2016 começou a todo vapor para a Seleção Feminina Sub-17. Com competição marcada para o primeiro trimestre do ano, os treinamentos comandados pelo técnico Luiz Antônio agitaram o calendário das jogadoras desde janeiro. Tempo de preparar e moldar a futura geração a vestir a camisa do Brasil.
Logo no início do ano, 27 meninas foram convocadas para a última etapa de treinos visando o Sul-Americano da categoria, disputado na Venezuela, em março. A preparação priorizou o trabalho físico, com acompanhamento direto dos profissionais da comissão técnica brasileira.

PARTICIPAÇÃO NO SUL-AMERICANO DA VENEZUELA
A convocação final para o Sul-Americano contou com 22 nomes na lista. De olho na estreia do campeonato, a Seleção ficou concentrada em Barquisimeto para treinar, e o Brasil começou com o pé direito contra o Uruguai. Com três gols de Nycole, as meninas viraram o jogo contra as celestes e fecharam a conta em 5 a 3.
A boa sequência se manteve e o Brasil superou o Equador por 3 a 1 e a Bolívia por 4 a 0. Líder do grupo B com 100% de aproveitamento, a Seleção precisava de apenas um empate para confirmar a classificação em primeiro, e assim foi. 0 a 0 com a Colômbia e vaga garantida.
Luizão comentou a boa atuação brasileira durante a primeira fase e revelou atenção especial com a defesa.
– Após os dois primeiros jogos, procuramos ajustar a defesa, pois sofremos quatro gols ao todo. Nos confrontos seguintes corrigimos e não levamos gol – avaliou o treinador.
Pela fase decisiva, o Brasil venceu o Paraguai por 1 a 0 e a Colômbia por 2 a 0. Com este resultado, garantiu uma das três vagas para o Mundial da Jordânia, disputado no fim de 2016. A partida final do Sul-Americano Sub-17 foi contra a Venezuela, valendo o título. Diante de um estádio lotado, com mais de 40 mil torcedores em Barquisimeto, as donas da casa fizeram 1 a 0 e comemoraram o resultado.
Antes de divulgar a lista de jogadoras convocadas para o primeiro treino visando o Mundial, o técnico Luizão esteve no Sul para observar atletas, acompanhado do coordenador técnico das seleções femininas, Fabrício Maia. Dias depois, 19 meninas foram chamadas para participar de uma das etapas da preparação para a Copa do Mundo na Granja Comary, em Teresópolis (RJ).
Com os competidores rivais conhecidos, o treinador Luiz Antônio Ribeiro analisou cada seleção do Grupo C. Na sequência, 25 jogadoras se reuniram no Centro de Treinamento João Havelange, em Pinheiral (RJ), para a terceira fase de treinos. De olho nos primeiros confrontos, a dinâmica dos treinamentos foi direcionada ao perfil de cada adversário, e o conceito de organização defensiva foi trabalhado especificamente.
A quarta etapa de treinamentos começou no início de julho. Foram 25 meninas convocadas para uma série de atividades em Pinheiral (RJ), incluindo um amistoso contra a equipe principal do Flamengo. Dando continuidade à preparação para o Mundial, a Seleção embarcou para os EUA para participar de dois amistosos contra as americanas em agosto.
O foco das atividades eram a marcação e o posicionamento defensivo. As meninas foram exigidas em campo, e no dia do jogo, ficaram no empate em 2 a 2 contra a Sub-17 dos EUA. O técnico Luizão aprovou a experiência acumulada nessa partida, e no amistoso seguinte, prevaleceu o equilíbrio novamente, dessa vez em 1 a 1.
Para a última etapa de treinos, 25 jogadoras foram convocadas por Luizão e o grupo se reuniu na Granja Comary para uma rodada final de instruções e correções. As goleiras da Sub-17, em especial, viram esse encontro como o fim de um ciclo, já que as quatro atletas (Kemelli, July, Stefane e Nicole) regularmente estiveram na lista da Seleção, desde a edição do Mundial de 2014. Além disso, de modo geral, a proximidade das meninas com a casa da Seleção serviu de inspiração, uma vez que as craques da Seleção Feminina usam a Granja Comary com frequência.

DISPUTA DO MUNDIAL SUB-17 NA JORDÂNIA
Para a disputa do Mundial da Jordânia, em setembro e outubro, o treinador Luizão chamou 21 meninas para representar o Brasil. A delegação brasileira decolou rumo à capital Amã, onde ficou concentrada para treinamento
Em solo jordaniano, a Seleção Feminina aproveitou para treinar um pouco mais nos dias que precederam o Mundial, e inclusive marcou dois amistosos, contra Jordânia e Camarões, como parte da preparação para a estreia. Diante das donas da casa, o Brasil aplicou goleada de 7 a 0, mas acabou superado pelas camaronesas por 2 a 0.
Ainda antes da bola rolar na Copa do Mundo, as meninas da Seleção estiveram em reunião com a FIFA, na qual receberam o certificado de participação. A partir disso, só ficou faltando a presença das equipes em campo. O Brasil estava preparado, com treino de finalização em dia, e jogadoras motivadas no elenco, como a camisa 20 Kawane, tudo isso sob o olhar atento da chefe de delegação Michael Jackson.
O Brasil estreou com vitória diante da Nigéria por 1 a 0 com direito a golaço da camisa 10 Micaelly. Outra jogadora que se destacou, mas dessa vez com função oposta, foi a goleira Kemelli, fundamental para o resultado a favor do Brasil. 
Na rodada seguinte, as meninas tinham a dura missão de encarar uma das mais tradicionais seleções de base: a Coreia do Norte. Porém, ao apito do árbitro, prevaleceu a compactação das coreanas que encontraram um gol e seguraram o placar simples até o final.
Ao longo da competição, a Seleção Brasileira recebeu o carinho da torcida local, que fez cadernos personalizados para as meninas e comissão técnica. Inclusive, nessa delegação do Brasil esteve presente a primeira auxiliar técnica, Tatiele - braço direito de Luizão na Sub-17.
Visando ao confronto contra a Inglaterra, as meninas fizeram treino físico técnico, e outras aproveitaram o tempo para recomposição muscular. Entre as jogadoras convocadas, a jovem Tainara revelou se espelhar na insistência da craque Formiga, da Seleção Principal, na hora de treinar.
O último desafio das brasileiras no Mundial foi diante das inglesas. A Seleção sofreu a virada por 2 a 1 e se despediu da Jordânia deixando muitos agradecimentos às anfitriãs. A Coreia do Norte, que superou o Brasil na primeira fase, se sagrou campeã da Copa do Mundo de 2016.