terça-feira, 25 de outubro de 2016

POJUCA/BA. PARABÉNS! 103 ANOS DE INSTALAÇÃO DA VILA - 26/10 1913 - 26/10/2016


   EDIÇÃO INÉDITA -  HISTÓRICA
                                                         ATUALIZADA    EM 06/10/2016
***********************************************************************************************************************
COMEMORAÇÃO CÍVICA, FESTIVA!
 DA  DATA  DE INSTALAÇÃO  DA  VILA  DE  POJUCA


SUGESTÃO /GAMALIEL CHAGAS/CHIQUITINHA  MARAVILHA

 SUGESTÃO AO PODERES  LEGISLATIVO E EXECUTIVO, APROVAREM UM LEI  MUNICIPAL OFICIALIZANDO A DATA  DE 26 DE OUTUBRO  DE CADA ANO, FERIADO MUNICIPAL  COMEMORAÇÃO,  A INSTALAÇÃO  DOS  PODERES  CONSTITUÍDOS   DE POJUCA,  SIMILAR   AO FESTEJO   DO DIA 26/10/1913 ( HASTEAMENTO DAS BANDEIRAS  DE POJUCA,  BAHIA  E  BRASIL, MISSA NA MATRIZ,  SESSÃO MAGNA DA INSTALAÇÃO  DA VILA, NA  CÂMARA MUNICIPAL,  HOMENAGEM SIMBÓLICA  AO GOVERNADOR JOSÉ  SEABRA, UNS  DOS BENEMÉRITOS   DA  CRIAÇÃO E INSTALAÇÃO OS PODERES  CONSTITUÍDOS  DA  ENTÃO VILA  DE POJUCA, ASSIM COMO, DE  OUTROS  VULTOS     BENEMÉRITOS ANTERIOR  A  PASSAGEM  A  VILA  DE POJUCA, E   AINDA   POSTERIOR   A  VILA,  NA   ERA REPUBLICANA.

DESFILE  DE BANDAS, FANFARRAS, ESCOLAS  COM,  OS  ALUNOS DA REDE   MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, COM SUAS ALAS  CÍVICA, ESPORTIVA....  DESFILANDO PELA   RUAS  E  PRAÇAS DO CENTRO   HISTÓRICO  DA  CIDADE.
PELA  TARDE  PARTIDA DE  FUTEBOL  NO ESTÁDIO  MUNICIPAL  E  OURAS ATIVIDADES  NÃO CITADAS,  LIGADAS   A  DATA  MAGNA  DA  INSTALAÇÃO DA  VILA DE POJUCA, UM ACONTECIMENTO HISTÓRICO, AINDA  NÃO  COMEMORADA  NA DATA CITADA, HÁ  103  ANOS!        

********************************************************************************************                                                   
      
                                                        RELÍQUIA HISTÓRICA!
                       
                        RUA  GOVERNADOR JOSÉ JOAQUIM SEABRA JULHO DE 1923
                       NO CENTRO DA FOTO O EDIFÍCIO DA INTENDÊNCIA MUNICIPAL
                       EM FASE  FINA  DE CONSTRUÇÃO -

             F. ARQUIVO DE CHIQUITINHA  MARAVILHA -DIÁRIO OFICIAL  DA BAHIA 1923



SEABRA UM DOS BENEMÉRITO  DO  MUNICÍPIO  DE POJUCA/BA

LINK DA SUA BIOGRAFIA COMPLETA COM FOTOS NA PESQUISA DE


CHIQUITINHA MARAVILHA.


Nota:



Leopoldina  Seabra, irmão  do  citado Governador se  casou  com o Cel Luiz  Meireles   Viana (com   descendência),  este    tio irmão  da  trisavó de Chiquitinha Maravilha,   nominada de Joana  Amélia Meireles Viana, casada  com o médico político Dr.   Antonio  Rodrigues Teixeira, 1º Intendente  da  Vila  de Mata  de S. joão em 1890 (eram primos carnais).

Cel  Luiz  Meieles    foi Vereador  na  Vila de Mata de S. João, proprietario  do Engenho  São João na  região  da povoação de Pitanga, zona  rural matense, Luiz   herdou   do seu pai  o   citado Engenho de   açúrcar, depois  passou  a  ser Fazenda com o mesmo  nome.

LINK CLICAR NO LINK



GOVERNADOR  JOSÉ JOAQUIM SEABRA!
SUA  BIOGRAFIA.             
Por Chiquitinha  Maravilha                                                   
Governador   José Seabra  Líder Liberal Democrata, foi  destaque, sendo considerado o Maior Governador Baiano  da  Chamada  Republica Velha (1890 a 1930). 

Seabra: Carisma, Oratória Eloquente,  visão de  modernidade, liderança  incontestável  na  política  baiana  e  brasileira de 1890  a 1930. Seabra nasceu  no então Distrito dos Mares na   Cidade Baixa em Salvador /Bahia no  dia  22/08/1855 e faleceu  no  Rio de Janeiro em 07/12/1942, sendo sepultado no dia 12/12/1942 no Campo Santo, Cidade de Salvado perante uma multidão de   pessoas,  como jamais visto num funeral na cidade  de Salvador.

DE ALUNO BRILHANTE, A DOUTORADO  NA  FACULDADE  DE DIREITO DE RECIFE

 O  jovem  José  Joaquim  Seabra,  bacharelou-se  em  5/11/1877  com  22  anos  de  idade,  sendo  aprovado  com  distinção.  No  ato  da  sua  colocação  de  grau,  o  Lente  Catedrático,  homem  de  notável  inteligência,  o  Justiano  da  Silva  Guimarães,  propôs  a  Comissão  que  julgassem  o  aluno  que  acabava  de  concluir  o  curso  de  Bacharel em  Ciências  Jurídicas  e  Sociais  que  era  digno  de  um  prêmio  que  no  Estatuto  não  permitia  e  que  pelo  êxito  que  Seabra  havia  sido aprovado  no referido  curso.
A  sugestão  foi  aceita  pela  direção  da  Faculdade  de  Recife  e  Seabra  foi  agraciado  pelo  premio  a  que  fez  jus.  Foi  um  fato  inédito,  um  precedente  jamais  concedido  a  outros alunos  dessa  Faculdade  de  Direito  de  Recife.
Depois  de  aprovado  a  proposta  foi  levada  para  o  consentimento  do  Ministério do  Império,  que no  seu  relatório  pediu  aprovação  pela  Assembléia  da Capital  do  Império  (Rio  de  Janeiro), o  qual  também  a  proposta  foi  concedida.
Como  estudante,  Seabra  atingiu  o  culto  às  Letras,  depois  a  Revista  Acadêmica  de  Ciências Lidas.  A  mesada  modesta  paterna,  insuficiente  para  custear  os  estudos  de  Seabra,  o  qual  teve  de  trabalhar  nas  horas  vagas,  no  caso  lecionando  Retórica. 

Tese  de  Doutorado 

Seabra  fez  seu  doutoramento  em  1878,  sustentando  a  tese  perante  a  Congregação  da  Faculdade  de  Direito  de  Recife,  onde  nessa  brilhante  Faculdade  formaram-se grandes  expoentes, jurisconsultos  e  Estadista  do  Regime  Imperial  e  Republicano.
Não  era  fácil  obter  um  Diploma  de  Doutor  em  Direito.  As  provas  eram  difíceis  e  o  tribunal  exigente  e  rigoroso  no  julgamento.  Raros  eram  dos  poucos  que  aspiravam  a  honra,  os  que  logravam  serem  aprovados  e  raríssimos  eram  esses  os  aprovados  por  unanimidade.  O  Dr. Seabra  pertenceu  a  esse  seleto  número.  Não alcançou  nenhuma  “bola  preta”  foi  aprovado  unanimente,  era então  o  grau  mais  elevado.
No  ano  seguinte,  1879, entrou  em  concurso  para  lente  substituto  da mesma  Faculdade,  tendo  como  competidores: Albino  Meira,  o  Barros  Guimarães,  Roza  e  Silva,  Gomes  Parente  e  Lidino  Drumond, Seabra  foi nomeado.  Nessa  ocasião  era  Promotor  Público  da  Capital  do  seu  Estado,  em  cujo  desempenho  já  se  havia  imposto  a  consideração  pública  íntactica,  manteve  as  tradições  brilhantes  que  o  acompanhavam  dos  bancos  escolares,  fazendo  os  interesses  sociais,  ofendidos  Zacharias  Góes, Fernandes  da  Cunha  e  José  Antonio  Saraiva.
Por  força  do  cargo  em  que  fora  investido  por  decreto  Imperial,  o  Dr.  Seabra  já  então  casado com  dona  Amélia  de Freitas  Seabra,  a  filha  do  Conselheiro José  Antonio  de  Freitas,  clínico  e Professor  da  Faculdade  de  Medicina,  foi residir  em  Recife,  mais sempre  visitando  a  Bahia  (Salvador),  com  frequência,  onde  nasceram  os  seus  filhos.


                               O FUNERAL DO  SÉCULO  VINTE!                                                 
Cortejo do  Funeral  do  Governador da  Bahia, Dr. José Joaquim Seabra, na  Praça Castro, proximidades  do antigo Cine Guarani, naquele  inesquecível  dia  12/12/1942  na    linda Cidade de Salvador, a capital da Bahia,  com destino  ao tradicional  Cemitério do Campo Santo, onde   foi sepultado  o Ilustre e  Notável Baiano. Um dos Ícones da  Política  Baiana  de Todos os Tempos!
FOTO 1913
********************************************************************************

HISTÓRICO!

Eleições de Intendente e Vereadores de Pojuca

(07/09/1913

     Foi realizada a 1ª eleição para a composição do Poder Legislativo e Executivo do recém criado município de Pojuca, no dia 7/9/1913 no edifício da escola do sexo masculino no município de Catu, eleitorado da 4ª Seção Eleitoral.
     O presidente do Mesário foi Manoel Batista dos Santos, Mesários foram: José Félix de Oliveira Ramos, Raimundo Ferreira de Santana, Pedro Cândido da Trindade, João Gualberto da Silva foi o Secretário.
     Os resultados das eleições foram: para Intendente Carlos Pinto 206 votos. Conselheiros: Manoel Joaquim da Silva 155 votos, Pedro Cândido da Trindade 144 votos, Dr. João Evangelista Paim 142 votos, Raimundo Ferreira de Santana 97 votos, Antonio Thomé de Abreu com 96 votos, José Félix de Oliveira Ramos 91 votos, João Nicodemo de Poltti 41 votos (os  eleitos). Os   Suplentes: Ângelo José Ferreira 35 votos, Manoel Aquilino do Espírito Santo 34 votos, Pacífico Lima com 27 votos, Alexandre Batista Lima 21 votos, Emydio Serafim de Lemo 20 votos, Adalino Simões de Freitas 12 votos, Emygdio da Costa Lidger 8 votos.
     Destes 16 candidatos a Conselheiros Municipais votados, foram eleitos Conselheiros os 7 mais votados.
     Ata da Seção Preparatória para a verificação de Poderes do Conselho da Intendência Municipal da Vila de Pojuca. Às 10:00 hs da manhã do dia 7 de outubro de 1913 na Sala da casa destinada a ser o Paço Municipal, reunidos os Conselheiros Manoel Joaquim da Silva, por ser o mais  votado, escolhido o Presidente do Conselho.
     Para o 1º Secretário, o Conselheiro Pedro Cândido da Trindade (o 2º mais votado), para 2º Secretário o Dr. João Evangelista Paim o 3º mais votado, constituindo a Mesa Interina os Conselheiros entregaram ao Presidente os seus respectivos diplomas.
     Antonio Thomé de Abreu, Manoel Baptista dos Santos, José Félix de Oliveira Ramos, a Junta Apuradora expediu diplomas aos 7 primeiros mais votados, reconhecendo Conselheiros sem contestação.
     Documento extraído dos livros do Cartório de Notas, pelo chefe da Agência Municipal de Estatística de Pojuca, Francelino Improta.
     A Banda de Música do 1º Corpo de Polícia da Capital, tocou o Hino Oficial da República. O coronel Carlos Pinto, Intendente de Pojuca e o vigário Cupertino de Araújo, receberam os convidados, organizaram no melhor estilo as solenidades que iria acontecer dentro de alguns instantes.
*******************************************************************************

Instalação do Termo de Pojuca da Comarca de Mata

     Aos 25 dias deste mês do ano de 1913, presentes na Casa da Câmara Municipal desta Vila, o Dr. Juiz Preparador, Dr. Promotor Público da Comarca de Mata de São João, o Coronel Intendente deste Município, Conselho Municipal e grande número de pessoas gradas, foi aberta a audiência presidida pelo Dr. Juiz Preparador para a instalação do Termo de Pojuca, criada pela Lei nº 979 de 29 de Julho deste ano.
     Em seguida, o Dr. Juiz Preparador, fez a nomeação do escrivão, ad-hos dos Feitos Civis e Criminais, o Cidadão José Gualberto da Silva, que prestou imediatamente o seguinte compromisso legal: Juro ou prometo cumprir e respeitar em Lealdade a Constituição e Leis da República e do Estado, desempenhar com honra as funções a seu cargo e executar com solicitude as determinações de meus superiores legítimos.
     Feito isto, o Dr. Juiz Procurador, depois de dizer algumas palavras salientando a necessidade da boa distribuição da Justiça, declarou instalado o Termo de Pojuca com as formalidades do estilo e marcou as suas audiências para as Terças e Sextas de 01:00  às 02:00 hs da tarde.
     Em firmeza do que eu, José Gualberto da Silva, Escrivão ad-hos, lavrei esta ata na primeira folha do livro de protocolo, que vai assinada pelo Dr. Juiz Preparador e demais pessoas presentes e por mim José Gualberto da Silva, Escrivão ad-hos que a escrivi.
     Cópia da Ata da Instalação do Termo de Pojuca, extraída por Francelino Improta – Chefe da Agencia Municipal de Estatística de Pojuca (ME), 31/8/1957.10331
******************************************************************************

 HISTÓRICO / POJUCA/BAHIA

INÉDITO!!

Instalação do Município de Pojuca 26/10/1913

     Aconteceu no dia 26/10/1913, a instalação oficial do município de Pojuca desmembrado do vizinho município de Catu, o ato de instalação foi muito festivo, com as presenças de várias autoridades e  do  jornal do Diário da Bahia, assim como de autoridades do município de Pojuca.

Caravana e Autoridades do Estado rumo a Pojuca

     Às 6:00 da manhã do dia 26/10/1913, partiu do Elevador Lacerda com destino a Calçada, o Sr. Governador do Estado Dr. José Joaquim Seabra, chefe de Polícia com as suas famílias, oficial de Gabinete do Governador Seabra, Senadores de  Estado e representantes da Imprensa.
     Todos eles foram em bondes especiais, procedida da Banda Oficial do 1º Corpo de Polícia na Gare (Estação) da Calçada, era esperados pelos Secretários de Estado, comandante do Regimento Oficial, Comandante do Corpo de Polícia, diversos oficiais e outros.
     Ás 7:00 hs da manhã começaram a partida para Pojuca, puxado por locomotivas de 5 classes. Tomaram lugar na de luxo os senhores Exmo. Governador e seus Secretários.

Desembargador Tomás Garcez  Paranhos  Montenegro

(em  Camaçari  Homenageia  Seabra)

     Às 9:00 hs em ponto passaram pela Estação de Camaçari, onde lá o Desembargador Thomás Garcez Paranhos Montenegro da sua residência em frente a Estação da Leste, saudou a Comitiva do Governador José Seabra com estrepitoso espocar de foguetes. Uma grande marcha em frente a sua aplausível residência, onde tremulava a Bandeira Nacional.

A Comitiva do Governador Seabra em Mata 1913

 A Comitiva do Governador José Joaquim Seabra que partiu em 5 vagões especiais da Leste Ferroviária, da Estação da Leste, localizada na Calçada, depois de passar pela Estação de Trem de povoação de Camaçari, realizou uma rápida parada na Estação da Vila de Mata, isto no dia 26 de outubro de 1913, pouco mais das 9:45 hs da manhã de domingo, antes de chegar em Pojuca.
Na Vila  de Mata de São João, nessa rápida parada, a Comitiva foi saudada pela massa popular que já aguardava o Governador da Bahia, o Sr. José Joaquim Seabra e sua Comitiva.
Estudantes primários das Escolas Municipais e Estaduais e o povo, aplaudiram a Comitiva do Governador, prestando-lhes homenagens e muita queima de fogos nos céus da Vila de Mata de São João.
A Escola Municipal com a sua classe discente, comandada pela regente Maria do Carmo Castro Lima, saudaram o Governador Seabra, tendo a professora Maria do Carmo entregado ao Dr. José Joaquim Seabra um lindo ramalhete de flores naturais.
     Pela Escola Estadual, a menina Almerinda Simões Sales também saudou o Governador Seabra entregando-lhe um lindo buquê de flores naturais, recebendo o abraço carinhoso do Dr. José Seabra.
A Professora Alcina Guerner, era a regente da Escola Estadual na Vila de Mata de São João. Alcina também saudou o Governador Seabra com uma grande massa do povo concentrada na Estação de Trem, assim como no  largo situado em frente da Estação de  Trem, aplaudiam a Comitiva e o Presidente do Conselho Municipal da Vila de Mata, recepcionou a Comitiva do Governador, assim como o Intendente da Vila,  que se incorporou a Comitiva rumo a Pojuca.

Também o Bacharel Guilherme Meireles Viana que já foi Promotor Público na Vila, cumprimentou o Governador Seabra e junto com outros matenses, incorporaram a Comitiva.  Dr.  Guilherme irmão  de Luis  Meireles  Viana,  este  casado  com  a  irmã   de José  Seabra, Dona   Leopoldina   Seabra  Viana.  
Dr. Guilherme. irmão de  Joana Amélia Meireles  Viana, esposa  do  médico político  matense,  Dr. Antonio Rodrigues Teixeira (estes  trisavôs materno de  Gamaliel Chagas/Chiquitinha Maravilha, Dr. Antonio   1º Intendente  da Vila de  Mata de São João/1890,  da era republicana).
O Comboio de Trem partiu da Estação de Trem rumo a Vila de Pojuca, depois de um rápida parada. Dezenas de girândolas e foguetes espocaram nos céus da Vila de Mata de São João que vivia minutos históricos com a nobre Comitiva do Governador Seabra, que ia instalar a Vila de Pojuca naquele domingo, dia 26/10/1913.
A Estação onde o comboio da Comitiva de Seabra parou, não foi a Estação atual, esta foi edificada na década de 1940, na Superintendência de Lauro de Freitas. A Estação citada é a situada perto da Casa Residência do Fazendeiro José de Oliveira Regis (já falecido e não pertencente à família). Esta Estação está em ruínas e precisa ser restaurada. Ao seu lado existe uma caixa d’água edificada na década de 1940, junto com a nova Estação de Trem.
******************************************************************************

A Chegada em Pojuca da Comitiva

     Às 10:28 hs chegou a Comitiva na Estação de Trem de Pojuca onde diversas famílias, autoridades e pessoas outras, sendo delirantemente ovacionada a Comitiva do Governador Seabra.
     As Filarmônicas Euterpe Siciliana, Euterpe Alagoinhense que foram a passeio de recreio para abrilhantarem os festejos da instalação da Vila de Pojuca. As Filarmônicas de Pojuca, Recreio Jovial e Amantes da Lira de Pojuca estavam presentes na Festa Política.
     Foram oferecidas lindas palmas de flores naturais, fitas de seda branca com as devidas inscrições: Ao Benemérito Governador oferece agradecido  o município de Pojuca
     Ao coronel Carlos Pinto foi entregue uma Palma com os dizeres: Ao querido Intendente Cel. Carlos Pinto, pleito de gratidão do povo de Pojuca. Aos presentes foram servidos taças de champanhe  e vários brindes.
     Na Vila de Pojuca, grande entusiasmo geral. Vários folguedos populares, queima de fogos e foguetes, muita música sendo executada na Vila.
     A Banda  de  Música do  1º  Corpo  de  polícia  da  capital  tocou  0  Hino  Oficial  da  República,.  O  Coronel  Carlos  Pinto, Intendente  de  Pojuca  e  o  vigário  Cupertino  de  Araujo, receberam   os  convidados, organizaram  no  melhor  estilo  as  solenidades  que  iria  acontecer   dentro  de  alguns   instantes.

Conselheiros e o Intendente da Vila de Pojuca

     A instalação oficial da Vila de Pojuca teve os seguintes membros empossados pelo Governador José Seabra: Intendente, o Coronel Carlos Pinto  com 206 votos (foi  também Deputado estadual, Senador estadual, nos anos  seguintes),  
 Conselheiros: Manoel Joaquim da Silva 155 votos, Pedro Cândido da Trindade 144 votos, Dr. João Evangelista Paim 142 votos, Raimundo Ferreira de Santana 97 votos, Antonio Thomé de Abreu com 96 votos, José Félix de Oliveira Ramos 91 votos, João Nicodemo de Poltti 41 votos (os  eleitos). Os   Suplentes: Ângelo José Ferreira 35 votos, Manoel Aquilino do Espírito Santo 34 votos
O presidente do Mesário foi Manoel Batista dos Santos, Mesários foram: José Félix de Oliveira Ramos, Raimundo Ferreira de Santana, Pedro Cândido da Trindade, João Gualberto da Silva foi o Secretário.

Pojuca Toda Engalanada, era Só Festas!

     A Vila de Pojuca estava toda engalanada, recepcionando os procederes da política estadual da Bahia. As ruas, avenidas e praças com a sua simpática população saindo às ruas sorridentes naquele dia histórico com a instalação oficial da Vila de Pojuca, emancipada no dia 29 de julho de 1913. Faixas, cartazes com dizeres alusivos a data da instalação da Vila de Pojuca, assim como faixas alusivas aos políticos do estado do município de Pojuca.

Banquete na Residência do Intendente

     A Comitiva do Governador José Seabra, seguiu para a residência do Intendente, Coronel Carlos Pinto que recepcionou toda Comitiva do Governador Seabra com um histórico Banquete.
     Esse banquete tinha o seguinte cardápio que foi servido  precisamente às 11:20 hs: Salmon, rosbife, estrogonofe, maionese, brochete, vários tipos de champanhes, sobremesas, sorvetes, café, licor e água mineral importada de outros estados: São Lourenço, Corcovado e outras marcas

A Missa na Matriz de Pojuca

     Às 13:20 hs realizou-se a Missa na Matriz, sendo Missa de Ação e Graça. Com presenças das autoridades pojucanas e da Comitiva do Governador José Joaquim Seabra, estando a Matriz toda ornamentada.
     Padre Reverendíssimo João Martes nos ofícios da Missa, servindo como diácono, padre Cupertino Araújo, vigário de Catu, subdiácono, padre Manoel Tibúcio, vigário de São Sebastião do Passé. Ocupou o púbito o padre Osório, ex-Capelão  do famoso Hospital Português de Salvador, que produziu um belo sermão.

Sessão Magna de Instalação da Vila de Pojuca

     Às 14:00 hs instalou-se a Sessão Magna, onde foram empossados, Intendente e os Conselheiros da Vila de Pojuca, sendo o ato presidido pelo Governador José Seabra. Os Sr. Carlos Pinto, Engº João Paiva usaram da palavra, discursando, encerrando a solenidade o Governador José Seabra que produziu vibrante discurso, sendo aplaudidos por todos os presentes.

Comitiva Recepcionada no Edifício da Prefeitura

     Depois de fazendo um rápido lanche na Casa do Deputado Carlos Pinto  (eleito Intendente de Pojuca), a Comitiva seguiu para as dependências  do prédio da Prefeitura de Pojuca, que se situava perto da residência do Sr. Carlos Pinto.

     O Salão Nobre da Prefeitura estava todo engalanado, tendo uma grandiosa Mesa no formato em U, onde todos os convidados sentaram-se para o banquete, oferecido pela Prefeitura Municipal, tendo o Exmo. Dr. José Joaquim  Seabra tomado assento ao lado do 1º secretário Geral do Estado, Arlindo Fragoso, José Álvaro (Chefe da briosa Polícia da Capital). O Cel. Carlos Pinto Intendente de Pojuca e mais as seguintes pessoas:
     Dr. Anísio Circundes de Carvalho, Dr. Jerônimo Gonçalves, Dr. César Cabral, Cel. Frederico Costa, Dr. João Martins, Dr. Pedro Arlindo, Dr. Pereira Morais, Dr. Agnelo Dourado, José Furtado de Oliveira, Cel. Joaquim Esmeraldo Jesuino de Oliveira, Santos Moreira pelo Sacro de Gado, Arthur Ferreira pela Gazeta de Notícias, Arthur Silva Filho, Dr. Manoel Durval, Dr. Francisco Borges, Dr. Vitorino Morais, Cirurgião Dentista, Carlos Seabra, Aloísio e Carvalho.

     E mais  ainda: Cel. Pedro Ataide, Cel. Costa Lopes, Intendente Mata de São João, Guilherme Meireles Viana, Bacharel, político em Mata de São João, Dr. Arquimede Pessoa, Dr. Pedro Celestino,  Eduardo Lopes, Engº Francisco Becker, Adolfo Gonzales, J. Batista de Melo Filho, Dr. Américo Alves, Cel. Bernado Dias Lima, o Major João Farias, Paulo Bispo, Capitão Justiniano do Bonfim, Major Néri de Freitas, Alferes Antonio Maia.
     Também presentes: Cel. Luiz Marques, Capitão Miguel Chaves, o Capitão Borges de Barros, Capitão Otávio Sarmento (amigo da Mata de São João), Justo Sabino,  Francisco Bernado Martins, Capitão Aloino Cerqueira, Aroldino Cardoso, Cel. João José , Miguel Paraense, este do Jornal Gazeta de Notícias.
     Foram tocados os musicais: Viúva Alegre, Sonho de Valsa, Conde de Luxemburgo, dentre outras músicas. Um cardápio selecionado foi servido: Salmon, Roast beef, maioneses, Carmard, dindon, jarbond’Yor d’York, Vol-ou-vent, água mineral (São Lourenço Corcovado, etc).

     Sobremesas: doces, sorvetes, café, licor, etc. O horário do Almoço no Salão Nobre da  Prefeitura Municipal de Pojuca, foi a partir das 11:30 hs, depois foi a sequencia a Missa na Matriz, no dia 26/10, dia consagrado em louvor do Sagrado Coração de Jesus e foi por isso escolhido essa data, para a Instalação da Vila de Pojuca. A Missa Solene foi às 13:20 e depois a Sessão Magna da Instalação da Vila, sendo empossado Intendente e Conselheiros Municipais de Pojuca.    
  A cerimônia de Instalação da Vila de Pojuca, ocorreu às 14 hs, no salão da Prefeitura Municipal.

A Comitiva Retorna a Salvador

    A Comitiva, às 15:00 hs, foi para a Estação de Trem e com os acordes de várias músicas e o espocar dos foguetes, os vagões da Leste partiram da Estação de Pojuca com destino a Estação da Calçada em Salvador, onde a Comitiva chegou depois de uma agradável viagem com cerca de 3 horas de duração. Na Pojuca continuaram os festejos até altas horas da noite.Vários   jornais   de  Salvador   foram  a  Vila    de  Pojuca   para   a  festa   da  Instalação  da   citada   Vila. 

 INTENDENTE  E  CONSELHEIROS 1923/27

No ano  de  1923 era  Intendente  da  Vila  de Pojuca o Major Virginio de Oliveira Lima, sendo os  sete  Conselheiros Municipais os Srs. Coronel Carlos  Pinto, o Presidente, Capitão Pedro Cândido da  Trindade, este o  vice-presidente,  Capitão   Raimundo Ferreira de Santana, , 1º Secretario o Capitão Bartolomeu Souza, 2º Secretario Antonio Thomé  de Abreu, José  de Azevedo Lima e José Felix de Oliveira Ramos.

Fonte/ Diário Oficial Edição Especial  do centenário da

  Independência da  Bahia, edição  de  02/07/1923,páginas 560


****************************************************************************************************************************

SAM 3557 x264 001 A TRAGEDIA DO TREM DA LESTE NA CIDADE DE POJUCA/BAHIA EM 1983

    • 3 anos atrás
    •  
    • 3.292 visualizações
    Vídeo filmado, produzido por Chiquitinha Maravilha na entrevista com Sr. Elivan Jose Lima, no dia 23/10/2013,morador na rua 29 de julho de 2013,nº 90, cidade de Pojuca/Ba. desde 6 me...

SAM 3630 x264 PARABÉNS POJUCA 100 ANOS DA INSTALAÇÃO DA VILA 26/10/1913 -26/102013

    • 3 anos atrás
    •  
    • 456 visualizações
    Vídeo narrado, filmado, produzido por Chiquitinha Maravilha dia 23/10/2013 na cidade de Pojuca que completou no dia 26/10/2013 completou 100 anos da Instalação da Vila (atual ... 

INTENDENTE  E  CONSELHEIROS 1923/27

No ano  de  1923 era  Intendente  da  Vila  de Pojuca o Major Virginio de Oliveira Lima, sendo os  sete  Conselheiros Municipais os Srs. Coronel Carlos  Pinto, o Presidente, Capitão Pedro Candido da  Trindade, este o  vice-presidente,  Capitão   Raimundo Ferreira de Santana, , 1º Secretario o Capitão Bartolomeu Souza, 2º Secretario Antonio Thomé  de Abreu, José  de Azevedo Lima e José Felix de Oliveira Ramos.

Fonte/ Diário Oficial Edição Especial  do centenário da  Independência da  Bahia, edição  de  02/07/1923,páginas 560.
*******************************************************************************************************

PREFEITOS DE  POJUCA

 Ex-prefeitos
Nome
Período
Condição
Carlos Pinto
1913
Eleito pelo Conselho Municipal
Raimundo Sant'Ana
1923/1927
Eleito pelo Conselho Municipal
Pedro Cândido da Trindade
1928-1929
Eleito pelo Conselho Municipal
Raimundo Sant´ana
1930
Eleito pelo Conselho Municipal
Pacífico de Azevedo Lima
1930-1931
Nomeado p/ interventor federal
Dr. Elsior Coutinho
1931-1935
Nomeado p/ interventor federal
João da Costa Libório
1937-1938
Nomeado p/ interventor federal
João Alfredo Leite
1938-1939
Nomeado p/ interventor federal
Hunaldo de Lima Oliveira
1940-1941
Nomeado p/ interventor federal
Nilson Federal Coelho
1941-1943
Nomeado p/ interventor federal
Antônio Mota
1943-1945
Nomeado p/ interventor federal
José Martins Valverde
1945-1946
Eleito pelo povo
João Alfredo Leite
1946-1948
Eleito pelo povo
Antônio Mota
1948-1950
Eleito pelo povo
Antônio Paes Leal
1950-1954
Eleito pelo povo
Flaviano de Souza Bomfim
1954-1955
Eleito pelo povo
Percílio dos Santos
1955-1959
Eleito pelo povo
José Gonçalves Cruz Filho
1959-1963
Eleito pelo povo
Percílio dos Santos
1963-1967
Eleito pelo povo
José Gonçalves Cruz Filho
1967
Eleito pelo povo
José Vardes
1967
Interino
Antônio Baptista dos Santos
1967
Interino
Fernando Ferreira da Silva
1968
Interino
Walter de Almeida Mansur
1970-1973
Eleito pelo povo
José Vardes de Souza
1973-1975
Eleito pelo povo
Walter de Almeida Mansur
1976
Eleito pelo povo
Maria Luiza Dias Laudano
1977-1983
Eleita pelo povo
Luiz Alfredo Leite
1984-1988
Eleito pelo povo
Eudes José Argolo Guimarães
1989-1992
Eleito pelo povo
Luiz Alfredo Leite
1993-1996
Eleito pelo povo
Maria Luiza Dias Laudano
1997-2000
Eleita pelo povo
Maria Luiza Dias Laudano
2000-2004
Eleita pelo povo
Antônio Jorge de Aragão Nunes
2005-2006
Eleito pelo povo
Carlos Eduardo Bastos Leite
2006-2008
Decisão Judicial
Gerusa Laudano
2008-2012
Eleito pelo povo
PREFEITOS - 2013
Ana Cristina Nunes Moreira2013
Decisão Judicial
Antônio Jorge de Aragão Nunes2013- Eleito pelo povo

EM 02/10/16, FOI ELEITO  PREFEITO DUDA  LEITE, coligação TRABALHANDO POR NOSSA GENTE - PRB / PMDB / PSC / PP / PR / DEM / PSDB. TOTALIZANDO  43,44% - 8.958 VOTOS


*****************************************************************
Pojuca (1/2)
Pojuca é um município brasileiro do estado da Bahia, localizada na Região Metropolitana de Salvador.
Município de Pojuca
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida
Fundação
Cidade Modelo
Gerusa Dias Laudano
(2009 - 2012)
Localização
Localização de Pojuca
12° 25' 51" S 38° 19' 40" O12° 25' 51" S 38° 19' 40" O
Catu IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes
Distância até a capital
67 km
Características geográficas
290,1172km²
33. 066 hab. IBGE/2010
Estimada em 2013 36.551

113,97 hab./km²
61.368 m
Tropical Atlântico
Indicadores
0,708 médio PNUD/2000 
R$ 946.714.114 mil IBGE/2005 
R$ 33.211,00 IBGE/2005
Código do Município 2925204 




1. História
Com a chegada de Tomé de Sousa, em 1549, pisou as terras incultas da Bahia o intrépido bandeirante Garcia D´Ávila, estabelecendo-se nas terras onde está situado o atual município de Pojuca e partiu para o desenvolvimento de densa floresta; contribuindo para o povoamento da região, posteriormente, introduziu-se Mata de São João, onde se edificou o castelo da torre. Data de 1612 o movimento colonizador, verificando nas terras marginais dos rios Pojuca, Jacuípe e Joanes, que se atraíram pela sua fertilidade, diversos colonos, os quais ali se fixaram, fazendo erguer-se das matas incultas, pequenas comunidades.
A primeira povoação surgida no território do atual município data de 1684, quando se fixaram às margens do Rio Pojuca, onde está situada a cidade do mesmo, as famílias Freire de Carvalho, Veloso e Saraiva, que fizeram construir moradias e engenhos, atraindo para o desenvolvimento da nascente diversos colonos.

Com o decorrer do tempo, foram surgindo as primeiras casas e as principais ruas, conhecendo a povoação apreciável progresso, uma conseqüência lógica do seu aumento populacional.
O Distrito criado pela Lei Municipal de 5 de setembro de 1892, figura na divisão administrativa do Brasil, relativa a 1011 com o componente do município Sant'Ana do Catu.
Em virtude da Lei Estadual N° 979 de 29 de julho de 1913, criou-se o município de Pojuca, com o território desmembrado de Sant ´Ana do Catu (atual Catu), começando a chamar-se assim a partir de 26 de outubro de 1913.

Na divisão administrativa do Brasil, concernente a 1933, o município de Pojuca apresenta-se subdividido em dois distritos, o da sede e o do Miranga, mantendo-se essa formação distrital nas divisões territoriais datadas de 31 de dezembro de 1937, como também no quadro anexo de decreto Lei N° 10724 de 30 de março de 1939.

POJUCA SIGNIFICA

O termo Pojuca, segundo Teodoro Sampaio, é corrutela de iapó-iuca, que significa o pântano, o estagnado, o podre; para os naturais é usado o gentílico “pojuquense” ou “pojucano”.
O rio Pojuca banha todo o município de oeste para leste, num percurso de 60Km aproximadamente e a cidade encontra-se edificada a sua margem esquerda, originando-se daí o seu topônimo.
2. Geografia
Fica situada a 76,1 km (1h e 12 minutos - BR 324 e BR 110 e 1h e 33 minutos - BR 324) da capital baiana, na Região Metropolitana de Salvador. Suas principais rodovias de acesso são: BA-093, BA-504 e BA-507.
Sua temperatura média é de 24.7°C bastante confortável principalmente em dias de verão.
As atividades econômicas do município são bastante diversificadas: Agricultura, pecuária, extração de petróleo e gás natural, indústrias, comércios e serviços.

POPULAÇÃO E SUPERFÍCIE

População: Estimada em 1 de julho de 2005 - 28.506 habitantes.
Superfície: A área do município é de 318 km²
Localização: Está localizada na zona Norte da Região Metropolitana de Salvador, a 76,1 km da capital ligada por rodovias asfaltadas.

Acidentes geográficos: O município é pouco acidentado, apresentando pequenas elevações ao oeste. Os principais acidentes geográficos são os rios Pojuca, Catu e Quiricó.
Clima: É temperado com variações bruscas. Não há posto meteorológico no município. A temperatura média é de 24.7°C, bastante confortável principalmente nos dias de verão.

Limites:
Ao norte: Catu e Araçás.
Ao sul: Mata de São João
A leste: Itanagra
A oeste: São Sebastião do Passé

Com o município de Catu - começa no rio Pojuca, na foz do rio Una, por este acima até a foz do riacho Muritiba, pelo qual sobe até sua nascente; daí em reta até a nascente do riacho Caboclo, de onde prossegue em reta até o lugar sapé, à margem do rio Catu, daí ainda em reta até o marco divisório entre as fazendas Angola e Camaçari, à margem do riacho Gameleira, pelo qual desce até sua foz no Quiricozinho, por este acima até a foz do riacho Fortuna.
Com o município de Araçás - começa na foz do riacho Fortuna, no rio Quiricozinho, daí em reta à foz do riacho Cancelão, no rio Quiricó Grande.
Com o município de Itanagra - começa na foz do riacho Cancelão, no rio Quiricó Grande, até a sua foz no rio Pojuca.

Com o município de Mata de São João - começa na foz do rio Quiricó Grande, no rio Pojuca, desce pelo rio Pojuca até a ponte da Estrada de Ferro sobre o mesmo rio.
Com o município de São Sebastião do Passé - começa no cruzamento da Estrada de Ferro sobre o rio Pojuca, na frente da cidade do mesmo nome, subindo o rio Pojuca até a foz do rio Una.
Densidade demográfica: 93.53 Hab/km²
Altitude: 61.368m
Relevo: planície
Vegetação: matas perenes no centro como semidecíduas.
Clima: tropical úmido

O território do município é banhado por diversos rios de onde provém a fertilidade de suas terras. A zona central é regada de norte a sul pelos rios Catu e Quiricozinho. Os seus extremos de oeste, leste e sul, pelos rios Una, Quiricó Grande e Pojuca, estabelecendo linhas divisórias com os municípios vizinhos. Não há um só rio navegável. A época de maior intensidade das chuvas é a do inverno, embora se verifiquem chuvas também durante o verão. São raríssimas as secas e estiagens. O rio Pojuca, quando no período de inverno, enche, causando prejuízos à lavoura. O clima é temperado com variações bruscas. Sob o ponto de vista agrológico, predominam as terras arenosas e argilo-silicosas, existindo, entretanto cerca de 30% da sua área total de terras humíferas. Quanto à cor das terras mais características do município, é a amarela, notando-se certa quantidade avermelhada e escura. Dois terços, aproximadamente, da área total são acidentados e situados a oeste, embora não tenha montanhas ou picos que se possa mencionar.

3. Aspectos urbanos
A cidade está situada à margem do rio Pojuca. É servida pela ferrovia Companhia Atlântico Leste (ex-Companhia Férrea Federal Leste Brasileiro), cujas linhas a dividem no meio. A principal artéria é a rua J.J Seabra onde estão localizadas as melhores casas comerciais e as duas agências bancárias. Na Praça Antônio Carlos Magalhães, a principal da cidade, estão localizados o prédio da Câmara Municipal, o Fórum Desembargador Walter Nogueira, a Biblioteca Municipal, a sede da Filarmônica São José, o clube social, uma escola, estabelecimentos comerciais e residenciais. Na praça Almirante Vasconcelos estão situados o prédio da Prefeitura Municipal, o Centro Assistencial Antônio Balbino (Posto Médico), o prédio da EMBASA, o Colégio Estadual Luiz Eduardo Magalhães, a Escola Conselheiro Saraiva e várias residências. O bairro Inocoop também merece destaque pelo número de residências e que também situa o batalhão da polícia militar e a delegacia de polícia.

4. Subdivisões
Além da sede, o município conta com o distrito de Miranga, as localidades de Central e Retiro e os povoados de Riachão, Cabíola, Riacho do Meio, Coqueiro, Sapé, Sapucaia, Patins, Brejões, Lagoa Verde, Corujão (Paraíso), Garoupa, Araponga, Jenipapo, Riacho das Pedras, Arauari, Pipiri, Pacas, Santiago e Pedrinhas.

4. 1. Praças
Nome Localização Praça 29 de julho Rua 29 de julho, Centro Praça Juracy Magalhães Bairro Cruzeiro Praça Guilherme Nonato Rua Alfredo Leite - Bairro Shangri-lá Praça Lauro de Freitas Rua Alfredo Leite - Bairro Shangri-lá Praça Rui Barbosa Bairro Centro Praça da Bandeira Bairro Centro Praça Edna Couto Bairro Inocoop Praça Almir Guimarães Bairro Cruzeiro Praça Celso Cunha Sérgio Bairro Central Praça Antônio Carlos Magalhães Bairro Centro Praça Almirante Vasconcelos Bairro Centro Praça Mário Improta Bairro Inocoop Praça Hélio Cruz Bairro Centro

5. Aspectos sociais
A sede do município é servida de energia elétrica, abastecimento de água, agência da EBCT e telefonia. Possui clube social, estádio e várias áreas de lazer.
A assistência médica oficial é prestada pelo Hospital Maternidade Maria Luiza dias Laudano, Conjunto Assistencial Governador Antônio Balbino, Posto Médico do Estado, Posto Médico de Central, Posto Médico do Retiro e Unidade Móvel de Saúde, dotada de consultório médico e odontológico que atende principalmente à população da zona rural. A sede possui clínicas, consultórios médicos e odontológicos particulares.
O município é sede da Paróquia de Nosso Senhor Bom Jesus da Passagem (fundada em 12 de dezembro de 1904), com oito templos. Praticam-se também os cultos evangélicos, ecumênicos e espíritas. Nele está situada a sede da 32ª Companhia Independente da Polícia Militar do Estado da Bahia com jurisdição nos municípios de Catu, Itanagra e Mata de São João.

PRIMEIRO INTENDENTE
Seu primeiro intendente municipal foi o Sr. Carlos Pinto, eleito com 206 votos, no pleito realizado no dia 7 de setembro de 1913. O Conselho Municipal também eleito naquela ocasião ficou composto dos seguintes membros: Manoel Joaquim da Silva, Pedro Cândido da Trindade, Dr. João Evangelista Paim, Raimundo Ferreira de Santana, Antônio José de Abreu, José Félix de Oliveira Ramos e João Nicodemo Poltti.

6. Economia
6. 1. Recursos energéticos
petróleo e o gás natural são as riquezas de maior evidência. Em 1956 foram produzidos 462.168 barris de petróleo e 1.132.782 barris, no primeiro semestre de 1957. Pojuca é um dos municípios que mais produz petróleo, na região do recôncavo baiano, e já foi o maior, recebendo o título de Rainha do Petróleo. Seu solo generoso é o celeiro de óleo na Bahia, tanto assim que a Petrobrás instalou no fim de 1962, no povoado de Santiago, a Unidade de Absorção de Planta de Gasolina Natural. Nesta unidade, o gás é submetido a um processo mecânico de limpeza, pelos depuradores (SCRUBBERS) e, em seguida, desidratado por contato, em determinadas condições de pressão de temperatura, com etileno glicol. Esse etileno é recuperado por liberação de água em forma de vapor, voltando ao processo para tratar novo volume de gás. Após ser desidratado, o gás passa através da torre de absorção em contra corrente a um fluxo de óleo de absorção ou óleo podre. Este óleo absorve as frações pesadas de gás e é retirado pela base da torre e conduzido para a torre reabsorvidora-desetanizadora onde, por aquecimento, são eliminados o metano e o etano que constituem o gás residual. Em seguida, o óleo rico vai para a torre retificadora para liberar as frações absorvidas do gás. Tendo perdido as frações absorvidas, o óleo volta à sua condição inicial e retorna à torre de absorção, após ser resfriado a 23°C, para novo ciclo.

6. 2. Atividades econômicas
As atividades econômicas do município são agricultura, pecuária, comércio, extração de petróleo e gás natural, indústrias, principalmente de minérios, comércio e serviços. As atividades que mais geram ICMS (Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços), segundo dados da Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia são: extração e tratamento de minerais, indústria de minerais não metálicos, metalúrgica, indústria de espumas, colchões e estofados, mecânica, agricultura e criação de animais, serviços de transportes, serviços comerciais, comércio atacadista, comércio varejista.
Há também indústrias de cerâmica, alimentos, artefatos de cimento e farinha de mandioca. Três grandes empreendimentos contribuíram para a emancipação econômica do município: o oleoduto que liga campos petrolíferos à Refinaria de Mataripe, a Estação Transformadora para fornecimento de luz e força da CHESF e a rodovia asfáltica que liga Pojuca à capital do Estado e outros centros.
Na pecuária, destacam-se os rebanhos de bovinos, eqüinos e suínos.

6. 3. Parque industrial
Construído numa área de mais de 58 hectares de terras o PIP já está abrigando importantes empreendimentos gerando emprego e renda para o município.
Pojuca está localizado de forma centralizada, portanto e considerada cidade entroncamento pela viabilidade com os municípios de Simões Filho, Camaçari, Dias Dávila, Catú, Alagoinhas, Itanagra, Araçás, Mata de São João, São Sebastião do Passe, Esplanada, Entre Rios e Rio Real. O Parque Industrial de Pojuca conta com os acessos pela BA 093 e BA 533 e reserva a potencialidade de estar a apenas 32 km do Pólo Petroquímico de Camaçari e a 38 km do Porto de Aratu em Candeias reconhecido nacionalmente por sua tecnologia de automação.
O PIP fica na região de Santiago a 02 km do centro de Pojuca e conta com excelentes serviços de infra-estrutura:
Energia - A oferta de energia e bem variada com a subestação da CHESF com 230 KVA e serviços da Cia de Eletricidade da Bahia COELBA.
Rede Ferroviária - Passa a 01 km de distância do PIP.
Bombeiros - Sua estrutura é fornecida pelo corpo de bombeiros da Petrobrás.
Comunicação - Ampla rede de atendimento fornecido por companhias de telefonia fixa e móvel com serviços de internet e também canais de TV, emissoras de rádio e sistemas de fibra óptica.
Incentivos fiscais - Atrativos como os incentivos fiscais e tributários instituídos pelo Governo do Estado constantes no Decreto 4.316 de 19 de junho de 1995 os quais concedem benefícios fiscais a indústrias que se estabelecerem no estado bem como os incentivos oferecidos pelo município com serviços de infra-estrutura nas áreas habilitadas a receberem obras de terraplanagem, drenagens, esgotamentos sanitários, distribuição de água por poços perfurados, pavimentação de ruas e muitos outros benefícios.
Vale destacar a ampla oferta de mão-de-obra especializada, facilitando a composição do quadro funcional da empresa.

O Parque Industrial de Pojuca é uma realidade com 03 grandes empresas:
Minuano - Beneficiadora de couros para produção de estofados.
Italsofá - Importante fábrica de estofados italiana chegou a Pojuca para acelerar sua produção de exportação, atendendo principalmente o mercado europeu. Sua filial em Pojuca conta com uma mega estrutura empregando cerca de mil funcionários que em grande maioria são moradores do município.
Chanceller/White Martins Lavanderia - Prestadora de serviços de lavanderia hospitalar já atende inúmeros hospitais. Sua técnica de lavagem por ozônio e bastante conhecida no Brasil em suas 06 unidades instaladas. Pojuca foi escolhida para instalação de mais uma unidade devido as excelentes condições que o município oferece as empresas no seu parque industrial e hoje emprega mais de 200 (a maioria mulheres).


Estádio Luiz Viana Filho
Nome
Estádio Luiz Viana Filho
Local
Construção
Não disponível
Inauguração
8 de novembro de 1970 (39 anos)
Proprietário
Não disponível
Equipes mandantes
Não disponível
Números
Capacidade
3.500 espectadores[1]
Histórico

Primeira partida

Seleção de Pojuca 1x1 Ypiranga

Primeiro gol

Não disponível

O Estádio Luiz Viana Filho localiza-se no município de Pojuca, no estado da Bahia e possui capacidade para 3.500 espectadores.[1] Foi inaugurado no dia 8 de novembro de 1970, com a partida amistosa entre a Seleção de Pojuca e o Ypiranga de Salvador, a qual terminou empatada em 1 a 1.


 FONTES / Wikipédia /IBGE JORNAIS  DE SALVADOR  NO ANO  DE 1913, Diário Oficial Edição Especial  do centenário da  Independência da  Bahia, edição  de  02/07/1923,páginas 560.Revista  dos  Municípios de   Cova. Jornal Gazeta de Notícias. Imparcial, Diário de  Notícias, ........ano  de 1923

********************************************************************************************************************

Descarrilamento de Pojuca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Descarrilamento de Pojuca
Localização de Pojuca, Bahia
Descrição
Data31 de agosto de 1983
Horacerca de 7h (descarrilamento)/
20 h (explosão)
LocalBahia Pojuca, Bahia
País Brasil
LinhaSalvadorAlagoinhas
OperadorRFFSA
Tipo de acidenteDescarrilamento / Explosão de vagões tanque
CausaMau estado da via
Estatísticas
Comboios/trens1 (1 locomotiva e 22 vagões tanque)
Passageiros0
Mortosc.100
Feridosc.200
Descarrilamento de Pojuca foi um acidente ferroviário ocorrido em 31 de agosto de 1983. Nessa data, um trem de carga daRede Ferroviária Federal transportando combustíveis descarrilou nas proximidades de PojucaBahia. A lentidão das autoridades em conter o vazamento e a ação de saqueadores provocaram a explosão de três vagões, matando centenas de pessoas.[1]

Índice

O Trem

O trem era composto de uma locomotiva diesel e 22 vagões tanque do tipo TCD (de 80 toneladas)[2] e transportava gasolina (5 vagões) e diesel (17 vagões) para a Petrobras. O trem partiu da Refinaria Landulpho AlvesSão Francisco do Conde (BA), e tinha como destino o Terminal Riachuelo, ao lado da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados, em Laranjeiras (SE).[3]

Acidente

Por volta das 7h da manhã de 31 de agosto de 1983, o trem de carga transportando 22 vagões de gasolina e óleo diesel de São Franco do Conde (BA) para Laranjeiras (SE) descarrila nas proximidades de Pojuca (BA). Três vagões do tipo TCD vazam cerca de 126 mil litros de gasolina em torno do perímetro urbano da cidade.[4]
O trecho onde ocorreu o descarrilamento era situado em patamar mais alto que o perímetro urbano de Pojuca, de forma que o combustível escorria pelo pequeno talude da ferrovia até as residências mais próximas da linha férrea. Inicialmente assustados com o desastre, dezenas de moradores começaram a saquear a carga, transportando o combustível que vazava dos vagões em bacias, latas, etc, para ser revendido na cidade. Funcionários da RFFSA e da Petrobras chegaram apenas algumas horas após o descarrilamento e tomaram as seguintes providências:[4]
- Desengataram os vagões restantes e a locomotiva (após breve inspeção que não constatou danos no restante da composição), que seguiram viagem para seu destino original;
- Foram solicitados caminhões tanque da refinaria da Petrobras mais próxima;
- Foi notificada a Polícia Militar da Bahia, que providenciou um pequeno pelotão de reforço para o destacamento de Pojuca a fim de conter o saque;
Essas ações, porém, não foram suficientes para conter o saque do combustível. O lento trabalho de transferência do combustível dos vagões para caminhões tanque prosseguiu por toda a tarde e início da noite. Por volta das 20h, uma fagulha desencadeou a explosão dos três vagões. O fogo se alastrou pelo solo encharcado de gasolina ao redor do local do acidente e em pouco tempo atingiu as casas ao redor da linha, atingidas pelo vazamento. Em pouco tempo, dezenas de pessoas jaziam mortas pela explosão enquanto outras encontravam-se severamente queimadas. Até o fim da noite de 31 de agosto, 42 pessoas haviam morrido enquanto que 69 encontravam-se em estrado grave, com queimaduras em 80 a 100 % do corpo. O resgate das vítimas foi feito de forma improvisada. A cidade de Pojuca não dispunha de centro médico para atender tantos feridos e, assim, as autoridades locais requisitaram todos os veículos disponíveis (incluindo ônibus, caminhões, carros particulares, viaturas de polícia,etc) para transportar os feridos até Salvador (cerca de 40 km de distância).[4]
O grande número de feridos levado para o Hospital Getúlio Vargas causou um tumulto no atendimento. Posteriormente, foi organizado um esquema de atendimento emergencial envolvendo 11 hospitais de Salvador. Ao mesmo tempo, os primeiro corpos carbonizados e irreconhecíveis das vítimas chegavam ao Instituto Médico Legal Nina Rodrigues. Nos dias que se seguiram ao desastre, mais pessoas morreram em hospitais elevando a cifra de mortos para cerca de 100 pessoas.[4]

Consequências

Após o acidente, as autoridades iniciaram um troca de acusações envolvendo Petrobras, RFFSA ,prefeitura de Pojuca (cujo prefeito fora flagrado saqueando o resto da carga nos dias posteriores ao acidente[5]) , governo da Bahia e Ministério dos transportes. Por fim, a RFFSA acabou assumindo a responsabilidade do acidente, por conta do mau estado da via. A empresa ficou responsável pelo pagamento de indenizações e tratamento médico. Porém esse auxílio se resumiu aos feridos mais grave,s desencadeando insatisfação na população atingida. Posteriormente, a prefeitura de Pojuca instituiu o feriado de 31 de agosto em seu calendário, como forma de relembrar as vítimas do desastre.[6]
O acidente de Pojuca forçou a RFFSA e a Petrobras a reverem seus procedimentos de transporte e forçou a implantação de um vagão de segurança (Caboose) nos trens de transporte combustíveis, fertilizantes e outros materiais inflamáveis.Apesar das promessas de investimentos na recuperação da ferrovia, pouca coisa foi feita, de forma que o trecho de Pojuca estava em péssimas condições de funcionamento alguns anos depois.[7]

Referências

  1. Ir para cima
     «Expolsão de gasolina mata 17 na Bahia». Jornal do Brasil , ano XCIII, número 146, página 1.
  2. Ir para cima
     Cavalcanti, Flavio R. «Vagão tanque classificação AAR DOT 103W». Centro Oeste. Consultado em 26 de julho de 2014.
  3. Ir para cima
  4.  
    Ir para:
    a b c d «Descaso e tragédia». Veja, edição 783, páginas 42 a 44. 7 de setembro de 1983. Consultado em 7 de setembro de 2014.
  5. Ir para cima
     «Ainda pode ocorrer explosão em Pojuca». Folha de S. Paulo, Ano 63, número 19880, página 18. 7 de setembro de 1983. Consultado em 31 de agosto de 2014.
  6. Ir para cima
     «INSS em Pojuca/BA suspende atividades no dia 31 de agosto». Ministério da Previdência Social. 29 de agosto de 2012. Consultado em 3 de agosto de 2014.
  7. Ir para cima
     Alexandre Santurian (30 de junho de 1991). «O caboose do trem de amônia da SR-7». Centro Oeste. Consultado em 31 de agosto de 2014.


MAIS DE 260 FOTOS!


Vídeo  da  cidade  de  Pojuca
Vídeo   narrado, filmado, produzido por Chiquitinha  Maravilha   dia 23/10/2013  na  cidade  de  Pojuca   que  completou  no  dia 26/10/2013 completou 100  anos  da  Instalação  da    Vila (atual  Município pelo então Governador  da  Bahia  Jose  Joaquim  Seabra  (29/3/1912 a 28/3/116) e  sua  Comitiva  no  dia 26/10/1913,   um  data Festiva, Histórica  na  pujante Pojuca (1912/1915 com mais  de 36  mil  habitantes     em 2013, (estimativa  do IBGE).

CLICK NO LINK E ASSISTAM

http://www.youtube.com/watch?v=HQAjAxpQNcU


VIDEO DA TRAGEDIA DA EXPLOSÃO DE WAGÕES DE TREM DA LESTE  FERROVIÁRIA NA CIDADE DE POJUCA EM 1983, VITIMANDO 382  PESSOAS E DEIXANDO INÚMEROS FERIDOS..

 TEXTO RESUMO DO VÍDEO:

Contendo  o relato da  tragédia    acontecida   na  cidade de  Pojuca  no ano  de 1983,  quando   o trem da    leste  Ferroviária, descarrilou  com wagões de Gasolina  que  horas depois  explodiu, causando    vitimas. Um tragédia  que  comoveu a  Bahia  e   o Brasil, sendo  notícias    nos veículos  de  comunicações
Sr. Eivan José Lima morador  da  cidade de Pojuca, foi testemunha e heroí  dessa     citada  tragédia, salvando  vitimas  e  expondo  sua  própria vida, sendo inclusive ferido...

  Vídeo  documentário na  entrevista de Chiquitinha  Maravilha no dia 23/10/2013 com o Sr. Elivan,   aos  61  anos  de idade, morador  na  rua 29 de  julho, cidade  de Pojuca/Ba. desde  os  6 meses  de idade, sendo natural  do município de   Entre  Rios/Ba
Elivan conta fatos  histórico da  história  de Pojuca, sua  biografia, seus  pais, filhos, sua vida  profissional, sendo torcedor do Bahia,  jogador  zagueirão bom bola,  relata  também fatos   do futebol pojucano e  muito mais...... 


CLICK NO LINK E ASSISTAM



****************************************************************


                ELIVAN JOSÉ  LIMA 

O HERÓI DA  TRAGEDIA  DE 1983 NA CIDADE  DE POJUCA/BA.
 Elivan Jose  Lima, 61  anos, morador  na  rua  29 de julho (Pojuca), aos  6 meses veio residir na  cidade de Pojuca no inicio  da década  de  1950 herói da  tragedia  de  1983, quando    socorrendo  as  vitimas da explosão de  wagoes  do Trem da  Leste  em 1983,  houve vitimas  na  famosa  tragedia do trem da  Leste  na cidade  de Pojuca, destaque  nos  veículos  de  comunicações  da  Bahia e  do  Brasil. Ver  Vídeo relatando a  citada  tragedia   do ano  de 1983  (daqui ha  pouco)
               Elivan  Jose  de Lima e  sua  esposa  Sonia  torcedores  da   Esporte  Clube  Bahia
                                   Elivan José  Lima desde criança   torcedor da Nação tricolor
 Foto Hstórico:
Elivan no início da década  de 1960 é o 1º  na  foto a partir da esquerda  para a  direita, Dr. Toinho, atual, prefeito  de pouca  que toma  posse   dia 24/10/213 é o 5º  na  foto (chupando bico).
Foto do reprodução de  Chiquitinha  Maravilha  do arquivo  de Elivan José   Lima,  amigo de infância  do Dr. Toinho, médico pediatra
Tradicional Praça  29 de Julho, local onde iniciou-se  a  povoação do atual município de  Pojuca no inicio do  Século  XVII (1600), nas cabeceiras  do  lendário  Rio Pojuca, em  cuja  prala  as   águas  no período  de  inverno alagava   o  citado local.

         ABAIXO - FAMÍLIA  DE ELIVAN JOSÉ  LIMA, HERÓI DA  TRAGEDIA DE POJUCA  EM 1983

  A monumental Praça  Senador Antonio  Carlos Magalhães (ACM)  na  Cidade  de Pojuca/Ba.  Senador Antonio  Carlos Magalhães (ACM)  na  Cidade  de Pojuca/Ba. Senador Antonio  Carlos Magalhães (ACM)  na  Cidade  de Pojuca/Ba.


               FOTOS DA  CIDADE  DE  POJUCA DIA 23/10/2013 P/MANHÃ E TARDE


                                           FOTOS  CHIQUITINHA MARAVILHA

                     POSTADO MAIS DE 260 E 2 VIDEOS  DOCUMENTARAM

                         FOTOS   E VIDEOS  /CHIQUITINHA MARAVILHA 23/10/2013
                                            Paisagismo  no entorno do lendário  Rio Pojuca/Ba.
   
    ESTUDANTES DA  REDE MUNICIPAL -  O FUTURO  DA  JUVENTUDE   O MUNICÍPIO  DE POJUCA
            POSTANDO FOTOS/VIDEOS E BREVIÁRIO HISTÓRICO  DO MUNICÍPIO DE  POJUCA

                 Edificio  do Poder  Executivo de  Pojuca, edificado no  de 1922/23
                                     Edifício  do Poder Legislativo do Município de  Pojuca
 Elivan Jose  Lima, 61  anos, morador  na  rua  29 de julho (Pojuca), aos  6 meses veio residir na  cidade de Pojuca no inicio  da década  de  1950 herói da  tragedia  de  1983, quando    socorrendo  as  vitimas da explosão de  wagões  do Trem da  Leste  em 1983,  houve vitimas  na  famosa  tragedia do trem da  Leste  na cidade  de Pojuca, destaque  nos  veículos  de  comunicações  da  Bahia e  do  Brasil. Ver  Vídeo relatando a  citada  tragedia   do ano  de 1983  (daqui ha  pouco)
               Elivan  Jose  de Lima e  sua  esposa  Sonia torcedores  da   Esporte  Clube  Bahia
  A monumental Praça  Senador Antonio  Carlos Magalhães (ACM)  na  Cidade  de Pojuca/Ba.  Senador Antonio  Carlos Magalhães (ACM)  na  Cidade  de Pojuca/Ba. Senador Antonio  Carlos Magalhães (ACM)  na  Cidade  de Pojuca/Ba.

                                                      Estudantes da  cidade  de  Pojuca/Bahia
       Estacão  de Trem inaugurada em 1863 (a primitiva, a da foto   é a 2ª da  década  de  1930/40
                                                 A  cidade de Pojuca numa crescente  notável,  

Abaixo  Praca  29 de  Julho 

FOTOS DA  CIDADE  DE  POJUCA DIA 23/10/2013 

P/MANHÃ E TARDE




FOTOS  CHIQUITINHA MARAVILHA

                                          ACESSO AO ENTRONCAMENTO DE POJUCA  NA BA 093
      O lendário  Rio  Pojuca que  originou a  povoação pelos  colonizadores   que  habitaram no inicio do Seculo XVII as  terras   margeando o  citado  RIO,  cujo o toponömio   Pojuca originou o nome do atual  município -cujo   significado  do  termo Pojuca, segundo Teodoro Sampaio, é corrutela de iapó-iuca, que significa o pântano, o estagnado, o podre; para os naturais é usado o gentílico “pojuquense” ou “pojucano”. 
Rua Vanderlino  Nogueira

PARABÉNS  POJUCA 100  NOS DA INSTALAÇÃO DA  VILA 26/12/1913 - 26/10/2013!

                         FOTOS   E VIDEOS  /CHIQUITINHA MARAVILHA 23/10/2013
                                            Paissagsimo  no entorno do lendário  Rio Pojuca/Ba.
   
    ESTUDANTES DA  REDE MUNICIPAL -  O FUTURO  DA  JUVENTUDE   O MUNICÍPIO  DE POJUCA

          
                               Travessa  Juracy Magalháes
                        Cemitério primitivo perto  do Terminal Rodoviário
                                                          Otica  Luisa
                           Centro  de Abastecimento de Pojuca
                                                 Terminal Rodoviario
                            Centro de Abastecimento  de Pojuca




 Estrada  de Ferro Bahia ao s. Francisco trecho da  Estação  da Leste a  Estação da  povoação  de Pitanga/Mata  de S. João foi inaugurado oficialmente  em 1863, nesse  período  a  Estação  de Pojuca (foto acima)  já estava   edificada.
                                     ESTAÇÃO DA  LESTE  FERROVIÁRIA
                                               Praça Rui Barbosa
                                     Casarão em  estilo gótico

                                          PRAÇA RUI BARBOSA
 Rua  José   Joaquim Seabra um dos Benemérito da  município de Pojuca, no seu governo /1912/16, foi Pojuca  elevado a  condição  de Vila, sendo instalado a  citada Vila  por José  Joaquim Seabra  em 26/10/1913, completando  no dia  26/10/2013 100  Anos  da instalação  do atual  município.





                                                        Torre  do Sino
      O majestoso  edifício da Matriz  de BOM JESUS DA PASSAGEM -                                                PADROEIRO DE POJUCA/BA. 
   Placa Cmemorativa  a reconstrução do Edificio da  Matriz/02/05/1976 


           PRAÇA e RUA 29  de  JULHO, BERÇÁRIO DA 


           POVOAÇÃO  PRIMITIVA PRIMITIVA DE POJUCA

 
                             Dia 29/07/2004  foi reinauguração da  Praça  Senador ACM
                                         A MAJESTOSA PRAÇA ACM/POJUCA/BA.



********************************************************************************************

Vídeo  da  cidade  de  Pojuca
Vídeo   narrado, filmado, produzido por Chiquitinha  Maravilha   dia 23/10/2013  na  cidade  de  Pojuca   que  completou  no  dia 26/10/2013 completou 100  anos  da  Instalação  da    Vila (atual  Município pelo então Governador  da  Bahia  Jose  Joaquim  Seabra  (29/3/1912 a 28/3/116) e  sua  Comitiva  no  dia 26/10/1913,   um  data Festiva, Histórica  na  pujante Pojuca (1912/1915 com mais  de 36  mil  habitantes     em 2013, (estimativa  do IBGE).

CLICK NO LINK E ASSISTAM



VÍDEO DA TRAGEDIA DA EXPLOSÃO DE WAGÕES DE TREM DA LESTE  FERROVIÁRIA NA CIDADE DE POJUCA EM 1983, VITIMANDO 382  PESSOAS E DEIXANDO INÚMEROS FERIDOS..

 TEXTO RESUMO DO VÍDEO:

Contendo  o relato da  tragédia    acontecida   na  cidade de  Pojuca  no ano  de 1983,  quando   o trem da    leste  Ferroviária, descarrilou  com wagões de Gasolina  que  horas depois  explodiu, causando    vitimas. Um tragédia  que  comoveu a  Bahia  e   o Brasil, sendo  notícias    nos veículos  de  comunicações
Sr. Eivan José Lima morador  da  cidade de Pojuca, foi testemunha e heroí  dessa     citada  tragédia, salvando  vitimas  e  expondo  sua  própria vida, sendo inclusive ferido...

  Vídeo  documentário na  entrevista de Chiquitinha  Maravilha no dia 23/10/2013 com o Sr. Elivan,   aos  61  anos  de idade, morador  na  rua 29 de  julho, cidade  de Pojuca/Ba. desde  os  6 meses  de idade, sendo natural  do município de   Entre  Rios/Ba
Elivan conta fatos  histórico da  história  de Pojuca, sua  biografia, seus  pais, filhos, sua vida  profissional, sendo torcedor do Bahia,  jogador  zagueirão bom bola,  relata  também fatos   do futebol pojucano e  muito mais...... 


CLICK NO LINK E ASSISTAM

http://www.youtube.com/watch?v=LAYmVEHgJYo&feature=player_detailpage



HISTÓRICO!

FOTO DA TRAGEDIA DO TREM DA LESTE/POJUCA 31/08/1983

Em 31 de agosto de 1983, um trem de combustível descarrilou no centro da cidade, deixando vazar 40 mil litros de combustível. Como o leito da linha era mais alto que a rua, o líquido vazou para dentro das casas e uma faísca não se sabe de onde detonou o fogo que se espalhou queimando várias  pessoas e 382 morreram.Fonte/Veja, 1983
ACIMA: O túnel 5 quilômetros após a estação de Pojuca, sentido São Francisco, um dos poucos da linha e original da época da construção, nos anos 1860. Tem 250 metros de extensão (Foro Robson Pinheiro em março de 2008).

****************************************************

   






MATÉRIA BAIXO
FONTE   / BLOG DO PROFESSOR  JOÃO BATISTA
João Batista

ACIDENTE DE TREM EM POJUCA MATOU MAIS DE 50: MEMÓRIA DE UMA TRAGÉDIA
Fonte /Blog do Professor João Batista

 Em 31 de agosto de 1983, a cidade de Pojuca teve um trágico encontro com o destino: um trem carregado de combustível descarrilou na região da Rua da Piedade. Cerca de 126 mil litros de combustível foram derramados no local do acidente e se espalhou pelas casa ao redor da linha férrea. O acidente aconteceu às 7 horas da manhã daquela sombria quarta-feira e a primeira explosão se deu por volta das 20 horas, matando 53 pessoas, segundo o Jornal Folha de São Paulo e ferindo mais de trezentas. 

A locomotiva número 4.842, apelidada de “trem da morte”, deixou um saldo de 36 corpos carbonizados, encontrados na área atingida, a maioria de crianças e adolescentes, atraídos pela curiosidade.  Os demais morreram depois de socorridos nos hospitais de Salvador e região. Relatos de sobreviventes dão conta de que entre mortos e desaparecidos o número de vítimas ultrapassam uma centena. Nunca houve esclarecimento sobre o que ou quem provocou o incêndio, mas segundo a imprensa da época, prepostos da Petrobras estavam retirando a gasolina para tambores e caminhões com um motorzinho, o que pode ter provocado a centelha fatal, a Petrobras negou. 

Segundo testemunhas e relatos dos jornais da época, a falta de conhecimento das autoridades somado à negligência potencializou os danos, pois a polícia, ao invés de isolar a área, afastando as pessoas, disciplinava o recolhimento da gasolina, organizando as pessoas em filas, o que fez com que as casas próximas se transformassem em deposito do líquido inflamável. Depois que muitas pessoas já tinham levado baldes e panelas com combustível, chegou um engenheiro da Rede Ferroviária, tentando isolar o local, com uma corda. 

A tragédia jamais saiu da memória do povo de Pojuca e todos os anos a data é lembrada com celebrações religiosas e atos públicos. O fato foi destacado na época por grandes veículos de imprensa local e nacional. Neste ano, Exposição Via Pìetá, na área coberta da Praça ACM relembra a tragédia. Às vítimas e às famílias o nosso pesar.
 Professor João Batista Imagens dos jornais da época dinheiro em casa

Fonte /Blog do Professor João Batista





*****************************************************************************************************************



TOTAL DE ACESSOS  MAIS  DE  867  MIL - DIA 26/102016 
MÉDIA DIÁRIA  DE ACESSOS   /  DIA 1.500 - 1.500
INTERNACIONAIS  427  ACESSOS

Visualizações de página de hoje
161
Visualizações de página de ontem
907
Visualizações de página do mês passado
24.355
Histórico de todas as visualizações de página
867.571

Seguidores

Visualizações de página por país

Gráfico dos países mais populares entre os visualizadores do blog
EntradaVisualizações de página
Brasil
443345
Alemanha
171027
Estados Unidos
114006
Rússia
32092
Malásia
19740
China
13523
Ucrânia
8085
França
4811
Portugal
4562
Índia
3388

O POETA MARATONISTA!
             
 Chiquitinha  (Gamaliel Chagas) na  Maratona  do Rio de Janeiro /23/8/1986
(3h 5 min),  foto no  no aterro do  Flamengo/RJ, 42,195 km.

                    CORRER É VIVER, REJUVENESCER...
                                         (A Poesia do Corredor)

                      Chego do trabalho, calço o tênis de corrida
Visto a camisa e o calção, sigo para a pista
Ajusto o relógio, preparo logo a partida
Já estou correndo, olho ao redor, que vista!

Montanhas, rios, e lagos, árvores, casas e gente
Tudo desfilando panoramicamente, que paisagem!
Respiro o oxigênio puro, vitalício, vou em  frente
Pensando, medito enquanto corro, recebo mensagens...

É a minha mente livre, inspirando-me poeticamente
Imagens lindas! E, captando energias do além
Vai fortalecendo meu corpo, docilmente
Sinto-me feliz,  porque a corrida me faz bem.

A cada quilômetro percorrido
Estabeleço um ritmo adequado
Subindo e descendo ladeiras, corro
Sempre a cada passo, respirando controlado.

É a técnica treinada com resistência
Força, energia e muita paciência,
Superando meus limites, aprendo a viver
Sim, corro! Corro! Porque sei que vou rejuvenescer...

                     Poesia feita em  13/02/1985

Poesia em homenagem a todos os corredores de ruas (pedestrianismo) e amantes do atletismo. Direitos Autorais registrado em nome de Gamaliel.   

                       PRINCIPAIS CORRIDAS

Gamaliel Sales Chagas poeta desde os 19 anos de idade  (1970, maratonista, futebolista, pesquisador, historiador,narrador  de futebol,    matense, nasceu 07/07/1951 na rua Luís Sepúlveda Garcez (Centro, Mata de S. João)
Correu  14 maratonas  em 6 estados do Brasil de 1983-87 (S. Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais e João Pessoa)
2 maratonas em Nova York (1984 e 1986)
2 São Silvestre (1983, 1984)
Bi-campeão de 5 e 10 mil metros, Fonte Nova ( 1983+84) – (1984/85)
Escolhido o Maratonista Baiano e revelação do Atletismo da Bahia de 1984,  pela AVAB – Associação de Veteranos de Atletismo da Bahia
Correu 30 km de São Cristóvão/ Aracajú  pela  BR 101  no  ano  de 1986
Melhor tempo em maratonas: 2 h 59 min. (Salvador, 13/07/1985)
Representou os municípios de  Mata  de São João, Dias D'Ávila e Camaçari nas  corridas citas  sem ter apoio financeiro das prefeituras  citadas, apoio da Copene e do próprio Atleta (inclusive  nas duas Maratonas Internacionais  houve apoio da Copene  no translado Salvador Rio de Janeiro e vice   versa, ajuda  na  estádia), sendo  passagens  de ida e volta  a  custo do atleta, e trabalhava das 8 horas  as  17 horas e compensava  os dias  da estadia em New  York (5 dias em 1984 e 1986).

CORREU UM  "MARATONA" DA AMEBA/CIDADE  DE SALVADOR,   COM 37 KM, EM 1987
*******************************************************************************

GAMALIEL CHAGAS - RESUMO DAS PRINCIPAIS CORRIDAS:

O MARATONISTA BAIANO DE 1984 - BICAMPEÃO DOS 10 E 5 MIL METROS NA PISTA DA FONTE NOVA 1983/84.
2 MARATONAS INTERNACIONAIS /CIDADE DE NOVA YORQUE
PENTACAMPEÃO MATENSE DE VETERANOS / CORRIDA RÚSTICA DO BOMFIM DE MATA DE SÃO JOÃO, NA DÉCADA DE 2000.
15 MARATONAS COMPETIDAS - COMPETIÇÃO NO ATLETISMO BAIANO BRASILEIRO, EM 6 ESTADOS DO BRASIL! 5 MARATONAS NO RIO E JANEIRO, 2 EM BRASILIA, 2 SÃO SILVESTRES EM SÃO PAULO, ANOS 1983/84. VÁRIAS ELIMINATÓRIAS BAIANA DA S. SILVESTRE NA DÉCADA DE 1980.

COMPETIU:

01 MARATONA EM SÃO PAULO, 01 EM JOÃO PESSOA, 30 KM DE SÃO CRISTÓVÃO A ARACAJU EM 1985, 2 MARATONAS EM BRASILIA.
COMPETIÇÃO 3 OLIMPÍADAS DO POLO PETROQUÍMICO DE CAMAÇARI ONDE FOI BICAMPEÃ, COMPETIU NOS CITADOS JOGOS, NOS 10M, 1.500M, 5 E 10 MIL METROS, ALÉM DE 28 HM DE CAMAÇARI A PRAÇA ACM IDA E VOLTA, QUANDO FICOU EM 5º LUGAR ANO 1982.
COMPETIU DEZENAS DE CORRIDAS EM SALVADOR E CIDADES DO INTERIOR DA BAHIA, CONQUISTANDO MEDALHAS E TROFÉUS....



NESSE PERÍODO TRABALHAVA DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA, TREINAVA DAS 17H40 ÁS 20H30 DA NOITE. E FIM DE SEMANAS.



  




Gamaliel  na 1ª  Maratona da Independência da Bahia 1984 
Salvador/Ba. 42. 198 metros


Curso  de  Comunicações  Verbais

(Um dos  melhores do Brasil/S. Paulo com credenciamento}

     No ano   de  1985  Gamaliel   iniciou  o   curso  de  Comunicações  Verbais  PPD-IOB (Treinamento  Programado  a  Distância)  por  correspondências  tendo  concluído  o  citado curso no  dia  7/3/1986.  O  citado  curso  organizado  por Oswaldo  Melantonio,  formado em  Direito, Filosofia  e  Jornalismo,  Oswaldo   presidente de  honra  de   várias  instituições  culturais  dentre  elas  a  Academia   Paulista de   Oratório  e  Academia   Brasileira  de   Comunicações  Verbais. O  curso  de  Comunicações   Verbais  teve  a  duração  de  6  meses  equivalente  a  100 horas/ aula  e  credenciado  pelo  CFMO  097.
.
     Oswaldo  Melantonio  realizou   vários   cursos  complementares  no  exterior  e  no  ano  de   1986   fazia 35  anos  se  dedicando  exclusivamente  as  Comunicações  Verbais;  inicialmente,  oratória   formal   e  informal   para   líderes   políticos   e  religiosos.   Nos  últimos   anos   Oswaldo  especializou-se   na   área   de   comunicações   dos   executivos,  objetivando a melhoria  da  produtividade  pela  eficiência  da  comunicação.

PERSONALIDADES EXPOENTES DAS  COMUNICAÇÕES VERBAIS

Várias personalidades  de Top  da  Política Executivos, da Oratória  Geral,  Locutores Esportivos, a  exemplo  de Osmar Santos/SP, Orestes Quércia  Jânio Quadros, Franco Motoro e  outros  expoentes que realizaram este  magnífico  curso, amplo usando as técnicas  da Grécia  antiga,   a exemplos  de   formidáveis  gênios  da  Comunicação, oratória da Grécia Antiga,celeiro exuberantes, Ícones das Comunicações Verbais; Aristóteles Demóstenes Cícero, este  considerado como um dos  maiores   gênios nas  Comunicações  verbais da  Grécia  e  do  Mundo, chegando ao ponto  de  governantes políticos gregos tentarem elimina-los, tal era o seu poder de oratória persuasiva (dotado de espetacular oratória  de convencimento, resumindo   era  um " Um Gênio Abençoado  da  Oratória  das Comunicações Verbais!".
    
Conteúdo  do  curso

     Introdução,  exposições  práticas,  técnicas  da  comunicação  dos  executivos,  educação  da  voz,  expressão  corporal,  figuras  de  estilos,  dez   qualidades   básicas   do  executivo,  práticas  de  comunicações  verbais  e  práticas  de  oratória
     De  modo  especial,  Oswaldo  realiza  treinamentos  para  as  lideranças  dos   principais  escalões   das   grandes   organizações   privadas   e   publicas.  O   citado   curso  já  treinou  grandes  personalidades  de diversos  seguimentos  sociais  a  exemplo  de  Franco  Motoro, Osmar   Santos,  narrador   esportivo   no  estado  de  São  Paulo,  Jânio   Quadros   que   foi  Presidente   da   República   de   31/1/1961   renunciando   o   governo   em   25/8/1961,  foi  prefeito  de  São Paulo  nas  décadas  seguintes.

     Jânio  Quadros  nasceu  em  Campo  Grande,  (Mata  Grosso  do  Sul)  no  ano  de  1917  e  faleceu  no  ano  de  1992  em  São  Paulo  e  outros  não  citados.  IOB – Cursos    de    Legislação   Empresarial   Ltda – CGC   47.677.810/0002-21,   credenciado  no  CFMO  097,  com  endereço  na  Avenida  Marques...  Asa  Branca – SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário