chiquitinha  Maravilha, poetizando e  contando  história  da Salvador, a Perola  Barroca das Américas, com fotos  e vídeos...   


SALVADOR, A PEROLA BARROCA DAS AMÉRICAS!
Chiquitinha Maravilha
Algumas das mais de 80 Estrofes da Poesia histórica da Cidade de Salvado da Bahia/ A Luz Documental, Inédita!!

"SALVADOR DAS FESTAS, PRAIAS, FORTES E FORTALEZAS.....
Salvador, com suas inúmeras festas populares e tradicionais
As festas da Conceição da Praia e Bom Jesus dos Navegantes
Bonfim, Ribeira, Iemanjá, Itapuã, carnaval! E outras mais
E que são festejadas! Com muita fé e alegrias contagiantes.
Salvador, com os seus dois faróis famosos, Sentinelas do mar!
Farol da Barra, Farol de Itapuã, emitindo luzes a iluminar
Águas da Baía de Todos os Santos! E as do Oceano Atlântico
Guiando rotas de pequenos navios! E grandes transatlânticos.
Salvador, uma cidade de praias exuberantes! Lindas e famosas
Ribeira, Penha, Bogarí, Boa Viagem, praias da Barra, Ondina
Rio Vermelho, Pituba, Armação, Artistas, Piatã e Amaralina
Praias de Itapuã, do Flamengo e outras praias maravilhosas.
Oh! Salvador com seus monumentos, estátuas e fortalezas
Simbolizando o seu passado histórico, repleto de grandezas
Completando o seu acervo cultural e preservando a memória
Da Bahia e do Brasil, unidos no seu passado, na sua história!
Oh! Tu és Salvador das águas do Dique do Tororó, embelezado
Pelas estátuas dos Orixás Africanos, adorados e idolatrados
Simbolizando, seu sincretismo religioso do presente, passado
De um povo que já foi preso e escravizados! Hoje libertados.
Praias de Itapuã! Com seus coqueirais poéticos a balançar
Espalhados simetricamente ao longo do mar e perto do farol
Itapuã de praias belas! Onde se pesca com as redes e anzol
Do banho gostoso de mar, do culto e das oferendas a Iemanjá."


Também na Praça da Sé se encontram no seu subsolo ruínas parte dos alicerces do antigo Colégio dos Jesuítas que aportaram em s...
CHIQUITINHAMARAVILHA.BLOGSPOT.COM
CurtirMostrar mais reações
ComentarDO CAMPO GRANDE, NA CIDADE  DE  SALVADOR DA BAHIA!!! POSTAGEM COM LINDAS FOTOS  E VÍDEOS,  CONTINUEM  ACESSANDO ESSA POSTAGEM..

**************************************
A programação do Carnaval de Salvador 2017 começou no dia 18 de fevereiro. Aqui no Portal Carnaval Salvador Bahia, você pode conferir todas as novidades e atrações desta festa.

O Carnaval da Bahia é a maior festa de participação popular do mundo. Apenas no Carnaval de Salvador, o evento atrai mais de 1 milhão de turistas.
Salvador é a capital do axé, ritmo da Bahia que caracteriza o Carnaval no Estado e foi originado na década de 50 por Dodô e Osmar, a partir de uma mistura do frevo Pernambucano e a guitarra elétrica. Os trios elétricos também são uma das principais marcas, eles percorrem os circuitos do carnaval levando renomados artistas nacionais.

O carnaval da Bahia é conhecido pela energia contagiante de sua folia. O público festeja em três principais circuitos: Dodô (Barra-Ondina), Osmar (Campo Grande-Avenida Sete) e Batatinha (Centro Histórico).

Os camarotes e a maioria dos blocos do carnaval de Salvador são pagos e para participar (com mais segurança e comodidade) é preciso comprar um abadá (camisa que garante a permanência dentro do bloco). Quem não pretende gastar muito, a melhor opção é acompanhar os blocos sem cordas e curtir a programação do Carnaval Pipoca.
Há ainda uma programação de carnaval descentralizada e alternativa no Palco do Rock, Villa Infantil e no Carnaval dos Bairros, que acontece em Cajazeiras, Periperi, Plataforma, Pau da Lima e em outras regiões.

A data de início da Programação do Carnaval de Salvador em 2017 é 18 de fevereiro. A festa vai até o dia 01 de março (quarta-feira de cinzas). Isto sem contar com as prévias de carnaval, que acontecem no Furdunço, entre outras


SALVADOR A PEROLA BARROCA DAS AMÉRICAS - SUA LINDA HISTÓRIA!


"Oh! Salvador a Cidade da música, teatro, pintura, museus,letras, artes
Do moderno Centro Administrativo, repleto de amplas avenidas de vales
Dos Viadutos, túneis, metrô, marina, ferrí, parque da cidade, e aeroporto,
Artesanato no famoso Mercado Modelo, o quebra-mar lá do cais do porto! "


"SALVADOR DAS FESTAS, PRAIAS, FORTES E FORTALEZAS.....

Salvador, com suas inúmeras festas populares e tradicionais
As festas da Conceição da Praia e Bom Jesus dos Navegantes
Bonfim, Ribeira, Iemanjá, Itapuã, carnaval! E outras mais
E que são festejadas! Com muita fé e alegrias contagiantes.

Salvador, com os seus dois faróis famosos, Sentinelas do mar!
Farol da Barra, Farol de Itapuã, emitindo luzes a iluminar
Águas da Baía de Todos os Santos! E as do Oceano Atlântico
Guiando rotas de pequenos navios! E grandes transatlânticos.

Salvador, uma cidade de praias exuberantes! Lindas e famosas
Ribeira, Penha, Bogarí, Boa Viagem, praias da Barra, Ondina
Rio Vermelho, Pituba, Armação, Artistas, Piatã e Amaralina
Praias de Itapuã, do Flamengo e outras praias maravilhosas.""
http://chiquitinhamaravilha.blogspot.com.br/.../salvador...                                                                                                               

Ver link acima, e leia a poesia completa com mais de 80 estrofes..
inédita a partir 1970...


VIDEOS



SALVADOR, A PEROLA BARROCA DAS AMÉRICAS!
Chiquitinha Maravilha



"PRIMITIVAS IGREJAS DE SALVADOR

Salvador, cidade abençoada, berço de todas as religiosidades
Com as suas inúmeras igrejas, diversos templos e irmandades
Onde todos têm seu espaço e pregam suas doutrinas, baseada
Nos ensinamentos e fundamentos! No livro da Bíblia Sagrada!

Axé! Abençoadas igrejas de Salvador, lindas joias seculares
Repletas de imagens Sacras, num valioso e histórico tesouro
Completadas pelo estilo nobre e harmonioso de seus altares
Ornamentadas por jacarandás, perobas, pinho, prata e ouro.

Em Salvador, no ano de mil quinhentos e trinta, foi erguida
A primitiva igreja da Graça! Sendo a primeira igreja construída
Nessa igreja Afonso Rodrigues e Madalena Alves aí se casou
Ano de mil quinhentos trinta e quatro! Este fato se registrou.

Salvador e suas igrejas, retratando a sua história colonial
Igreja da ajuda, erguida por Tomé de Souza, já foi catedral
Igreja de São Francisco, com seus alteres e capelas douradas
A Basílica da Sé, Piedade, Bonfim e outras igrejas edificadas.

Oh! Igrejas de Salvador, retratando a sua história colonial
Igreja da Ajuda, erguida por Tomé de Souza! Já foi Catedral
A primitiva igreja, feita de taipa e palha, mudou de local
Após ser demolida! Foi construída por Seabra, a igreja atual

Inaugurada em mil novecentos e vinte e três! No Centenário
Da Independência da Bahia, este glorioso templo doutrinário
Com a sua majestosa arquitetura, romana bizantina sem iguais
Com sua fachada de portas ornamentadas, belas, monumentais! "






CARNAVAL! AGITA FOLIÃO NA CID. DE TOMÉ DE SOUZA (SALVADOR-BA.) 26-2-17
YOUTUBE.COM
CurtirMostrar mais reações
Comentar


SALVADOR, A PEROLA BARROCA DAS AMÉRICAS!
Chiquitinha Maravilha

"SALVADOR DAS FESTAS, PRAIAS, FORTES E FORTALEZAS.....

Salvador, com suas inúmeras festas populares e tradicionais
As festas da Conceição da Praia e Bom Jesus dos Navegantes
Bonfim, Ribeira, Iemanjá, Itapuã, carnaval! E outras mais
E que são festejadas! Com muita fé e alegrias contagiantes.

Salvador, com os seus dois faróis famosos, Sentinelas do mar!
Farol da Barra, Farol de Itapuã, emitindo luzes a iluminar
Águas da Baía de Todos os Santos! E as do Oceano Atlântico
Guiando rotas de pequenos navios! E grandes transatlânticos.

Salvador, uma cidade de praias exuberantes! Lindas e famosas
Ribeira, Penha, Bogarí, Boa Viagem, praias da Barra, Ondina
Rio Vermelho, Pituba, Armação, Artistas, Piatã e Amaralina
Praias de Itapuã, do Flamengo e outras praias maravilhosas.

Oh! Salvador com seus monumentos, estátuas e fortalezas
Simbolizando o seu passado histórico, repleto de grandezas
Completando o seu acervo cultural e preservando a memória
Da Bahia e do Brasil, unidos no seu passado, na sua história!

Oh! Tu és Salvador das águas do Dique do Tororó, embelezado
Pelas estátuas dos Orixás Africanos, adorados e idolatrados
Simbolizando, seu sincretismo religioso do presente, passado
De um povo que já foi preso e escravizados! Hoje libertados.

Praias de Itapuã! Com seus coqueirais poéticos a balançar
Espalhados simetricamente ao longo do mar e perto do farol
Itapuã de praias belas! Onde se pesca com as redes e anzol
Do banho gostoso de mar, do culto e das oferendas a Iemanjá.







CARNAVAL NO CAMPO GRANDE/SALVADO/BA 26-02-17
YOUTUBE.COM

CurtirMostrar mais reações
Comentar



SALVADOR, A PEROLA BARROCA DAS AMÉRICAS!
Chiquitinha Maravilha



"A cidade está amanhecendo, os sinos repicando, um dia louvador!
O sol com seus raios, iluminando a sua gente alegre, sábia e gentil
Dessa cidade linda, barroca, folclórica! Tu és a majestosa Salvador
Cidade de passado glorioso! Orgulho da Bahia e da pátria amada Brasil

Vinte nove de março mil quinhentos quarenta e nove a fundação
Da cidade de Salvador, a sua data histórica! Dia de comemoração
Feriado municipal, com queima de fogos e missa ao amanhecer...
Os soteropolitanos saem as ruas, felizes, festejando até o anoitecer!

Da eterna Baía de Todos os Santos, berço, portal de Salvador
Aí desembarcou Tomé de Souza e da cidade foi o seu fundador
Por duzentos e quatorze anos sediamos com orgulho e esplendor
O estatus de primeira capital do Brasil, durante o período colonizador

Vinte e cinco de fevereiro, mil quinhentos e cinquenta e um, foi criado
Na cidade de Salvador a pedido do rei Dom João III, o primeiro bispado
Do Brasil! Foi nomeado para o nobre cargo, o notável Bacharel em teologia
O religioso Dom Pedro Fernandes Sardinha, no ano seguinte cargo assumia.

Oh! Que cidade hospitaleira é Salvador, a capital da Bahia!
Nesta terra boa do dendê, do gostoso acarajé, vatapá e caruru
Do negro afro, do berimbau, da capoeira e do sábio Caramurú
Em Salvador tudo é nato, espontâneo, é festas, magias, é fantasia.

Salvador, a pérola Barroca das Américas, cidade boa de viver
Tem cidade alta, tem cidade baixa! Interligadas pelas ladeiras
Túnel, viadutos, metrô, planos inclinados e pelo subir e descer
Do Elevador Lacerda, conhecido e admirado pela nação inteira."







CARNAVAL DA BAHIA PÇA CASTRO ALVES, vídeo dia 24-02-17, sábado, filmado e narrado por Chiquitinha Maravilha. SALVADOR, A PEROLA BARROCA DAS…
YOUTUBE.COM
Curtir

Comentar










CARNAVAL- SALVADOR-BA. C. GRANDE 24-2-17. FILMADO POR CHIQUITINHA MARAVILHA , CARNAVAL DA BAHIA, DOMINGO 26-02-17 http://chi…
YOUTUBE.COM
Curtir

Comentar




http://chiquitinhamaravilha.blogspot.com.br/p/salvador-pero

SALVADOR, A PEROLA BARROCA DAS AMÉRICAS!
Chiquitinha Maravilha

"A cidade está amanhecendo, os sinos repicando, um dia louvador!
O sol com seus raios, iluminando a sua gente alegre, sábia e gentil
Dessa cidade linda, barroca, folclórica! Tu és a majestosa Salvador
Cidade de passado glorioso! Orgulho da Bahia e da pátria amada Brasil


Vinte nove de março mil quinhentos quarenta e nove a fundação
Da cidade de Salvador, a sua data histórica! Dia de comemoração
Feriado municipal, com queima de fogos e missa ao amanhecer...
Os soteropolitanos saem as ruas, felizes, festejando até o anoitecer!


Da eterna Baía de Todos os Santos, berço, portal de Salvador
Aí desembarcou Tomé de Souza e da cidade foi o seu fundador
Por duzentos e quatorze anos sediamos com orgulho e esplendor
O estatus de primeira capital do Brasil, durante o período colonizador


Vinte e cinco de fevereiro, mil quinhentos e cinquenta e um, foi criado
Na cidade de Salvador a pedido do rei Dom João III, o primeiro bispado
Do Brasil! Foi nomeado para o nobre cargo, o notável Bacharel em teologia
O religioso Dom Pedro Fernandes Sardinha, no ano seguinte cargo assumia.


Oh! Que cidade hospitaleira é Salvador, a capital da Bahia!
Nesta terra boa do dendê, do gostoso acarajé, vatapá e caruru
Do negro afro, do berimbau, da capoeira e do sábio Caramurú
Em Salvador tudo é nato, espontâneo, é festas, magias, é fantasia.


Salvador, a pérola Barroca das Américas, cidade boa de viver
Tem cidade alta, tem cidade baixa! Interligadas pelas ladeiras
Túnel, viadutos, metrô, planos inclinados e pelo subir e descer
Do Elevador Lacerda, conhecido e admirado pela nação inteira."

Curtir



RIXÔ ELÉTRICO, UMA DAS ATRAÇÕES NA PÇA. DO TERREIRO DE JESUS - CIDADE DE SALVADOR DIA 25-02-17






CARNAVAL DA BA. TERREIRO DE JESUS, 25-2-17
YOUTUBE.COM
Curtir



ublicado em 28 de fev de 2017

TRIO TROPICÁLIA, C/CARLA PEREZ, CARNAVAL DE SALVADOR / 27/02/17
Vídeo narrado e filmado por Chiquitinha Maravilha, no circuito do Campo Grande, Passarela Nelson Maleiro, 11h50
Categoria...
Ver mais






TRIO TROPICÁLIA, C/CARLA PEREZ, CARNAVAL DE SALVADOR / 27/02/17 Vídeo narrado e filmado por…
YOUTUBE.COM
Curtir

Comentar
Comentários
Chiquitinha Maravilha SALVADOR A PEROLA BARROCA DAS AMÉRICAS - SUA LINDA HISTÓRIA!

"Oh! Salvador a Cidade da música, teatro, pintura, museus,letras, artes
Do moderno Centro Administrativo, repleto de amplas avenidas de vales
Dos Viadutos, túneis, metrô, marina, ferrí, parque da cidade, e aeroporto,
Artesanato no famoso Mercado Modelo, o quebra-mar lá do cais do porto!
"


"SALVADOR DAS FESTAS, PRAIAS, FORTES E FORTALEZAS.....

Salvador, com suas inúmeras festas populares e tradicionais
As festas da Conceição da Praia e Bom Jesus dos Navegantes
Bonfim, Ribeira, Iemanjá, Itapuã, carnaval! E outras mais
E que são festejadas! Com muita fé e alegrias contagiantes.



Salvador, com os seus dois faróis famosos, Sentinelas do mar!
Farol da Barra, Farol de Itapuã, emitindo luzes a iluminar
Águas da Baía de Todos os Santos! E as do Oceano Atlântico
Guiando rotas de pequenos navios! E grandes transatlânticos.

Salvador, uma cidade de praias exuberantes! Lindas e famosas
Ribeira, Penha, Bo
garí, Boa Viagem, praias da Barra, Ondina

Rio Vermelho, Pituba, Armação, Artistas, Piatã e Amaralina
Praias de Itapuã, do Flamengo e outras praias maravilhosas.""



http://chiquitinhamaravilha.blogspot.com.br/.../salvador... Ver link acima, e leia a poesia completa com mais de 80 estrofes..inédita a partir 1970...
CurtirResponder12 hEditado

"PRIMITIVAS  IGREJAS  DE  SALVADOR

Salvador,  cidade  abençoada,  berço  de  todas  as  religiosidades
Com  as  suas  inúmeras  igrejas,  diversos  templos  e  irmandades
Onde  todos  têm  seu  espaço  e  pregam  suas  doutrinas,  baseada
Nos  ensinamentos  e  fundamentos!  No  livro  da  Bíblia  Sagrada!

Axé!  Abençoadas  igrejas  de  Salvador,  lindas  joias  seculares
Repletas  de  imagens  Sacras,  num  valioso  e  histórico  tesouro
Completadas  pelo  estilo  nobre  e  harmonioso  de  seus  altares
Ornamentadas  por  jacarandás,  perobas,  pinho,  prata  e  ouro.

Em  Salvador,  no  ano  de  mil  quinhentos  e  trinta,  foi  erguida
A  primitiva  igreja  da  Graça!  Sendo  a  primeira  igreja  construída
Nessa  igreja  Afonso  Rodrigues  e  Madalena  Alves  aí  se  casou
Ano  de  mil  quinhentos  trinta  e  quatro!  Este  fato  se  registrou.

Salvador  e  suas  igrejas,  retratando  a  sua  história  colonial
Igreja  da  ajuda,  erguida  por  Tomé  de  Souza,  já  foi  catedral
Igreja  de  São  Francisco,  com  seus  alteres  e  capelas  douradas
A  Basílica  da  Sé,  Piedade,  Bonfim  e  outras  igrejas  edificadas.

Oh!  Igrejas  de  Salvador,  retratando  a  sua  história  colonial
Igreja  da  Ajuda,  erguida  por  Tomé  de  Souza!  Já  foi  Catedral
A  primitiva  igreja,  feita  de  taipa  e  palha,  mudou  de  local
Após  ser  demolida!  Foi  construída  por  Seabra,  a  igreja  atual

Inaugurada  em  mil  novecentos  e  vinte  e  três!  No  Centenário
Da  Independência  da  Bahia,  este  glorioso  templo  doutrinário
Com  a  sua  majestosa  arquitetura,  romana  bizantina  sem  iguais
Com  sua  fachada  de  portas  ornamentadas,  belas,  monumentais!

Igreja  e  Convento  do  Carmo!  Edificada  num  local  denominado
De  Monte  Calvário,  onde  nesse  local  havia  uma  antiga  Capela
De  Nossa  Senhora  da  Piedade!  Era  uma  Capela  vietuosa  e  bela
Pertencente  a  Francisco  Calafate,  a  Ordem  carmelitas  foi  doado

Em  mil  quinhentos  e  oitenta  e  seis!  A  Ordem  dos  Carmelitas
Chegou  em  Salvador,  e  tempo  depois,  fundou  igreja  e  convento
O  General  Bagnuoli,  herói  de  inúmeras  batalhas  e  conquistas
Na  Capela  da  Igreja  do  Carmo, aí  aconteceu  o  seu  sepultamento.

A  igreja  de  Santo  Antônio  Além  do  Carmo,  teve  sua  freguesia
Fundada  no  ano  mil  seiscentos  e  quarenta  e  sete!  Foi  criada
No  bispado  de  Dom  Pedro  da  Silva  Sampaio!  No  local  existia
Uma  Capelinha  antiga,  com  uma  imagem  bonita!  E  ornamentada.

Tu  és  Salvador!  o  Berço  da  cultura  e  da  educação  estudantil
Colégio  dos  jesuítas!  O  primeiro  Colégio  fundado  no  Brasil
No  ano  mil  quinhentos  e  quarenta  e  nove  pelo  padre  jesuíta
Manoel  da  Nóbrega!  Era  o  começo  da  educação  colonialista."


SALVADOR  NA  INDEPENDÊNCIA  DA  BAHIA

Participou  Salvador,  nas  lutas  pela  Independência  da  Bahia
Contra  ataques  dos  portugueses  aí  sediados,  que  nos  oprimia
Guimarães,  Labatut,  Cochrane,  Joaquim,  Caxias.. Eles  lideraram
Tropas  do Exército  Brasileiro,  e  contra tropas lusitanos  enfrentaram.

Dezenove  de  fevereiro,  mil  oitocentos  e  vinte  e  dois,  convento
Da  Lapa  em  Salvador,  soldados  lusitanos,  com  golpes  violentos
De  baionetas!  Matam  abadessa  Joana  Angélica  e  imediatamente,
A  coice  de  armas,  assassinam  o Capelão Daniel  Lisboa,  cruelmente!

Batalha  de  Pirajá,  combate  heroico!  Fato  inusitado  a  registrar
A  Legião  de  Osório,  com  a  vitória  quase  certa,  ia  logo  triunfar!
Barros  Facão,  ordena  ao  corneteiro  Luís  Lopes,  o  toque  de  retirar
O  Corneteiro  inverte!  Dá  o  toque  de  avançar,  Cavalaria  degolar!

Os  brasileiros  avançam!  Os  lusitanos  recuam,  vão  para  Cabrito
Vitória  brasileira!  O  corneteiro  Luís  Lopes  deixa  seu  nome  escrito
Na  história!  E  nesse  mesmo  dia, as tropas  de  Barros  Falcão  vencia
Tropas  lusitanas  na  batalha  de  Cabrito!  Com  garra  e  muita valentia !

Dois  de  julho!  Mil  oitocentos  e  vinte  e  três,  dia  de  muita  agitação
A  partir  das  quatro  horas  da  madrugada,  ouve-se  tiros  de  canhão
Disparados  lá  no  forte  Santo  Alberto  em  Salvador!  Era  o  sinal
Para  que  as  tropas  lusitanas,  embarcassem  nas  lanchas  nesse  local

Oitenta  e  seis  navios!  Ancorados  perto  do  forte  Santo  Alberto
Receberam  os  soldados  vindos  das  lanchas!  Além  de  comerciantes
E  de  vários  outros  lusitanos,  onde  todos  tinham um  destino  certo
Embarcaram  rapidamente!  Para  a  nação  portuguesa,  o  quanto  antes.

O  arcebispo  da  Bahia,  Fernando  da  Silva  Freire,  Vigário  e  Deão
Era  também,  o  membro  do  Governo  provisório  lusitano,  ele  partiu
Para  Lisboa  com  a  esquadra  de  Madeira  de  Melo,  temendo  repressão
Ameaçadoras e  das  Tropas  Brasileiras!  E  por  isso  o  arcebispo  fugiu

A  evacuação  lusitana  iniciou-se,  das  quatro  horas  da  madrugada
Até  as  duas  horas  da  tarde!  Quando  as  naus  partiram  carregadas
Com  muita  gente  e  objetos  valiosos!  Além  de  vários  documentos
Embarcou  Madeira  de  Melo,  para  Lisboa!  Na  fragata  Constituição

 Com a  partida  da  caravana  náutica  lusitana!  Estava  emancipada
Salvador  e  a  Bahia!  Tudo  eram  só  alegrias  e  festas  o  dia  inteiro!
Cochrane  nesse  mesmo  dia,  enviou  a  notícia  da  Bahia  libertada
Para  Dom  Pedro  I,  no  Rio  de  Janeiro  por  um  navio  mensageiro


http://chiquitinhamaravilha.blogspot.com.br/p/salvador-perola-barroca-das-americas_57.html

LARGO DO CAMPO GRANDE 
(Praça do Campo Grande, ou Praça. 2 de Julho..)   F. 25-02-17, Chiquitinha Maravilha.

Histórico
O Largo do Campo Grande, também conhecido como Praça 2 de Julho, é uma praça em Salvador. Surgido no início do século XIX, sofreu uma série de transformações urbanas no decorrer da sua história. Constitui-se em um dinâmico centro cultural, nomeadamente devido à presença de instituições como o Teatro Castro Alves (TCA) e o Teatro Vila Velha, de importantes colégios e de associações como a "Casa d'Itália" nas suas proximidades.[1] Em termos de empreendimentos hoteleiros, está situado na praça o Sheraton da Bahia Hotel, unidade baiana da rede estadunidense Sheraton Hotels & Resorts.[2]
Com árvores centenárias, situa-se após o "Corredor da Vitória" (parte da Avenida Sete de Setembro, que atravessa o bairro da Vitória), o Vale do Canela e o Canela, centralizando boa parte dos acessos que conduzem à "Cidade" - como é chamado o antigo centro de ruas comerciais.
Sua História
A sua origem está relacionada, no contexto da transferência da corte portuguesa para o Brasil, com a passagem da Família Real Portuguesa a Salvador (1808). Diferentemente de bairros mais antigos, neste, as casas foram construídas distantes dos lotes vizinhos e das vias públicas.
A praça do Campo Grande, primitivamente denominada como Campo de São Pedro, viria a ser palco de aguerridos combates durante os eventos que precederam as lutas pela Independência da Bahia, já em 1821, dada a vizinhança com o forte de São Pedro, praça disputada pelas vertentes em conflito no seio das tropas: brasileiros e portugueses.
Cortada ao meio por um profundo vale, foi somente ao final do século XIX, no governo republicano de Rodrigues Lima, que a praça foi ricamente ornamentada e recebeu a configuração que hoje ostenta, com monumentos grandiosos encomendados na França, evocando os heróis das lutas pela Independência da Bahia.
No início da década de 1980 o Campo Grande viu-se novamente transformado em palco de batalhas campais, desta feita entre os estudantes, contestando o aumento das passagens de ônibus, ocasião em que foram reprimidos pelas tropas da Polícia Militar, enviadas pelo então governador Antônio Carlos Magalhães (1981). Desde então, tem sido palco das grandes manifestações populares e reivindicatórias - como a gigantesca passeata do "Fora Collor", dez anos depois.

Monumento ao Caboclo

No centro do largo está o Monumento ao Caboclo, também chamado de Monumento ao Dois de Julho. É uma homenagem à Independência da Bahia, à figura de "O Caboclo", mas também incluindo alegorias em referência ao Rio São Francisco, à Cachoeira de Paulo Afonso e ao Rio Paraguaçu.[ Foi inaugurado em 1895.
Fonte Wikipédia texto).

TRIO ELÉTRICO, COM CARLA PEREZ
                                               PRAÇA 2 DE JULHO/CAMPO GRANDE - 11H30
                                                  História do Carnaval
Carnaval é um festival do cristianismo ocidental que ocorre antes da estação litúrgica da Quaresma.[2]Os principais eventos ocorrem tipicamente durante fevereiro ou início de março, durante o período historicamente conhecido como Tempo da Septuagésima (ou pré-quaresma). O Carnaval normalmente envolve uma festa pública e/ou desfile combinando alguns elementos circenses, máscaras e uma festa de rua pública. As pessoas usam trajes durante muitas dessas celebrações, permitindo-lhes perder a sua individualidade cotidiana e experimentar um sentido elevado de unidade social.[3]
O consumo excessivo de álcool,[4] de carne e outros alimentos proscritos durante a Quaresma é extremamente comum. Outras características comuns do carnaval incluem batalhas simuladas, como lutas de alimentos; sátira social e zombaria das autoridades e uma inversão geral das regras e normas do dia-a-dia.[3][5]
O termo Carnaval é tradicionalmente usado em áreas com uma grande presença católica. No entanto, as Filipinas, um país predominantemente católico romano, não comemora mais o Carnaval desde a dissolução da festa de Manila em 1939, o último carnaval no país. Nos países historicamente luteranos, a celebração é conhecida como Fastelavn[6][7] e em áreas com uma alta concentração de anglicanos e metodistas, as celebrações pré-quaresmais, juntamente com observâncias penitenciais, ocorrem na terça-feira de carnaval.[8] Nas nações eslavas ortodoxas orientais, o Maslenitsa é celebrado durante a última semana antes da Grande Quaresma. Na Europa de língua alemã e nos Países Baixos, a temporada de Carnaval tradicionalmente abre no 11/11 (muitas vezes às 11:11 a.m.). Isto remonta a celebrações antes da época de Advento ou com celebrações de colheita da Festa de São Martinho.
O Carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do século XX.[9] A cidade de Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo. Cidades como NiceSanta Cruz de TenerifeNova OrleansToronto e Rio de Janeiro se inspiraram no Carnaval parisiense para implantar suas novas festas carnavalescas. Já o Rio de Janeiro criou e exportou o estilo de fazer carnaval com desfiles de escolas de samba para outras cidades do mundo, como São PauloTóquio e Helsinque.
Fonte Wikipedia (Ver mas  no link Google  Wikipédia)
GALERIA  DE FOTOS  NO ENTRO HISTÓRICO DE  SALVADOR 25-02-17 /SÁBADO
             PALÁCIO  RIO BRANCO NA PÇA, TOMÉ DE SOUZA - SALVADOR  25-02-17


O antigo Palácio antes do bombardeio de 1912, quando foi parcialmente destruído e foi incendiada a primeira biblioteca pública do Brasil, instalada na ala direita do Palácio. Foi uma incalculável perda histórica para o País, em que preciosos documentos foram perdidos.

              PALÁCIO  RIO BRANCO NA PRAÇA, TOMÉ DE SOUZA - SALVADOR  25-02-17

PRAÇA GOVERNADOR TOMÉ DE SOUZA
A Praça Tomé de Sousa (também conhecida como Praça Municipal) é uma praça localizada no Centro Histórico de Salvador, onde existem muitos prédios públicos da cidade, como o Palácio Tomé de Sousa (atual sede da Prefeitura), Palácio Rio Branco (antiga sede do governo da Bahia), Câmara de Vereadores de Salvador, dentre outros. É conhecida por abrigar uma estátua do primeiro governador-geral do BrasilTomé de Sousa, reunindo muitas pessoas. Ao fundo encontra-se o Elevador Lacerda e uma vista da baía de Todos os Santos.

História

Antigamente conhecida como Praça da Parada, onde aconteciam as paradas militares, a Praça Tomé de Sousa é considerada o berço da civilização brasileira pois ela foi a primeira praça de Salvador, onde o primeiro governador-geral e do Brasil Colônia (Tomé de Sousa), em 1549, reuniu todos os prédios públicos. Com isso, a Praça Tomé de Sousa foi o primeiro espaço criado com a finalidade de concentrar os prédios da administração pública, construídos no século XVI com paredes de taipas cobertas de palhas pelo mestre de pedraria Luís Dias. Fonte Wikipedia


                               EDIFÍCIO DO ELEVADOR LACERDA, NA PRAÇA. TOMÉ  DE SOUZA

ELEVADOR DA LACERDA

O Elevador Lacerda é um símbolo da cidade de dois andares chamada de Salvador, um dos mais conhecidos cartões portais da Bahia. Apesar de secular, é um conjunto moderno, que recebeu várias reformas ao longo dos anos.
Foi o primeiro elevador no mundo a servir de transporte público e o mais alto desse tipo, quando foi inaugurado, em 8 de dezembro de 1873, dia de N.S. da Conceição da Praia. A receita desse primeiro dia de funcionamento (477$800) foi doada ao Asilo dos Expostos da Santa Casa da Misericórdia.
Liga a Praça Tomé de Sousa, na Cidade Alta, à Praça Cayru, no bairro do Comércio. Possui duas torres, quatro cabines e 73,5 metros de altura. Tem capacidade total para 128 pessoas, nas quatro cabines, e a viagem dura 22 segundos. Transporta, em média, mais de 750 mil pessoas por mês, funcionando 24 horas por dia.
O uso de ascensores em Salvador é uma tradição secular. Já no início do século 17 usava-se uma espécie de guindaste para transportar mercadorias do porto à cidade alta. Outros elevadores e planos inclinados foram construídos na cidade posteriormente.
O Elevador Lacerda foi idealizado pelo empresário Antonio de Lacerda (1834-1885), construído com a ajuda de seu irmão, o engenheiro Augusto Frederico de Lacerda e financiado por seu pai Antônio Francisco de Lacerda. Os dois irmãos, Augusto e Antônio de Lacerda estudaram engenharia no tradicional Rensselaer Polytechnic Institute, em Nova York, mas Antônio retornou ao Brasil antes de completar o curso.
A construção foi iniciada em 1869, sendo um grande desafio de engenharia para a época. Foi necessário a perfuração de dois túneis em rocha, um vertical, para abrigar a primeira torre, e outro horizontal, para dar acesso à rua. Foi inaugurado em 1873, com o nome de Elevador Hydraulico da Conceição da Praia, com apenas uma torre, popularmente chamado de Elevador do Parafuso. Usava equipamentos da companhia inglesa Hoisting Machinery.
O Elevador da Conceição foi um sucesso da engenharia, mas não deu lucro ao seu criador. Em 1896, o Elevador passou a se chamar Elevador Antônio de Lacerda, por indicação do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia. Em 1906, foi reformado para adotar um sistema elétrico e sua torre tornou-se mais larga, na base.
A segunda torre (a que se projeta para a frente) foi inaugurada em 7 de setembro em 1930, juntamente com uma reforma geral, em que o conjunto arquitetônico ganhou seu estilo em art déco. Era uma condição para a concessão dos serviços a uma empresa estadunidense. As duas torres são ligadas por uma plataforma de 71 m de vão, que passa alto sobre a Ladeira da Montanha, outro grande desafio de engenharia do século 19.
A Otis participou da ampliação de 1930 com a instalação de dois ascensores. Em 1932, a empresa estadunidense anunciou seu feito na Fortune Magazine, revelando que no primeiro dia de operação plena foram transportadas 24 mil pessoas.

Em 1955, o Elevador foi estatizado pela Prefeitura. Em 1º de julho 1961, novos elevadores da Otis foram inaugurados, mais rápidos e dobrando a capacidade por cabine de 16 para 32 pessoas. Em 2006, foi tombado pelo Iphan.
 Fonte Guia Geográfico da Bahia.
 Fonte / Fotos no Guia Geográfico da Bahia.



"Salvador, a pérola Barroca das Américas, cidade boa de viver
Tem cidade alta, tem cidade baixa! Interligadas pelas ladeiras
Túnel, viadutos, metrô, planos inclinados e pelo subir e descer

Do Elevador Lacerda, conhecido e admirado pela nação inteira."

Estrofe  acima, da Poesia de Chiquitinha Maravilha 1970 -
 Salvador, A Perola Barroca das Américas!...


                    EDIFÍCIO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR, PALÁCIO  TOMÉ DE SOUZA


Palácio Tomé de Sousa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre
.

Palácio Tomé de Sousa, sede da prefeitura de Salvador.
O Palácio Tomé de Sousa é a atual sede da prefeitura da cidade de Salvador, capital da Bahia. Está localizado na praça homônima, no coração do seu centro urbano. Projetado pelo arquiteto carioca João Filgueiras Lima, o "Lelé", e construído em estrutura de aço e vidro, numa área de 2 mil metros quadrados onde antes funcionavam um estacionamento e um jardim, suas obras iniciaram oficialmente em 2 de maio de 1986 e foram concluídas em 16 do mesmo mês, sendo inauguradas pelo então prefeito Mário Kertész.
Para este fim, o prefeito transferiu a prefeitura do Solar da Boa Vista, no Engenho Velho de Brotas, para a Praça Tomé de Sousa. A ideia inicial do projeto era para ser um prédio que abrigaria provisoriamente a prefeitura, por ser desmontável, segundo solicitação do prefeito ao IPHAN, onde argumentava que o destino final da prefeitura seria um dos casarões abandonados do local. No entanto, durante os seus 23 anos de existência acabou sendo sede permanente do órgão máximo do Poder Executivo da primeira capital do Brasil.
O que "Lelé" providenciou foi uma construção provisória e emergencial para sediar a Prefeitura. Cabia ser algo de rápido desenho e execução, mais a exigência de se desfazer, determinada a locação definitiva da Prefeitura. De fato, a estrutura metálica foi feita em 35 dias, e executada em 14 dias.
Para construir o palácio em estilo moderno, o prefeito Mário Kertész pediu ajuda ao seu amigo arquiteto, que desenvolveu para a obra uma técnica especial de placas de aço parafusadas, tudo calculado milimetricamente para se encaixar, e de outras 24 horas para colocar 350 metros quadrados de vidros e esquadrias. O prédio de dois andares, encravado na primeira praça do Brasil, convive com outras construções de épocas diferentes: o Palácio Rio Branco, o Elevador Lacerda e a Câmara Municipal de Salvador.
À direita do Palácio Tomé de Sousa, foi posta uma placa referente à sua inauguração, fabricada em aço e com os seguintes dizeres em baixo relevo:
"Foi desta praça, a cavaleiro do Atlântico, que se irradiou o processo civilizatório brasileiro. Aqui Tomé de Sousa fez erguer nossa Praça Mater.
A volta da Prefeitura Municipal do Salvador a este sítio histórico é o marco inaugural de um novo Projeto de Cidade, em direção à aventura do século XXI.
Salvador,16 de maio de 1986.
Prefeito Mário Kertész.O que se seguiu é reincidente no Brasil: o provisório permaneceu, cessada a pressão mais imediata.

                                                MERCADO MODELO NA CIDADE BAIXA
O Mercado Modelo é um mercado de artesanato localizado na cidade de Salvador, estado da Bahia, no Brasil. Situado no bairro do Comércio, uma das zonas comerciais mais antigas e tradicionais de Salvador. Constitui-se em importante atração turística, visitado por 80% dos turistas da cidade.[1] Diante da Baía de Todos os Santos, é vizinho do Elevador Lacerda e do Centro Histórico (que inclui o Pelourinho). Em arquitetura do estilo neoclássico, a edificação é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).[1]
Com 8.410 metros quadrados e dois pavimentos, abriga 263 lojas que oferecem a maior variedade de artesanato, presentes e lembranças da Bahia,[1] contando com dois dos mais tradicionais restaurantes de culinária baiana, o Maria de São Pedro, com oitenta anos de existência e o Camafeu de Oxossi.
A HISTÓRIA
Inaugurado em 1912, o Mercado Modelo surgiu pela necessidade de um centro de abastecimento na Cidade Baixa de Salvador. Entre a Alfândega e o largo da Conceição, constituía-se em um centro comercial onde era possível adquirir itens tão variados como hortifrutigranjeiros, cereais, animais, charutoscachaças e artigos para o Candomblé.
Era servido pela rampa que leva o seu nome, antigo porto dos saveiros que atravessavam a baía de Todos os Santos.
Em 1969 foi vítima do mais violento incêndio de sua história, a tal ponto que se tornou necessária a demolição do antigo imóvel. A partir de 2 de Fevereiro de 1971, passou a ocupar o edifício da 3º Alfândega de Salvador, uma construção de 1861 em estilo neoclássico, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). No local, onde funcionava o primitivo Mercado, foi erguida uma escultura de Mário Cravo Junior.
Um novo incêndio que lhe destruiu as instalações levou a uma extensa reforma do edifício, em 1984, permitindo a sua reinauguração.Fonte Wikipédia
Bairro do Comércio no século XIX, ao centro o prédio quando funcionava como alfândega.


Brasão do município de Salvador.

FORTE DO MAR (FORTE SÃO MARCELO, SALVADR DA BAHIA)

Antecedentes

A primitiva concepção desta fortificação remonta a 1608 com risco do engenheiro-mor e dirigente das obras de fortificação do Brasil, Francisco de Frias da Mesquita. Alguns autores, porém, atribuem o seu risco inicial ao engenheiro-mor de Portugal, o cremonense Leonardo Torriani, em 1605. Encontra-se figurada por João Teixeira Albernaz, o velho em "um retângulo de pergaminho em que se vê o projeto de edifício e do forte sobre a lajem do porto, que se há de fazer. Quem soerguer este retângulo de pergaminho vê a dita lajem desenhada na folha maior", a ser artilhado com seis peças, no formato de polígono quadrangular regular.[2]Num outro exemplar da mesma obra, o referido projeto já está definitivamente incorporado ao desenho da planta,[3] o que indica que o início da sua construção é posterior a 1612.
Terminado em 1623, no Governo-Geral de D. Diogo de Mendonça Furtado (1621-1624), esteve inicialmente artilhado com dezenove peças de diversos calibres.[4] Durante a invasão holandesa de 1624, foi a primeira praça ocupada pelos conquistadores, que dele dispararam as balas incendiárias que aterrorizaram os moradores da cidade, facilitando a invasão. Anos mais tarde, entre abril e maio de 1638, durante a tentativa de invasão do Conde Johan Maurits van Nassau-Siegen (1604-1679), também teve papel decisivo, logrando manter a esquadra holandesa a distância.

Século XVII

Dentro do contexto da Guerra da Restauração da independência de Portugal, e da campanha pela expulsão dos neerlandeses da Região Nordeste do Brasil (Insurreição Pernambucana), a reconstrução deste forte foi determinada pela Carta-régia de 4 de outubro de 1650,[5] durante o Governo-Geral de João Rodrigues de Vasconcelos e Sousa (1649-1654), atendendo o (...) quanto convinha fazer-se um forte no baixo surgidouro dessa Bahia, reforçando a defesa proporcionada pela Bateria da Ribeira, o Forte de São Paulo da Gamboa e o Forte de São Pedro, com os quais cruzava fogos.
Com risco e técnicas vindas do reino, possivelmente inspirado no Forte de São Lourenço do Bugio (onde se desenvolvia nova etapa construtiva entre 1643-1657), a nova obra, a cargo do engenheiro francês Filipe Guiton, iniciou-se ainda em 1650, pela construção de um enrocamento em torno do recife, com pedras de arenito extraídas da pedreira da Preguiça (no Sodré) e de Itapagipe, transportadas em barcaças. Concluído em 1652, o interior do enrocamento passou a ser preenchido com pedra calcária oriunda do lastro dos navios do Reino, aqui carregados com açúcar e madeira de lei. Guiton trabalhou nestas obras até falecer, em 1656. Nesta altura, iniciava-se a muralha do torreão em pedra de granito, oriundo do Recôncavo baiano. No ano seguinte (1657), o seu conterrâneo Pedro Garcin, que até então trabalhava nas fortificações da capitania de Pernambuco, assumiu as obras deste forte. Uma notícia, datada de 1661, quando o forte passou à invocação de São Marcelo, dá conta de que a muralha do torreão central ainda se encontrava incompleta, faltando um lance para atingir a altura projetada, concluída no ano seguinte, quando se erguia a 15 metros acima do nível do mar. Em 1664 encontravam-se em progresso a cisterna ao centro do torreão e os compartimentos dos doze quartéis, com as entradas voltadas para o exterior, onde as barcaças seguiam despejando as pedras que formavam o terrapleno circular envolvente. No ano de 1670 um relatório, dirigido ao governador-geral Afonso Furtado de Castro do Rio de Mendonça (1671-1675), dava conta do progresso dos trabalhos no Forte de Nossa Senhora do Pópulo. Nesta ocasião, o engenheiro militar Antônio Correia Pinto inspecionou as obras e passou a dirigir os trabalhos de construção, sendo o perímetro do terrapleno envolvente aumentado para cerca de 220 metros de circunferência

SÉCULO XVIII


Perfil e planta do Forte do Mar num desenho 
Perfil e planta do Forte do Mar, nn desenho d José anonio Caldas (c. 1758).

Um pouco antes da invasão francesa de Jean-François Duclerc ao Rio de Janeiro (Agosto-Setembro de 1710), expondo as fragilidades da defesa colonial, um relatório de 17 de Junho desse ano, de autoria do mestre-de-campo de Infantaria, Miguel Pereira da Costa, criticava o projeto executado no forte do Pópulo, propondo soluções. No escopo do projeto de defesa de Salvador da autoria do Brigadeiro João Massé (1713), eram propostas novas modificações para aumento do poder de fogo deste forte. Atendendo a essas sugestões, em 1717, o vice-rei D. Pedro Antônio de Noronha Albuquerque e Sousa (1714-1718), iniciou-lhe trabalhos de ampliação do terrapleno envolvente aumentado em cerca de meio metro de altura e para cerca 241 metros de circunferência, estando concluídos com as novas canhoneiras do torreão ("bateria alta") e da plataforma do terrapleno ("bateria baixa"), em 1728, no governo do vice-Rei e Capitão-General-de-Mar-e-Terra do Estado do Brasil, D. Vasco Fernandes César de Meneses (1720-1735), conforme placa epigráfica sobre o portão de entrada.

O forte encontra-se representado em iconografia do Capitão José António Caldas na "Notícia Geral de toda esta Capitania da Bahia desde o descobrimento até o prez.te ano de 1759", quando se encontrava artilhado com cinquenta e quatro peças de ferro e bronze de diversos calibres.[6]

Trabalhos de reforma são concluídos nas dependências do forte em 16 de agosto de 1772. Encontra-se representado numa iconografia de Carlos Julião, sob o nome de "4. Forte do Mar",[7] ilustrada com os desenhos de trajes típicos femininos, novamente com o perfil da cidade do Salvador, pelo capitão José Francisco de Sousa (1782), e também, em iconografia de Luiz dos Santos Vilhena (1798).

Característica:

Com uma área total construída de 2.500 metros quadrados, o seu projeto original, em estilo renascentista, visava melhor resistir às correntes e às marés, permitindo o tiro em qualquer direção na defesa da cidade e porto do Salvador, cruzando fogos com o Fortim de São Fernando (que deu lugar ao prédio da Associação Comercial em 1818) e ao Forte de São Paulo da Gamboa.

A sua estrutura, em cantaria de arenito até a linha d'água e o restante em alvenaria de pedra irregular, é integrada por um torreão central com planta em forma circular com as dimensões de 15 metros de altura por 36 metros de diâmetro (cerca de 145 metros de circunferência), um pátio de 10 metros de largura, que separa a torre de um anel perimetral de planta aproximadamente circular (achatada na direção leste voltada para a cidade) com 15 metros de largura (cerca de 241 metros de circunferência). O piso do anel perimetral tem altura de 15 metros acima do terrapleno (exceto na direção leste voltada para a cidade que é de 12 metros, unidos por duas rampas opostas, a Norte e a Sul). Até 1810 o Forte era formado por um torreão central guarnecido por troneiras e um terrapleno com troneiras que o circundava. Essa disposição o tornava vulnerável, pois a pequena altura do torreão tornava a bateria da praça alta de tiro um alvo fácil das embarcações inimigas. Sob o torreão ficam a cisterna, o calabouço, a capela, o armazém da pólvora e os quartéis que a partir da construção da nova praça alta de tiro sobre o terrapleno perimetral se transformaram em celas. Sobre a nova construção ficam o corpo da guarda, a cozinha e os quartéis da guarda e do comandante. Estas salas, retangulares, têm cobertura em abóbada de berço, e, exceto as situadas à direita do portão de entrada, não tem comunicação entre si, apenas o vão da porta que se abre para o corredor circular separando o anel perimetral do terrapleno centra.. Ver Fonte Wikipédia.
     Majestoso,  notável,  Forte  de São Marcelo, edificado n seculo XVII, Baía  de Todos os Santos. local  de  histórias, lendas .......  
 Mercado Modelo e  ao fundo Forte  de São Marcelo, edificado n seculo XVII, Baía  de Todos os Santos.
                                         Marinha  do Brasil, na  Cidade Baixa  de Salvador
                                     AVENIDA SETE  DE SETEMBRO - SALVADOR
                                 AVENIDA SETE  DE SETEMBRO - SALVADOR
                                          AVENIDA SETE  DE SETEMBRO - SALVADOR
                                       CAMPO GRANDE /PASSARELA NELSON MALEIRO
                                                   CAMPO GRANDE/ SALVADOR/BAHIA

TRIO ELÉTRICO
Trio elétrico é o nome pelo qual, no Brasil, é chamado o caminhão adaptado com aparelhos de sonorização para a apresentação de música ao vivo, através de alto-falantes, em que são executados sambafrevos e outros ritmos.[1] É um dos maiores fenômenos de massa do Brasil.[2]
Teve sua origem em Salvador, no ano de 1950 e, ao longo das décadas, evoluiu ao ponto de se tornar um dos grandes atrativos do Carnaval da Bahia e outras festas do país.

Funcionamento

O trio elétrico basicamente funciona alimentado por gerador de energia instalado no próprio trio, permitindo sua autonomia e movimentação durante a apresentação. O áudio captado através dos microfônes dos músicos e instrumentos, e dos demais instrumentos eletrônicos (guitarras, etc.), é mixado pela “mesa de som”, processado nos periféricos (equalização, cortes, efeitos, supressão de ruídos, etc.), amplificado através dos amplificadores, que consomem a energia do gerador para converter o sinal de áudio em grandes tensões que alimentam os alto-falantes e drivers, os quais por sua vez reproduzem o áudio com grande potência, acoplados a caixas acústicas e cornetas, que são responsáveis pelo direcionamento e alcance do som.
Atualmente os maiores trios do mercado são dotados de dois geradores, sendo um principal e um reserva, com controles e chaveamento eletrônicos, conferindo segurança durante os eventos. Os microfones são de altíssima qualidade, com captação perfeita e mínima distorção. As mesas de som, processadores e amplificadores são digitais, onde o equipamento basicamente é um computador de alta capacidade, que permite uma extrema qualidade e definição do som, com mínimas distorções e ruídos. Os alto-falantes utilizam materiais mais leves, gerando menos aquecimento e distorções. O projeto acústico das caixas de som evoluiu muito, gerando maior alcance, otimização da resposta às freqüências e minimização dos cancelamentos. O resultado desta combinação são trios com altíssimo volume sonoro, porém sem distorções, ruídos e freqüências “estridentes”, gerando som agradável, bem distribuído em todo o entorno do trio, e com longo alcance. Fonte Wikipédia (Ver complemento da texto no Wikipedia).


                                         Estatua  de Dodô e Osmar, os inventores  do Trio  Elétrico
                CAMAROTE/STUDIO DA IMPRENSA, NA PASSARELA NELSON MALEIRO

                             GARIS  NA  PASSARELA  NELSON MALEIRO, CAMPO GRANDE
                                CAMPO GRANDE,  ARQUIBANCADA  CARNAVALESCA
                                       CAMPO GRANDE /  CIDADE DE SALVADOR
                                                   AVENIDA SETE DE SETEMBRO
                                                      IGREJA  E SÃO PEDRO NOVO!


As origens da Igreja de São Pedro, em Salvador, remontam ao século 16. A primitiva capela de São Pedro foi construída em 1554, por ordem de D. Pero Fernandes Sardinha, o primeiro bispo do Brasil. Ficava junto ao Forte de São Pedro, cujo nome herdou daquela Capela.
Em 1679, foi criada a Paróquia de São Pedro Velho Extramuros, fora dos muros da Cidade, pelo arcebispo Dom Gaspar Barata de Mendonça.
Em 1691, iniciou-se as negociações para a construção da igreja matriz da Freguesia de São Pedro. Em dezembro de 1692, o rei de Portugal Dom Pedro II ordenou a construção do segundo templo, no local onde hoje fica o monumento ao Barão do Rio Branco, no Calçadão de São Pedro. Foi inaugurado no início do século 18, recebendo o altar e a imaginária da antiga capela, que foi, então, demolida em 1723.
Em 1912, o governador J. J. Seabra desapropriou a Igreja para abrir a Avenida Sete de Setembro. A triste demolição começou em maio de 1913.

A atual Igreja Matriz da Paróquia de São Pedro é o terceiro templo dessa Igreja histórica e começou a ser construída em junho de 1916. Foi inaugurada em 2 de dezembro de 1917, três anos após a demolição da antiga Igreja de São Pedro. A atual imagem de São Pedro, do altar-mor, é provavelmente do século 18. Fica na Praça da Piedade, Centro. Site oficial da Paróquia de São Pedro.
A atual Igreja de São Pedro, na Piedade, inaugurada em 1917. É a igreja matriz da Paróquia de São Pedro.
        IGREJA  DE N. SENHORA DA PIEDADE, BELA, HISTÓRICA, MARAVILHOSA!!
A Praça da Piedade localiza-se no centro histórico da cidade de Salvador, estado da Bahia, no Brasil.
A origem do nome se explica pelo seu uso. Era o local onde presos seriam executados, como foi o caso dos cabeças da Revolta dos Alfaiates, em 1799. Os condenados à forca eram levados a pé do Paço Municipal, onde ficava a cadeia, passavam pela rua Carlos Gomes até chegar à rua da Forca. Até hoje a rua que fica em frente à entrada principal da Piedade, guarda esse nome.
Servida pelas Avenidas 7 de Setembro e Joana Angélica, é um dos principais e mais antigos logradouros soteropolitanos, tomando o seu nome da bela e imponente catedral nela localizada, sob a invocação de Nossa Senhora da Piedade.
Além da belíssima Catedral de Nossa Senhora da Piedade, há também a Igreja de São Pedro.
Na "Piedade", como é carinhosamente conhecida pelos baianos, também está localizado o Gabinete Português de Leitura, a Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal da Bahia (UFBA), a antiga sede da Secretaria Estadual de Segurança Pública
, além de transversais que para ela confluem levando à Estação da Lapa (unidade central de transporte urbano), o Shopping Piedade, e todo o vicejante comércio popular que gravita em torno.
Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB), secular instituição, também se situa em suas imediações
História
A praça está implantada próximo ao local onde, em época colonial, havia um dos portões que se rasgavam nas muralhas da então Capital do Estado do Brasil.
Constituíndo-se, no século XVIII, na principal praça da cidade, aí foram executados, a 8 de novembro de 1799, os quatro condenados da Conjuração baiana, aí tendo ficado expostas a cabeça e as mãos de Luís Gonzaga das Virgens, autor de panfletos que pregavam a independência da Bahia e a abolição da escravatura.
Freqüente local de manifestações populares e políticas, já nas lutas que precederam a guerra pela Independência da Bahia a Piedade foi palco de embates, dentre os quais aquele que veio a vitimar a abadessa Joana Angélica, no Convento da Lapa.
Mais tarde, novos combates capitaneados pelo grande tribuno baiano Cezar Zama tiveram lugar nesta praça, morrendo muitos populares no movimento que culminou com a derrubada do governador José Gonçalves da Silva, quando este apoiara o golpe de estado promovido por Deodoro da Fonseca, no final do século XIX.
No século XX, nas décadas de 1970 e de 1980 a praça viveu momentos de abandono e de insegurança, com franca deterioração, que vitimou os tradicionais camaleões que ali habitavam. Restaurada, voltou a ser palco de movimentado fluxo de pessoas, descanso e encontro de moradores idosos.
Parte do chamado Circuito do Carnaval da Capital da Bahia, a Praça da Piedade continua um dos principais logradouros de Salvador.
Fonte Wikipédia 

            IGREJA  DE N. SENHORA DA PIEDADE, BELA, HISTÓRICA, MARAVILHOSA!!
                            O REAL GABINETE DE LEITURAS PORTUGUESA DA BAHIA
História
A instituição foi fundada em 1837 por um grupo de quarenta e três imigrantes portugueses, refugiados políticos, para promover a cultura entre a comunidade portuguesa na então capital do Império. Foi a primeira associação desta comunidade na cidade.[1]
edifício da atual sede, projetado pelo arquiteto português Rafael da Silva e Castro, foi erguido entre 1880 e 1887 em estilo neomanuelino. Este estilo arquitetônico evoca o exuberante estilo gótico-renascentista vigente à época dos Descobrimentos portugueses, denominado como manuelino em Portugal por haver coincidido com o reinado de D. Manuel I (1495-1521).[2]
O Imperador D. Pedro II (1831-1889) lançou a pedra fundamental do edifício em 10 de junho de 1880, e sua filha, a Princesa Isabel, junto com seu marido, o Conde d'Eu, inauguraram-no em 10 de setembro de 1887.[carece de fontes]
fachada, inspirada no Mosteiro dos Jerónimos de Lisboa, foi trabalhada por Germano José Salle em pedra de lioz em Lisboa e trazida de navio para o Rio. As quatro estátuas que a adornam retratam, respectivamente, Pedro Álvares CabralLuís de CamõesInfante D. Henrique e Vasco da Gama. Os medalhões da fachada retratam, respectivamente, os escritores Fernão LopesGil VicenteAlexandre Herculano e Almeida Garrett.[carece de fontes]
O interior também segue o estilo neomanuelino nas portadas, estantes de madeira para os livros e monumentos comemorativos. O teto do Salão de Leitura tem um belo candelabro e uma claraboia em estrutura de ferro, o primeiro exemplar desse tipo de arquitetura no Brasil. O salão possui também um belíssimo monumento de pratamarfim e mármore (o Altar da Pátria), de 1,7 metros de altura, que celebra a época dos descobrimentos, realizado na Casa Reis & Filhos no Porto pelo ourives António Maria Ribeiro, e adquirido em 1923 pelo Real Gabinete.[carece de fontes]
Aberta ao público desde 1900, a biblioteca do Real Gabinete possui a maior coleção de obras portuguesas fora de Portugal. Entre os cerca de 350 000 volumes, nacionais e estrangeiros, encontram-se obras raras como um exemplar da edição "princeps" de Os Lusíadas de Camões (1572), as Ordenações de D. Manuel (1521), os Capitolos de Cortes e Leys que sobre alguns delles fizeram (1539), a Verdadeira informaçam das terras do Preste Joam, segundo vio e escreveo ho padre Francisco Alvarez (1540), um manuscrito da comédia "Tu, só tu, puro amor" de Machado de Assis, e muitas outras. Anualmente, recebe cerca de seis mil títulos de Portugal. Há também uma importante coleção de pinturas de José MalhoaCarlos ReisOswaldo TeixeiraEduardo Malta e Henrique Medina. Diariamente, recebe, em média, cento e cinquenta visitantes. Entre os seus visitantes ilustres, do passado, encontram-se os nomes de Machado de AssisOlavo Bilac e João do Rio.[carece de fontes]
O Real Gabinete edita a revista Convergência Lusíada (semestral) e promove cursos sobre LiteraturaLíngua PortuguesaHistóriaAntropologia e Artes, destinados principalmente a estudantes universitários.[carece de fontes]
A história da Academia Brasileira de Letras está ligada à do Real Gabinete, uma vez que as cinco primeiras sessões solenes da Academia, sob a presidência de Machado de Assis, foram aqui realizadas.[carece de fontes]
A 5 de Julho de 1946 foi feito Oficial da Ordem Militar de Cristo, a 19 de Agosto de 1947 foi feito Comendador da Ordem de Benemerência, a 9 de Abril de 1981 foi elevado a Membro-Honorário da Ordem Militar de Cristo e a 13 de Julho de 1990 foi feito Membro-Honorário da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.[3]

Em Julho de 2014 a biblioteca foi listada em 4.a posição dentre as 20 mais lindas bibliotecas do mundo segundo a revista Time (revista). A publicação destacou sua história, arquitetura e rico acervo de obras lusófonas.[4] [5] 
F. WIKIPÉDIA
                                     Sala de leitura do Real Gabinete Português de Leitura.‎

Relogio de São Pedro 25-02-17


Relógio de São Pedro, instalado em novembro de 1916. Os quatro relógios são da marca Henry-LePaute, importado de Paris. A altura total é de 6,5 metros. A coluna de bronze e ferro fundido é de autoria do artista italiano Pasquale de Chirico, assentada sobre uma base de granito. No topo, tem um antigo lampião.
A tradicional firma Henry-LePaute foi fundada em 1838 pelo relojoeiro Augustin Michael Henry, Cavaleiro da Legião de Honra. Fabricava grandes relógios e lentes para faróis de sinalização marítima.

                                                          F. Guia Geográfico  da Bahia.


A região do Centro Antigo de Salvador, conhecida como São Pedro, era dominada pela antiga Igreja de São Pedro, demolida em 1913, para a passagem da Avenida Sete de Setembro. O atual Largo de São Pedro, entre a Piedade e São Bento, é o resultado do "vazio" deixado por sua demolição. Uma nova Igreja de São Pedro foi construída na Piedade, em 1916, agora, já centenária.A atual Igreja de São Pedro, na Piedade, inaugurada em 1917, é a igreja matriz da Paróquia de São Pedro.
Antigamente, Salvador era dividida em freguesias, cada uma com sua igreja matriz. Essa era a Freguesia de São Pedro Velho Extramuros, com origens no século 17. A tradição popular continua referindo-se a a essa área histórica como sendo um pequeno bairro.
antiga Rua de São Pedro estendia-se da Igreja até o Mosteiro de São Bento e foi calçada de pedras em 1855. Até o final do século 19, São Pedro era uma área predominantemente residencial.
A terceira sede da Escola Politécnica ficava no Largo, em um antigo prédio, onde funcionou de 1905 até 1960. No local está atualmente o Edifício Fundação Politécnica.
Nos anos 1960 e anos 1970, São Pedro era uma das principais áreas comerciais da Cidade. Nos anos seguintes, o comércio deslocou-se, em grande parte, para os shoppings centers.
Atualmente, São Pedro é uma área comercial popular e pouco lembra o antigo bairro histórico. A área é bem arborizada. No centro do Largo está o monumento ao Barão de Rio Branco e, próximo dele, está o Relógio de São Pedro, instalado em 1916. Fonte/ Guia Geográfico  da Bahia.


Edifício da antiga igreja  de São Pedro, no início da década de 1910, sendo demolida no ano 1913 para a edificação da Avenida Sete de Setembro, uma  outra foi edificada, inaugurada em 1923, na  Praça da Piedade. F. Guia Geográfico  da Bahia.

    CÚPULAS  DA ABADIA DA   IGREJA  DE SÃO BENTO, UMA AS MARAVILHA  DE  SANTUÁRIOS  RELIGIOSOS  DE SALVADOR, A PÉROLA  BARROCA DAS AMÉRICAS

                                 CÚPULA  DA  IGREJA  DE SÃO BENT0/ CIDADE E SALVADOR
                                                               IGREJA  DE SÃO BENTO
                                  Mosteiro de São Bento e Basílica Arquiabacial de São Sebastião
                                                          IGREJA  DE SÃO BENTO     
Mosteiro de São Bento e Basílica Arquiabacial de São Sebastião
O Mosteiro de São Bento da Bahia é o primeiro mosteiro beneditino das Américas, fundado em 1582. Sua bibliotecaguarda milhares de obras raras e seu belíssimo coral parece mesmo divino. Seu acervo sacro é imenso e magnífico.
O primeiro prédio do mosteiro de São Bento, em Salvador, foi construído no final do século 16. O atual, foi iniciado na segunda metade do século 17.
Em 1575, o frei beneditino Pedro de São Bento Ferraz chegou em Salvador com a missão de fundar o mosteiro. As instalações incompletas começaram a ser habitada pelos frades em 1584. Foram ocupadas pelos holandeses em 1624, durante a invasão de Salvador, quando saquearam e destruíram o edifício. O monge arquiteto Frei Macário de São João fez o projeto do novo prédio, em estilo neoclássico. As obras foram iniciadas no século 17 e concluídas no final do século 19. O altar-mor da igreja primitiva foi transferido para a Igreja de Monte Serrat. Um novo altar em mármore foi construído.

A história do Mosteiro está ligada à história da Bahia. No século 17, serviu de enfermaria durante o período da peste espanhola. No século 18, acolheu os vitimados da Guerra de Canudos. Em 1982, a igreja do Mosteiro foi elevada a condição de Basílica Menor de São Sebastião pelo Papa João Paulo II. Fonte: Guia Geográfico da Bahia, incluso, fotos abaixo.
                 
                                     Interior do Mosteiro de São Bento, Cidade Salvador/Ba.
Foto do interior da cúpula e altar da Basílica

                                                             IGREJA  DE SÃO BENTO
L                             LADEIA  DE SÃO BENTO, SENTIDO PÇA. CASTRO ALVES
ANTIGA  IGREJA  DA  BARROQUINHA
                 PRAÇA CASTOR ALVES, SENTIDO  RUA SÃO BENTO E E CARLOS  GOMES
PALÁCIO DOS  ESPORTES, NO LOCAL  ANTIGO TEATRO SÃO  JOÃO
                                          ESTATUA DO POETA,  NA PRAÇA  CASTRO  ALVES
                     NA PRAÇA CASTRO ALVES, ANTIGO EDIFÍCIO   DO JORNAL A TARDE


 O monumental pavilhão neoclássico, construído no Largo do Theatro, para a chegada de Dom Pedro II, em Salvador, em 1859.


Fonte: 
GUIA  GEOGRÁFICO DA BAHIA

A Praça Castro Alves é do povo, como o céu é do condor... ou do avião
No século 16 era a Porta de São Bento da fortaleza que envolvia o núcleo da Cidade do Salvador. No início do século 19, o local ainda era chamado de Portas de São Bento, até a construção do Theatro São João, em 1812, quando passou a ser chamado de Praça de São Bento, depois, Largo do Theatro.

Abrigava a maior casa de espetáculos do País e já era um animado local durante o Carnaval.
Em 6 de julho de 1881, o Largo tornou-se a Praça do Poeta, dez anos após sua morte.
O monumento a Castro Alves foi inaugurado em 6 de julho de 1923, meses depois do incêndio que destruiu o Theatro São João. Foi instalado no local do antigo Chafariz de Colombo, de 1855, atualmente abandonado na avenida Garibaldi.
O monumento ao poeta foi contratado, em 1919, com escultor italiano Pasquale De Chirico (1873-1943). A estátua, em bronze, tem 2,9 metros de altura e o monumento tem altura total de 11 m. Na frente, existe uma escultura de um casal de escravos, simbolizando as lutas do poeta baiano pela abolição da escravatura.
Antônio Frederico de Castro Alves (1847-1871) teve vida curta, mas intensa. A Praça em sua homenagem é um dos símbolos da Cidade do Salvador.
Em 1971, os restos mortais do Poeta foram transferidos para uma cripta construída na base do monumento

Esta ilustração foi publicada, em 1839, no livro Narrative of the surveying voyages of His Majesty's ships Adventure and Beagle, de Roberto Fitz-Roy (vol. 2 - p. 62). Trata-se de uma litografia de Thomas Abiel Prior (1809-1886) com base no desenho do artista inglês Augustus Earle (1793-1838), que acompanhava a expedição do Beagle. Título original da ilustração: San Salvador, Bahia.
É possível, entretanto, que Earle tenha feito seu desenho por volta de 1823, quando ele visitou o Nordeste.
Foi esta a expedição que trouxe Charles Darwin à América do Sul. Darwin amou Salvador, a qual chamou de magnífica e gloriosa. Ele escreveu que foi aqui que viu pela primeira vez uma floresta tropical em toda a sua sublime grandeza. O Beagle aportou pela primeira vez na cidade em 28 de fevereiro de 1832.
Vê-se transeuntes na antiga Ladeira da Conceição.
Compare com a ilustração de Martinet, do mesmo ângulo, de 1848.
Disponível o download dessa imagem ampliada (1,4MB
                                                                            RUA  CHILE
                                                                       RUA CHILE
                                                                             RUA CHILE
                                                          Edifico a  Câmara Municipal


A Câmara Municipal de Salvador é o órgão legislativo unicameral do município de Salvador. Foi construída em 1549, no mesmo período de fundação da cidade, a primeira existente em uma capital brasileira[2] em que já abrigou uma cadeia pública, e atualmente ainda funciona como Paço Municipal.[2]
Apesar do número de vereadores já ter excedido a sua capacidade, alguns vereadores têm seus gabinetes num outro prédio na Rua Ruy Barbosa no centro da cidade, Edifício Bahia Center, Anexo Vereador Emmerson José. O prédio da Câmara Municipal sofreu modificações no início do século XX, e ganhou uma fachada em estilo eclético, muito em voga na época.
A História
A edificação foi construída logo após a fundação da cidade. Em 13 de junho de 1549, era criada a Casa de Câmara e Cadeia da Cidade de Salvador, a qual reunia os poderes executivojudiciário e legislativo.[2]
cadeia funcionava no térreo e no subterrâneo. O primeiro era dividido em alas norte e sul, respectivamente, destinadas às mulheres e homens. Já no segundo estavam localizadas as celas solitárias, parte conhecida como enxovias. A convivência perdurou até a primeira metade do século XIX ao ser foi transferida ao Forte do Barbalho, mesmo período em que a sede do judiciário também dali se retirou.[2] No período colonial, um açougue público chegou a funcionar nas dependências da Câmara. Seus membros eram responsáveis pela fiscalização e zelo do abastecimento municipal, o que incluía o combate aos preços abusivos. Os restos produzidos no açougue eram levados à atual região da Baixa dos Sapateiros, onde corria um afluente do Camarajipe que passou a ser chamado Rio das Tripas.[2]
Na década de 1970 passou por reforma a fim de resgatar o seu estilo de origem, derivado do maneirismo português do século XVII ou estilo chão, remontando à antiga Casa de Câmara e Cadeia.[3][4]
O Memorial

Memorial

Criado em 1997 pelo Decreto Legislativo n° 855 de 10 de outubro, o Memorial da Câmara Municipal de Salvador somente foi aberto ao público em 2001, logo sendo reinaugurado em 2010 após revitalização.[6] O acervo conta a história municipal e da Câmara por meio de painéispinturasfotografiasmaquetes, objetos e mobiliário. As três maquetes existentes ilustram três diferentes fases arquitetônicas vividas pelo Paço Municipal. Dentre as obras de artes visuais, são retratados personagens históricos e eventos, com destaque para o quadro Entrada do Exército Pacificador de Presciliano Silva sobre a Independência da Bahia.[2] Foi a partir dessas obras, integrantes da coleção Pinacoteca do Paço Municipal, que foi constituído o Memorial
Fonte Wikipédia
                                                               Brasão  de Salvador

POSTANDO FOTOS  E  VÍDEOS  DIA 25-02-17 FOTOS E VIDEOS, CHIQUITINHA  MARAVILHA
****************************************************
ABAIXO  FOTOS  DO CENTRO HISTÓRICO  DO  SALVADOR
FOTOS  RUA   DA MISERICÓRDIA, PRAÇA DA SÉ,  TERREIRO DE JESUS, PELOURINHO.

                                                            PRAÇA  TOMÉ  DE SOUZA
                                  ZONA  COMERCIAL - CIDADE BAIXA
             CIDADE BAIXA  - PENÍNSULA  ITAPAGIPE NA BAIA DE TODOS OS SANTOS
                                             NAVIO NA BAÍA DE TODOS SANTOS
                                             PRAÇA  GOVERNADOR  TOME DE SOUZA

                                                          LADEIRA  DA PRAÇA
  RUA  DOS  MERCADORES, ATUAL RUA DA MISERICÓRDIA SENTIDO PÇA. DA SÉ
                                               EDIFÍCIO DA  CÂMARA MUNICIPAL
                                                LINDA ARQUITETURA NEOCLÁSSICA
                                                   Edifício da  Santa Casa da Misericórdia 
********************

                            PRAÇA DA SÉ - CENTRO HISTÓRICO
 ALICERCEIS  DA  PRIMITIVA  IGREJA DA  SÉ PRIMACIAL, MANDADA ERIGIR ELO 3º GOVERNADOR  GERAL DO BRASIL, MEM DE SÁ
 RELÍQUIAS  HISTÓRICA,  DESCOBERTA  COM  AS ESCAVAÇÕES ARQUEOLÓGICA  NO  ANO E 2000, NO SUBSOLO  DO LOCAL, ONDE NO PASSADO RECENTE, LOCALIZAVA-SE  A MAJESTOSA CATEDRAL DA IGREJA  DA  SÉ DE MEM DE SA!

 VISTA  DA PRAÇA DA SÉ, RUA DA MISERICÓRDIA E IGREJA  DA  SANTA  CASA  DE MISERICÓRDIA, ENTRO HIST´RICO  DA CIDADE  DE SALVADOR DA BAHIA.
 SOLO SAGRADO,  DA PRIMITIVA   IGREJA  CATEDRAL DA SE PRIMACIAL, DEMOLIDA NO ANO DE 1933, PARA PASSAGEM DO BONDE ELÉTRICO, PARA ALARGAMENTO DA  PRAÇA  DA  SÉ, NO MOBILIDADE  DA  SALVADOR   DO SECULO  XXI. O EDIFÍCIO  DEMOLIDO,  TINHA  35 METRO  DE LARGURA POR 55  M DE COMPRIMENTO,  ERA O MAIOR EDIFÍCIO  DE UMA IGREJA  CATÓLICA  NA  CIDADE  DE SALVADOR, E UMA DAS MAIORES DA  AMÉRICA  DO SUL!
                                                 BAIANA  DA  CARAJÉ NA  PRAÇA DA SÉ
 RELÍQUIAS  HISTÓRICA,  DESCOBERTA  COM  AS ESCAVAÇÕES ARQUEOLÓGICA  NO  ANO E 2000, NO SUBSOLO  DO LOCAL, ONDE NO PASSADO RECENTE, LOCALIZAVA-SE  A MAJESTOSA CATEDRAL DA IGREJA  DA  SÉ DE MEM DE SA!
 RELÍQUIAS  HISTÓRICA,  DESCOBERTA  COM  AS ESCAVAÇÕES ARQUEOLÓGICA  NO  ANO E 2000, NO SUBSOLO  DO LOCAL, ONDE NO PASSADO RECENTE, LOCALIZAVA-SE  A MAJESTOSA CATEDRAL DA IGREJA  DA  SÉ DE MEM DE SA!

                                     A  CRUZ CAÍDA! SÍMBOLO  DA  SE  DEMOLIDA....
 RELÍQUIAS  HISTÓRICA,  DESCOBERTA  COM  AS ESCAVAÇÕES ARQUEOLÓGICA  NO  ANO E 2000, NO SUBSOLO  DO LOCAL, ONDE NO PASSADO RECENTE, LOCALIZAVA-SE  A MAJESTOSA CATEDRAL DA IGREJA  DA  SÉ DE MEM DE SA!

POSTANDO MAIS  FOTOS
            Edifício da  igreja  ORDEM 3ª de São Domingos de Gusmão, na Pça. do Terreiro  de  Jesus, Centro  Histórico


A igreja da Venerável Ordem 3ª de São Domingos Gusmão teve sua construção iniciada em 1731.Tem fachada em estilo rococó. Seu interior possui talha neoclássica, que substituiu a primitiva talha barroca.
Sofreu reforma de 1873 a 1888, quando foi aberto uma clarabóia no altar-mor e as talhas douradas do teto foram sacrificadas. Possui valioso acervo artístico de artistas baianos e mobiliário em jacarandá. O teto ilusionista da nave é obra do mestre José Joaquim da Rocha.
A Igreja fica no Terreiro de Jesus
Fonte Guia Geográfico  da Bahia.

                                A igreja da Venerável Ordem 3ª de São Domingos Gusmão
Foto Chiquitinha Marailha 25-02-17
Edifício da Catedral Basilica Primacial de Salvado

Histórico



Quando os jesuítas chegaram a Salvador, em 1549, integrando a comitiva do governador-geral Tomé de Sousa, fundaram uma pequena capela dedicada a Nossa Senhora da Ajuda, dentro dos muros da cidade. Mas não se demoraram muito ali, pois receberam em doação um terreno fora dos muros.



Sobre essa condição, as referências são vagas, havendo o registro feito em 1663 por Simão de Vasconcelos em "Crônica da Companhia de Jesus", onde se lê:

"Razão tinha Manuel da Nóbrega para dar a Tomé de Sousa, quando este lhe objetava estar fora da cidade o local escolhido para o Colégio; a mesma resposta que o Padre Simão Rodrigues deu a El-Rei D. João III perante objeção idêntica, a respeito da casa de S. Roque, em Lisboa: Não se arreceie Vossa Alteza de ficar a casa fora da Cidade; a cidade virá juntar-se ao redor da casa. E assim foi. O grande bairro dos Andrades teve como célula genética a casa de S. Roque, como o Colégio da Bahia veio a fazer do Terreiro de Jesus o ponto central de Salvador."



Assim, em 1550 foi fundado o Colégio dos Meninos com sua capela,todos ainda em taipa, material que logo se arruinara, sendo várias vezes reedificado.

Coube a Mem de Sá a construção de um templo em alvenaria. Fernão Cardim, em 1585, assim o descreveu:


"A igreja é capaz, bem cheia de ricos ornamentos de damasco branco e roxo, veludo verde e carmesim, todos com tela d'ouro; tem uma cruz e turíbulo de prata, uma boa custódia para as endoenças, muitos e devotos painéis de Cristo e todos os Apóstolos. Todos os três altares têm dosséis, com suas cortinas de tafetá carmesim. Tem uma cruz de prata dourada, de maravilhosa obra, com Santo Lenho, três cabeças das onze mil virgens, com outras muitas e grandes relíquias de santos, e uma imagem de Nossa Senhora de S. Lucas mui formosa e devota"
A atual igreja é a quarta a ser erguida no mesmo local. A autoria do projeto é incerta, mas o visitador padre Cristóvão de Gouveia afirmou ter alterado o risco original do irmão Francisco Dias. Sua pedra fundamental foi lançada em 1657, sendo inaugurada e consagrada em 1672. Mas ainda não estava totalmente pronta. O frontispício foi concluído em torno de 1679, os sinos vieram de Portugal somente em 1681, as torres foram arrematadas em 1694 e a decoração interna se estendeu por muito mais tempo. Em 1746 foram instaladas estátuas na fachada.
Fonte Wikipédia
                                                   Edifício da Catedral Basílica Primacial de Salvador
                                                                      Trecho da nave e vista da capela-mor
                                                                  Trecho da nave e vista da capela-mor.
RUA ALFREDO BRITO TRANSVERSAL  DA  FACULDADE DE MEDICINA    NO TERREIRO  DE  JESUS AO LARGO DO PELOURINHO, CIDADE DE ALADOR-BA.

O matense Juiz Leovigildo  Gonçalves  de  Carvalho
                                      
 Foto Chiquitinha  Maravilha em jornais  de Salvador da 

                           década  de 1920 / F.  digitalizada por Chiquitinha Maravilha.

O matense, Juiz  Leovigildo o Decano ds Juízes  Baianos!! filho do matense, Cel Antonio Gonçalves de Carvalho, tio trisavô paterno de Chiquitinha Maravilha (Manoel Gonçalves de Carvalho, trisavô paterno  de Chiquitinha Maravilha, este pai da bisavô paterna, Joaquina Maia   Pereira  da Conceição, ela  casada com Antonio Pereira  das Chagas, ele batizado  na Igreja da Vitória d Engº da Matta,  em 1818, na então Freguesia da S. B Mata  de São João-Ba. 

BIOGRAFIA 

Juiz Leovigildo Gonçalves  de  Carvalho

Na pesquisa inédita de Chiquitinha Maravilha.


Nasceu  Leovigildo  em  13/1/1849  em  São   Pedro do Lunda, Zona  Rural da então  Vila  de  Mata  de  São  João  era  filho  do  coronel Antonio  Gonçalves  de Carvalho, tendo  Leovigildo  recebido em Recife  o  grau  de  Bacharel em  Ciências  Jurídicas  e  Sociais  a  13/11/1871.

Leovigildo veio o advogar  na  então Vila  da  Mata  de  São  João  e  nesta  cidade  foi  advogado, Vereador  Municipal, em 3 legislaturas de 4  anos no  regime  imperial e um mandato    em 1890  na   era republicana, sempre  como presidente  da Câmara   da  então  Vila  de Mata  de  São da  Câmara.

Dr. Leovigldo realizou reformas no Código de Posturas da  Vila  de Mata  de São João junta-mente  com seus  pares  (Vereadores Matenses) em duas  Legislaturas, sempre como presidente  da  Câmara,  (Leovigildo  foi brilhante,  Bel m Ciências  Jurídicas  pela famosa faculdade de Direito de Recife).
 O Juiz  Leovigildo  abraçando  a  Magistratura com   magnitude, foi Juiz  Municipal  de  do Termo  da Vila de  Mata de São João a partir de 1986, e  de  Órfãos de  Vila  de Abrantes (A Vila  de Mata  de São João era Termo da Comarca de Vila  de Abrantes  no período  imperial e na  republica  até 1891/agosto.

     Dr. Leovigildo foi membro do Conselho Fiscal do  Imperial  Instituto  da  Bahia  de Agricultura, um grupo de homens nobres,  ricos, os chamados Barões da cana de açúcar,  com seus   engenhos  de açúcar, que  era  o” carro chefe”  da  economia da Província da Bahia  ( equivalente  a  estado, na atual  republica  federativa).

 O Bacharel, Dr. Leovigildo foi 3 vezes  Vereador  no Regime Imperial e  Conselheiro Municipal na  era republicana (Vereador),  na  então Vila  de Mata  de São João, sendo  Presidente  nos 4 mandatos, ampliando, aperfeiçoando,  por  duas vezes o primitivo Códigos de Posturas  Municipais (a  denomina Lei Orgânica  do Legislativo Matense).

LEOVIGILDO OCUPOU OS TRÊS  PODERES CONSTITUÍDOS  POR 50 ANOS!....
LEOVIGILDO   1° JUIZ  DO TERMO DA  VILA DE  MATA S. JOÃO 1885
JUIZ  DE DIREITO DA  COMARCA  DE ITAPICURU
LEOVIGILDO 1° JUIZ   DA VILA  DA   COMARCA
DE  MATA  DE SÃO JOÃO/ 03/08/ 1892

JUIZ  LEOVIGILDO   FUNDADOR DA BIBLIOTECA  DO 
FÓRUM DE JUSTIÇA NO CONVENTO DA PALMA/SALVADOR EM 1908

 O  juiz Leovigildo Gonçalves  de Carvalho,  Juiz  da  Vara  de   Órfãos  e Família  de Salvador, 
  na    década   de   1920,    fundou   a  Biblioteca   do  Judiciário  Baiano   em  1908.
O citado Fórum de  Justiça fica localizado no Convento da  Palma na  cidade  de Salvador/Ba. Um marco  histórico  para  o Judiciário  Baiano, atualmente a  biblioteca  do judiciário se  localiza  no Fórum Ruy Barbosa, localizado no Campo da  Pólvora.
O Juiz   Leovigildo na década  de  1920   era  o Juiz  Decano da  Bahia (com 38  anos como  juiz, de 1886 a 1924), com mais de 27 anos  na Vara  de   Órfãos  e Família  na  Cidade  de  Salvador.
No link abaixo  sua biografia completa, inedita!!

http://chiquitinhamaravilha.blogspot.com.br/p/leovigildo-goncalves-de-carva.html

 Rua Juiz   Leovigildo Gonçalves  de Carvalho, uma  transversal entre   Rua Alfredo Brito (sentido largo do Pelourinho) com a  rua Maciel de Cima/F. Chiquitinha  Maravilha  inicio  da rua /Centro Histórico/Pelourinho

   RUA  JUIZ DA VARA E ÓRFÃOS  FAMÍLIA DA  CIDADE  DE SALVADOR //1897 A 1924, DR.  LEOVIGILDO GONÇALVES DE CARVALHO, O MATENSE FILHO  DO TIO TRISAVÔ  PATERNO  DE CHIQUITINHA MARAVILHA.  JUIZ LEOVIGILDO O FUNDADOR A BIBLIOTECA  DO JUDICIÁRIO   BAIANO ,EM 1908, CIDADE  DE SALVADOR.
  RUA  JUIZ DA VARA E ÓRFÃOS  FAMÍLIA DA  CIDADE  DE SALVADOR //1897 A 1924, DR.  LEOVIGILDO GONÇALVES DE CARVALHO, O MATENSE FILHO  DO TIO TRISAVÔ  PATERNO  DE CHIQUITINHA MARAVILHA.  JUIZ LEOVIGILDO O FUNDADOR A BIBLIOTECA  DO JUDICIÁRIO   BAIANO ,EM 1908, CIDADE  DE SALVADOR.
                LARGO DO PELOURINHO 25-02-17 SÁBADO CASA DE JORGE AMADO
  LARGO DO PELOURINHO 25-02-17 SÁBADO
                                    PALCO NO LARGO DO PELOURINHO  SÁBADO 25-02-17
                          LARGO DO PELOURINHO 25-02-17 SÁBADO
                                       LARGO DO PELOURINHO 25-02-17 SÁBADO
  IGREJA N. SENHORA DO ROSÁRIO DOS PRETOS - 25-02-17 SÁBADO 

 Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos é uma igreja católica de SalvadorBahia, construída no século XVIII. Está localizada no Centro Histórico de Salvador, na ladeira do Pelourinho. É parte do centro histórico da cidade declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO.

História

No Brasil colônia, os negros escravos e alforriados (forros) eram particularmente devotos de Nossa Senhora do RosárioSão BeneditoSanta EfigêniaSanto Elesbão e alguns outros santos.[1] De acordo com frei Agostinho de Santa Maria, desde os inícios do século XVII os escravos e forros veneravam Nossa Senhora do Rosário num altar da Sé da Bahia, em Salvador.[1] Como outros grupos da colônia, também os negros se organizavam em agrupações religiosas de ajuda mútua, as chamadas irmandades ou confrarias. Na segunda metade do século XVIII, quase todas as freguesias de Salvador possuíam alguma irmandade de negros.[1]
A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário foi formalmente constituída em 1685, sendo antecedida somente pelas do Recife (1630), Rio de Janeiro (1639) e Belém do Pará (1682).[1][2] As irmandades de negros começavam reunindo-se nos altares laterais de igrejas matrizes ou conventuais, mas em 1704 a do Rosário reuniu o dinheiro necessário e recebeu a permissão do arcebispo D. Sebastião Monteiro de Vide para a construção de uma igreja própria nas Portas do Carmo.[3][4] O nome se refere à existência na zona de uma das portas da cidade fortificada, por onde saía o caminho (atualmente a ladeira do Pelourinho) até o Convento do Carmo. Na zona também estava localizado o Quartel do Carmo, onde se alojavam os soldados que defendiam essa entrada da cidade.[3]
A construção da Igreja do Rosário foi um processo lento, pois a irmandade era relativamente pobre e os irmãos da confraria doavam seu trabalho para a construção em suas horas livres.[3] A partir de 1718 a igreja foi também matriz da recentemente criada freguesia do Senhor do Passo, situação que continuou até cerca de 1740.[3] Inicialmente foi edificado o corpo da igreja; a elaborada fachada e as torres só foram levantadas a partir de 1780, sob a direção do mestre-de-obras Caetano José da Costa.[4] Também por essa época o edifício ganhou dois corredores laterais.[3] Nos finais do século XIX o interior da igreja foi redecorado, ganhando novos altares em estilo neoclássico e pinturas.[4]

Característica
A Igreja do Rosário dos Pretos, começada em 1704, é um edifício imponente, ao qual se tem acesso por um pequeno adro gradeado. A fachada possui um corpo central em dois pavimentos, coroado por um frontão de empenas em volutas, e ladeado por campanários cujo arremate é um coruchéu em bulbos superpostos revestidos de azulejos. Ao rés-do-chão existem cinco portas, sendo que a central é mais ampla e emoldurada por um discreto frontispício, e acima delas, cinco janelas de delicado desenho. O desenho da fachada, construída a partir de 1780, é atribuído ao mestre-de-obras Caetano José da Costa.[4]
No interior, destacam-se os azulejos sobre a devoção ao Rosário, fabricados em Portugal e datados de c. 1790.[4] Os altares são em estilo neoclássico, realizados na década de 1870 pelo entalhador João Simões F. de Souza.[4] Nos altares há imagens coloniais, destacando-se entre elas uma Nossa Senhora do Rosário do século XVII, venerada na antiga Sé da Bahia, além de imagens de Santo Antônio de CategeróSão BeneditoSanta Bárbara e um Cristo crucificado em marfim.[4] O forro da nave foi pintado em 1870 por José Pinto Lima dos Reis.[4]
Nos fundos da igreja existe um antigo cemitério de escravos. Preservando sua história ligada aos negros, a liturgia dos cultos faz uso de música inspirada nos terreiros de Candomblé. Nas datas comemorativas de Santa Bárbara e Iansã a igreja é o ponto central dos festejos.
                   Igreja do Rosário dos Pretos: interior e capela-mor.

                              LARGO DO PELOURINHO 25-02-17 SÁBADO
O Largo do Pelourinho, oficialmente Praça José de Alencar, é um logradouro situado no coração da parte mais antiga da cidade de Salvador, na Bahia, no Brasil. Bem ao pé das velhas Portas do Carmo, perto do Terreiro de Jesus e de um dos mais famosos conjuntos de igrejas barrocas das Américas, formado pelas igrejas da Ordem Terceira de São Francisco, toda em talha douradade São Franciscodo Rosário dos Pretos; do Passo e a imponente Catedral-basílica, antes Igreja do Colégio dos Padres, onde estudou o poeta Gregório de Matos e onde pregava o padre Antônio Vieira.
O Largo do Pelourinho é assim chamado em razão de ter sido, durante muitos anos, um local de suplício, onde os condenados eram expostos, amarrados ao pelourinho, aos olhos dos passantes e à execração pública. Pelas pedras redondas de seu calçamento, polidas pelo tempo, muito sangue correu, principalmente sangue dos negros supliciados, que, muitas vezes, ali mesmo morriam, vítimas de sua ânsia de libertação e da crueldade dos senhores. Neste local, palco de tantas tragédias, cenário de tantas dores, mas também de intensa beleza, reproduzido em fotos pelo mundo inteiro, cartão-postal obrigatório de quantos visitem a cidade do Salvador, está plantada a Casa de Jorge Amado.
Foi cenário, em 1996, do videoclipe They Don't Care About Us, do cantor estadunidense Michael Jackson.[1]
PELOURINHO
O Pelourinho, popularmente designado também como Picota, é uma coluna de pedra colocada num lugar público de uma cidade ou vila onde eram punidos e expostos os criminosos. Tinham também direito a pelourinho os grandes donatários, os bispos, os cabidos e os mosteiros, como prova e instrumento da jurisdição feudal.
Os pelourinhos foram, pelo menos desde finais do século XV, considerados o padrão ou o símbolo da liberdade municipal. Para alguns historiadores, como é o caso de Alexandre Herculano, o termo pelourinho só começa a aparecer no século XVII, em vez do termo picota, de origem popular. A partir dessa altura passou a ser apenas o marco concelhio. Antes dessa altura, segundo Herculano, o pelourinho era uma derivação, de costumes muito antigos, da erecção nas cidades do ius italicum das estátuas de Marsias ou Sileno, símbolos das liberdades municipais. Mas outros historiadores remetem para a Columna ou Columna Moenia romana, poste erecto em praça pública no qual os sentenciados eram expostos ao escárnio do povo.
Parece que antes do século XV terá havido algumas execuções nos pelourinhos. Mas a partir daí não há provas que tal sucedesse, pelo menos em relação às execuções capitais, que faziam na forca depois de ter sido exposto no pelourinho para conhecimento do povo.[1]
Fonte Wikipédia

                                    LARGO DO PELOURINHO 25-02-17 SÁBADO
                                               LARGO DO PELOURINHO 25-02-17 SÁBADO
                                   LARGO DO PELOURINHO 25-02-17 SÁBADO
                                              LARGO DO PELOURINHO 25-02-17 SÁBADO
                    RUA ALFREDO BRITO - PELOURINHO/CENTRO HISTÓRICO 25-02-17 
                                                      PRAÇA  DO  TERREIRO DE JESUS
                                    CAPOEIRA NO TERREIRO  DE  JESUS DIA 25-02-17
                                       CAPOEIRA NO TERREIRO  DE  JESUS DIA 25-02-17

     Edifício da  antiga Faculdade  de Medicina  da  Bahia


                                             PRAÇA TERREIRO DE  JESUS 25-02-17


POSTANDO MAIS  FOTOS E LEGENDAS



941 MIL ACESSOS,  RUMO A UM MILHÃO   NO PLANETA  TERRA!

TOTAL DE ACESSOS   DO BLOG  MAIS  DE  936 MIL /    DIA 24/02/17
Alemanha Mais de  176 Mil,  líder  Internacional  de  Acessos
Nos  Mais de 100  Países do Planeta  Terra

Visualizações de página por país

Gráfico dos países mais populares entre os visualizadores do blog
EntradaVisualizações de página
Brasil
479324
Alemanha
178447
Estados Unidos
122804
Rússia
41885
Malásia
19739
China
14085
Ucrânia
8572
França
5253
Portugal
5069
Índia
3943



O POETA MARATONISTA!
             
 Chiquitinha  (Gamaliel Chagas) na  Maratona  do Rio de Janeiro /23/8/1986
(3h 5 min),  foto no  no aterro do  Flamengo/RJ, 42,195 km.

                         CORRER É VIVER, REJUVENESCER...
                   (A Poesia do Corredor)

                          Chego do trabalho, calço o tênis de corrida
Visto a camisa e o calção, sigo para a pista
Ajusto o relógio, preparo logo a partida
Já estou correndo, olho ao redor, que vista!

Montanhas, rios, e lagos, árvores, casas e gente
Tudo desfilando panoramicamente, que paisagem!
Respiro o oxigênio puro, vitalício, vou em  frente
Pensando, medito enquanto corro, recebo mensagens...

É a minha mente livre, inspirando-me poeticamente
Imagens lindas! E, captando energias do além
Vai fortalecendo meu corpo, docilmente
Sinto-me feliz,  porque a corrida me faz bem.

A cada quilômetro percorrido
Estabeleço um ritmo adequado
Subindo e descendo ladeiras, corro
Sempre a cada passo, respirando controlado.

É a técnica treinada com resistência
Força, energia e muita paciência,
Superando meus limites, aprendo a viver
Sim, corro! Corro! Porque sei que vou rejuvenescer...

     Poetizada  em  13/02/1985/Cidade  de Dias D'Ávila, quando Gamaliel Chagas/
 realizava  treinamento (Bairro de Nova Dias D'Ávila).

Poesia em homenagem a todos os corredores de ruas (pedestrianismo) e amantes do atletismo. Direitos Autorais registrado em nome de Gamaliel.   

                       PRINCIPAIS CORRIDAS

Gamaliel Sales Chagas poeta desde os 19 anos de idade  (1970, maratonista, futebolista, pesquisador, historiador,narrador  de futebol,    matense, nasceu 07/07/1951 na rua Luís Sepúlveda Garcez (Centro, Mata de S. João)
Correu  14 maratonas  em 6 estados do Brasil de 1983-87 (S. Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais e João Pessoa)
2 maratonas em Nova York (1984 e 1986)
2 São Silvestre (1983, 1984)
Bi-campeão de 5 e 10 mil metros, Fonte Nova ( 1983+84) – (1984/85)
Escolhido o Maratonista Baiano e revelação do Atletismo da Bahia de 1984,  pela AVAB – Associação de Veteranos de Atletismo da Bahia
Correu 30 km de São Cristóvão/ Aracajú  pela  BR 101  no  ano  de 1986
Melhor tempo em maratonas: 2 h 59 min. (Salvador, 13/07/1985)
Representou os municípios de  Mata  de São João, Dias D'Ávila e Camaçari nas  corridas citas  sem ter apoio financeiro das prefeituras  citadas, apoio da Copene e do próprio Atleta (inclusive  nas duas Maratonas Internacionais  houve apoio da Copene  no translado Salvador Rio de Janeiro e vice   versa, ajuda  na  estádia), sendo  passagens  de ida e volta  a  custo do atleta, e trabalhava das 8 horas  as  17 horas e compensava  os dias  da estadia em New  York (5 dias em 1984 e 1986).

CORREU UM  "MARATONA" DA AMEBA/CIDADE  DE SALVADOR,   COM 37 KM, EM 1987
*******************************************************************************

GAMALIEL CHAGAS - RESUMO DAS PRINCIPAIS CORRIDAS:

O MARATONISTA BAIANO DE 1984 - BICAMPEÃO DOS 10 E 5 MIL METROS NA PISTA DA FONTE NOVA 1983/84.
2 MARATONAS INTERNACIONAIS /CIDADE DE NOVA YORQUE
PENTACAMPEÃO MATENSE DE VETERANOS / CORRIDA RÚSTICA DO BOMFIM DE MATA DE SÃO JOÃO, NA DÉCADA DE 2000.
15 MARATONAS COMPETIDAS - COMPETIÇÃO NO ATLETISMO BAIANO BRASILEIRO, EM 6 ESTADOS DO BRASIL! 5 MARATONAS NO RIO E JANEIRO, 2 EM BRASILIA, 2 SÃO SILVESTRES EM SÃO PAULO, ANOS 1983/84. VÁRIAS ELIMINATÓRIAS BAIANA DA S. SILVESTRE NA DÉCADA DE 1980.

COMPETIU:

01 MARATONA EM SÃO PAULO, 01 EM JOÃO PESSOA, 30 KM DE SÃO CRISTÓVÃO A ARACAJU EM 1985, 2 MARATONAS EM BRASILIA.
COMPETIÇÃO 3 OLIMPÍADAS DO POLO PETROQUÍMICO DE CAMAÇARI ONDE FOI BICAMPEÃ, COMPETIU NOS CITADOS JOGOS, NOS 10M, 1.500M, 5 E 10 MIL METROS, ALÉM DE 28 HM DE CAMAÇARI A PRAÇA ACM IDA E VOLTA, QUANDO FICOU EM 5º LUGAR ANO 1982.
COMPETIU DEZENAS DE CORRIDAS EM SALVADOR E CIDADES DO INTERIOR DA BAHIA, CONQUISTANDO MEDALHAS E TROFÉUS....

NESSE PERÍODO TRABALHAVA DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA, TREINAVA DAS 17H40 ÁS 20H30 DA NOITE. E FIM DE SEMANAS.





Gamaliel  na 1ª  Maratona da Independência da Bahia 1984 Salvador/Ba. 42. 198 metros
DIA 27/08/16



Curso  de  Comunicações  Verbais

(Um dos  melhores do Brasil/S. Paulo com credenciamento CFMO 097}


     No ano   de  1985  Gamaliel   iniciou  o   curso  de  Comunicações  Verbais  PPD-IOB (Treinamento  Programado  a  Distância)  por  correspondências  tendo  concluído  o  citado curso no  dia  7/3/1986.  O  citado  curso  organizado  por Oswaldo  Melantonio,  formado em  Direito, Filosofia  e  Jornalismo,  Oswaldo   presidente de  honra  de   várias  instituições  culturais  dentre  elas  a  Academia   Paulista de   Oratório  e  Academia   Brasileira  de   Comunicações  Verbais. O  curso  de  Comunicações   Verbais  teve  a  duração  de  6  meses  equivalente  a  100 horas/ aula  e  credenciado  pelo  CFMO  097.
.
     Oswaldo  Melantonio  realizou   vários   cursos  complementares  no  exterior  e  no  ano  de   1986   fazia 35  anos  se  dedicando  exclusivamente  as  Comunicações  Verbais;  inicialmente,  oratória   formal   e  informal   para   líderes   políticos   e  religiosos.   Nos  últimos   anos   Oswaldo  especializou-se   na   área   de   comunicações   dos   executivos,  objetivando a melhoria  da  produtividade  pela  eficiência  da  comunicação.

PERSONALIDADES EXPOENTES DAS  COMUNICAÇÕES VERBAIS

Várias personalidades  de Top  da  Política Executivos, da Oratória  Geral,  Locutores Esportivos, a  exemplo  de Osmar Santos/SP, Orestes Quércia  Jânio Quadros, Franco Motoro e  outros  expoentes que realizaram este  magnífico  curso, amplo usando as técnicas  da Grécia  antiga,   a exemplos  de   formidáveis  gênios  da  Comunicação, oratória da Grécia Antiga,celeiro exuberantes, Ícones das Comunicações Verbais; Aristóteles Demóstenes Cícero, este  considerado como um dos  maiores   gênios nas  Comunicações  verbais da  Grécia  e  do  Mundo, chegando ao ponto  de  governantes políticos gregos tentarem elimina-los, tal era o seu poder de oratória persuasiva (dotado de espetacular oratória  de convencimento, resumindo   era  um " Um Gênio Abençoado  da  Oratória  das Comunicações Verbais!".
    
Conteúdo  do  curso

     Introdução,  exposições  práticas,  técnicas  da  comunicação  dos  executivos,  educação  da  voz,  expressão  corporal,  figuras  de  estilos,  dez   qualidades   básicas   do  executivo,  práticas  de  comunicações  verbais  e  práticas  de  oratória
     De  modo  especial,  Oswaldo  realiza  treinamentos  para  as  lideranças  dos   principais  escalões   das   grandes   organizações   privadas   e   publicas.  O   citado   curso  já  treinou  grandes  personalidades  de diversos  seguimentos  sociais  a  exemplo  de  Franco  Motoro, Osmar   Santos,  narrador   esportivo   no  estado  de  São  Paulo,  Jânio   Quadros   que   foi  Presidente   da   República   de   31/1/1961   renunciando   o   governo   em   25/8/1961,  foi  prefeito  de  São Paulo  nas  décadas  seguintes.

     Jânio  Quadros  nasceu  em  Campo  Grande,  (Mata  Grosso  do  Sul)  no  ano  de  1917  e  faleceu  no  ano  de  1992  em  São  Paulo  e  outros  não  citados.  IOB – Cursos    de    Legislação   Empresarial   Ltda – CGC   47.677.810/0002-21,   credenciado  no  CFMO  097,  com  endereço  na  Avenida  Marques...  Asa  Branca – SP

********************************************************************************
                     TORCIDA, DA NAÇÃO  TRICOLOR DO EC BAHIA!
RUA LADEIRA  DAS PEDRAS   SETOR NORTE DA  ARENA   FONTE NOVA/BAHIA/BRASIL/20































































FBF e clubes anunciam regulamento do campeonato baiano 2017


O Campeonato Baiano de 2017 ganhou nova formula de disputa e terá inicio no dia 29 de janeiro, a primeira fase de classificação encerra 5 de abril. As semifinais acontecerão nos dias 9 e 16 de abril, enquanto que as finais nos dias 30 de abril e 7 de maio com total de 15 datas.
Os clubes se reuniram na sede da FBF.
O atual campeão Vitória,Bahia, Juazeirense, Fluminense de Feira, Galícia, Jacobina, Flamengo, Jacuipense, Vitória da Conquista, Bahia de Feira e o novato Atlântico aprovaram a nova formula de disputa
Na primeira fase de classificação, todos os 11 clubes em grupo único se enfrentarão em sistema apenas de ida, classificando-se os 4 melhores para a Semifinal. A partir da Semifinal será ida e volta, com 1º x 4º  e 2º  x 3º . Os dois vencedores buscam o título também em jogos de ida e volta. O primeiro e segundo colocados da semifinal têm vantagem de dois resultados iguais e realizar o jogo decisivo em seu mando de campo.
REBAIXAMENTO

Serão rebaixados para a Série B do Baianão 2018, os dois últimos colocados da 1ª fase, sem quadrangular.

MUDANÇA: As vagas para outras competições  serão distribuidas somente no Baianão, sem mais vagas para a Copa Governador do Estado. O campeão, o vice-campeão e o terceiro colocado garantirão vagas na Copa do Nordeste de 2018. Já na Copa do Brasil, o vencedor, o segundo colocado e o 3º garantirão as vagas. Poderão disputar o Brasileirão da Série D os três primeiros colocados exceto a dupla BAVI por já possuírem vaga em divisão superior.



O POETA MARATONISTA!
             
 Chiquitinha  (Gamaliel Chagas) na  Maratona  do Rio de Janeiro /23/8/1986
(3h 5 min),  foto no  no aterro do  Flamengo/RJ, 42,195 km.

                         CORRER É VIVER, REJUVENESCER...
                   (A Poesia do Corredor)

                          Chego do trabalho, calço o tênis de corrida
Visto a camisa e o calção, sigo para a pista
Ajusto o relógio, preparo logo a partida
Já estou correndo, olho ao redor, que vista!

Montanhas, rios, e lagos, árvores, casas e gente
Tudo desfilando panoramicamente, que paisagem!
Respiro o oxigênio puro, vitalício, vou em  frente
Pensando, medito enquanto corro, recebo mensagens...

É a minha mente livre, inspirando-me poeticamente
Imagens lindas! E, captando energias do além
Vai fortalecendo meu corpo, docilmente
Sinto-me feliz,  porque a corrida me faz bem.

A cada quilômetro percorrido
Estabeleço um ritmo adequado
Subindo e descendo ladeiras, corro
Sempre a cada passo, respirando controlado.

É a técnica treinada com resistência
Força, energia e muita paciência,
Superando meus limites, aprendo a viver
Sim, corro! Corro! Porque sei que vou rejuvenescer...

     Poetizada  em  13/02/1985/Cidade  de Dias D'Ávila, quando Gamaliel Chagas/
 realizava  treinamento (Bairro de Nova Dias D'Ávila).

Poesia em homenagem a todos os corredores de ruas (pedestrianismo) e amantes do atletismo. Direitos Autorais registrado em nome de Gamaliel.   

                       PRINCIPAIS CORRIDAS

Gamaliel Sales Chagas poeta desde os 19 anos de idade  (1970, maratonista, futebolista, pesquisador, historiador,narrador  de futebol,    matense, nasceu 07/07/1951 na rua Luís Sepúlveda Garcez (Centro, Mata de S. João)
Correu  14 maratonas  em 6 estados do Brasil de 1983-87 (S. Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais e João Pessoa)
2 maratonas em Nova York (1984 e 1986)
2 São Silvestre (1983, 1984)
Bi-campeão de 5 e 10 mil metros, Fonte Nova ( 1983+84) – (1984/85)
Escolhido o Maratonista Baiano e revelação do Atletismo da Bahia de 1984,  pela AVAB – Associação de Veteranos de Atletismo da Bahia
Correu 30 km de São Cristóvão/ Aracajú  pela  BR 101  no  ano  de 1986
Melhor tempo em maratonas: 2 h 59 min. (Salvador, 13/07/1985)
Representou os municípios de  Mata  de São João, Dias D'Ávila e Camaçari nas  corridas citas  sem ter apoio financeiro das prefeituras  citadas, apoio da Copene e do próprio Atleta (inclusive  nas duas Maratonas Internacionais  houve apoio da Copene  no translado Salvador Rio de Janeiro e vice   versa, ajuda  na  estádia), sendo  passagens  de ida e volta  a  custo do atleta, e trabalhava das 8 horas  as  17 horas e compensava  os dias  da estadia em New  York (5 dias em 1984 e 1986).

CORREU UM  "MARATONA" DA AMEBA/CIDADE  DE SALVADOR,   COM 37 KM, EM 1987
*******************************************************************************

GAMALIEL CHAGAS - RESUMO DAS PRINCIPAIS CORRIDAS:

O MARATONISTA BAIANO DE 1984 - BICAMPEÃO DOS 10 E 5 MIL METROS NA PISTA DA FONTE NOVA 1983/84.
2 MARATONAS INTERNACIONAIS /CIDADE DE NOVA YORQUE
PENTACAMPEÃO MATENSE DE VETERANOS / CORRIDA RÚSTICA DO BOMFIM DE MATA DE SÃO JOÃO, NA DÉCADA DE 2000.
15 MARATONAS COMPETIDAS - COMPETIÇÃO NO ATLETISMO BAIANO BRASILEIRO, EM 6 ESTADOS DO BRASIL! 5 MARATONAS NO RIO E JANEIRO, 2 EM BRASILIA, 2 SÃO SILVESTRES EM SÃO PAULO, ANOS 1983/84. VÁRIAS ELIMINATÓRIAS BAIANA DA S. SILVESTRE NA DÉCADA DE 1980.

COMPETIU:

01 MARATONA EM SÃO PAULO, 01 EM JOÃO PESSOA, 30 KM DE SÃO CRISTÓVÃO A ARACAJU EM 1985, 2 MARATONAS EM BRASILIA.
COMPETIÇÃO 3 OLIMPÍADAS DO POLO PETROQUÍMICO DE CAMAÇARI ONDE FOI BICAMPEÃ, COMPETIU NOS CITADOS JOGOS, NOS 10M, 1.500M, 5 E 10 MIL METROS, ALÉM DE 28 HM DE CAMAÇARI A PRAÇA ACM IDA E VOLTA, QUANDO FICOU EM 5º LUGAR ANO 1982.
COMPETIU DEZENAS DE CORRIDAS EM SALVADOR E CIDADES DO INTERIOR DA BAHIA, CONQUISTANDO MEDALHAS E TROFÉUS....

NESSE PERÍODO TRABALHAVA DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA, TREINAVA DAS 17H40 ÁS 20H30 DA NOITE. E FIM DE SEMANAS.





Gamaliel  na 1ª  Maratona da Independência da Bahia 1984 Salvador/Ba. 42. 198 metros
DIA 27/08/16



Curso  de  Comunicações  Verbais

(Um dos  melhores do Brasil/S. Paulo com credenciamento CFMO 097}


     No ano   de  1985  Gamaliel   iniciou  o   curso  de  Comunicações  Verbais  PPD-IOB (Treinamento  Programado  a  Distância)  por  correspondências  tendo  concluído  o  citado curso no  dia  7/3/1986.  O  citado  curso  organizado  por Oswaldo  Melantonio,  formado em  Direito, Filosofia  e  Jornalismo,  Oswaldo   presidente de  honra  de   várias  instituições  culturais  dentre  elas  a  Academia   Paulista de   Oratório  e  Academia   Brasileira  de   Comunicações  Verbais. O  curso  de  Comunicações   Verbais  teve  a  duração  de  6  meses  equivalente  a  100 horas/ aula  e  credenciado  pelo  CFMO  097.
.
     Oswaldo  Melantonio  realizou   vários   cursos  complementares  no  exterior  e  no  ano  de   1986   fazia 35  anos  se  dedicando  exclusivamente  as  Comunicações  Verbais;  inicialmente,  oratória   formal   e  informal   para   líderes   políticos   e  religiosos.   Nos  últimos   anos   Oswaldo  especializou-se   na   área   de   comunicações   dos   executivos,  objetivando a melhoria  da  produtividade  pela  eficiência  da  comunicação.

PERSONALIDADES EXPOENTES DAS  COMUNICAÇÕES VERBAIS

Várias personalidades  de Top  da  Política Executivos, da Oratória  Geral,  Locutores Esportivos, a  exemplo  de Osmar Santos/SP, Orestes Quércia  Jânio Quadros, Franco Motoro e  outros  expoentes que realizaram este  magnífico  curso, amplo usando as técnicas  da Grécia  antiga,   a exemplos  de   formidáveis  gênios  da  Comunicação, oratória da Grécia Antiga,celeiro exuberantes, Ícones das Comunicações Verbais; Aristóteles Demóstenes Cícero, este  considerado como um dos  maiores   gênios nas  Comunicações  verbais da  Grécia  e  do  Mundo, chegando ao ponto  de  governantes políticos gregos tentarem elimina-los, tal era o seu poder de oratória persuasiva (dotado de espetacular oratória  de convencimento, resumindo   era  um " Um Gênio Abençoado  da  Oratória  das Comunicações Verbais!".
    
Conteúdo  do  curso

     Introdução,  exposições  práticas,  técnicas  da  comunicação  dos  executivos,  educação  da  voz,  expressão  corporal,  figuras  de  estilos,  dez   qualidades   básicas   do  executivo,  práticas  de  comunicações  verbais  e  práticas  de  oratória
     De  modo  especial,  Oswaldo  realiza  treinamentos  para  as  lideranças  dos   principais  escalões   das   grandes   organizações   privadas   e   publicas.  O   citado   curso  já  treinou  grandes  personalidades  de diversos  seguimentos  sociais  a  exemplo  de  Franco  Motoro, Osmar   Santos,  narrador   esportivo   no  estado  de  São  Paulo,  Jânio   Quadros   que   foi  Presidente   da   República   de   31/1/1961   renunciando   o   governo   em   25/8/1961,  foi  prefeito  de  São Paulo  nas  décadas  seguintes.

     Jânio  Quadros  nasceu  em  Campo  Grande,  (Mata  Grosso  do  Sul)  no  ano  de  1917  e  faleceu  no  ano  de  1992  em  São  Paulo  e  outros  não  citados.  IOB – Cursos    de    Legislação   Empresarial   Ltda – CGC   47.677.810/0002-21,   credenciado  no  CFMO  097,  com  endereço  na  Avenida  Marques...  Asa  Branca – SP

********************************************************************************
                     TORCIDA, DA NAÇÃO  TRICOLOR DO EC BAHIA!
RUA LADEIRA  DAS PEDRAS   SETOR NORTE DA  ARENA   FONTE NOVA/BAHIA/BRASIL/2013














Nenhum comentário:

Postar um comentário