sexta-feira, 24 de outubro de 2014

DILMA E AÉCIO DISPUTAM 2,3 MI DE VOTOS PERNAMBUCANOS


Dilma e Aécio disputam 2,3 mi de votos em PE


Publicação: 24/10/2014 20:37 Atualização: 24/10/2014 21:09
A matéria enviada anteriormente continha uma incorreção no segundo parágrafo. Nem todos os partidos que apoiaram Marina no 1º turno apoiaram Aécio no 2º turno.

No Estado natal de Eduardo Campos, morto em uma tragédia aérea em agosto, Dilma Rousseff e Aécio Neves farão um dos duelos com resultados dos mais imprevisíveis do segundo turno em todo o País. Em Pernambuco, a candidata mais votada em 5 de outubro foi Marina Silva, que agora apoia, junto com a família Campos, Aécio Neves. O tucano, por sua vez, conquistou 284 mil votos no Estado, 5,92% do total, muito menos do que os 2,1 milhões recebidos por Dilma, que teve 44,22%.

Mas são os 2,3 milhões de votos de Marina que estão em disputa e podem fazer a diferença no resultado da eleição nacional. A própria Marina e as principais forças que deram suporte à candidatura do PSB no Estado declararam apoio a Aécio, o que teoricamente amplia muito o potencial de voto do tucano. Mas, sem segundo turno para governador, os maiores institutos de pesquisa não fizeram levantamentos registrados em Pernambuco e cientistas políticos afirmam não ser possível precisar o potencial de transferência de votos de Marina, da família Campos ou do PSB local.

Com 6,3 milhões de eleitores, Pernambuco é o segundo maior colégio eleitoral do Nordeste, atrás da Bahia e pouco à frente do Ceará. Nas últimas eleições, as figuras do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pernambucano de nascimento, e de Eduardo Campos estiveram do mesmo lado e o PT conseguiu vitórias expressivas no Estado. Para o domingo, tanto PT quanto PSB avaliam que Dilma deve sair vencedora na disputa no Estado, as divergências são o quanto Aécio pode crescer na comparação com o primeiro turno.

"Esta eleição não está contaminada pela eleição estadual. A figura do Campos está menos presente porque Aécio não é alguém que ele chancelou pessoalmente como candidato, como foi o Paulo Câmara e a própria Marina", avalia o cientista político e professor da Fundação Getúlio Vargas Marco Antônio Carvalho Teixeira. "Não se sabe o potencial de transferência para o Aécio neste novo contexto", pondera.

Uma das principais lideranças do PT pernambucano, o senador Humberto Costa aposta na pouca ligação do candidato tucano com o Estado e no fato de não haver segundo turno na disputa pelo governo local para frear o crescimento de Aécio. Segundo ele, sem uma campanha para governador, o eleitor será menos influenciado por lideranças políticas, o que seria benéfico para Dilma. "Não vai ser o prefeito, governador ou o senador que vai definir o voto do eleitor. As pessoas querem votar a partir dos seus pontos de vista", defende Costa, que aposta que Dilma vá conquistar cerca de 65% dos votos válidos.

Senador eleito pelo PSB no Estado, o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho diz que seu partido pretende dar uma votação expressiva a Aécio. Em entrevista, ele contou que espera que Aécio alcance pelo menos 40% dos votos válidos. Mas diz que, "do jeito que os institutos de pesquisa estão", o tucano pode até ficar "no zero a zero" ou vencer por pouco. Recém-eleito, ele admite porém que será mais difícil transferir votos para Aécio do que foi para Marina. "É mais difícil porque nunca fizemos aliança com o PSDB a nível nacional, mas existe todo um sentimento de mudança e de colocar Pernambuco com protagonismo neste momento em que o País pode iniciar um novo ciclo político", defende.

Tanto a projeção petista quanto a do PSB colocam a Dilma à frente no Estado. Por outro lado, também apontam Aécio conquistando mais votos de Marina do que a adversária, Dilma.

Professor da Universidade Federal de Pernambuco, o cientista político Ernani Carvalho diz que o desempenho de Aécio vai por à prova a força do PSB local em uma disputa mais difícil do que a estadual. "Se for uma eleição apertada, mesmo se a Dilma aparecer à frente, será uma vitória de Aécio. E do PSB local, com as novas lideranças dessa era pós-Eduardo", explica Ernani.

Opinião parecida tem Marco Antônio Carvalho Teixeira, para quem o Estado pode ser um "decisivo" para o tucano na difícil situação que se desenha no Nordeste. "Para Aécio, Pernambuco é um ganho, não está na conta dele. O que ele conseguir a mais lá, é lucro. Se ele cresce lá, ele pode estar dando um passo decisivo para vencer a eleição", completa.

Militância

Nas ruas do Recife, o clima é de rivalidade. Derrotada pelo PSB nas disputas locais, a militância do PT voltou às ruas no segundo turno para apoiar Dilma Rousseff. "A candidatura do Armando Monteiro não empolgou a militância do PT. No segundo turno, talvez pelo acirramento, a militância acordou e foi para a rua. Isso tem gerado disputa", revela Ernani Carvalho.

Desde a morte de Eduardo Campos, muros foram pichados com acusações ao PT. "O PT matou Eduardo" e "Fora PT" são algumas das frases. Neste segundo turno, as acusações se estenderam à prima de Campos, vereadora Marília Arraes, que apoia o PT e vinha em rota de colisão com ex-governador morto.

AÉCIO X DILMA SE ENFRENTARAM NO ULTIMO DEBATE ANTES DO 2º TURNO

(1) Comentários Votação:         Compartilhe:Share on facebookShare on twitter More Sharing Services
7

Aécio e Dilma se enfrentam no último debate antes do 2º turno
Veja quais foram os principais pontos discutidos pelos presidenciáveis

Daniel Camargos -

Publicação: 24/10/2014 22:12 Atualização: 24/10/2014 23:13


   

Saiba mais...
 Marketing foi supervalorizado nas campanhas, diz Toffoli
 Dilma e Aécio disputam 2,3 mi de votos em PE
 Oposição vai à PGR pedir investigação contra Dilma
 Falcão diz que PT entrou com sete ações contra Veja
 Dilma deve manter linha 'paz e amor' em debate
 Pesquisa Multidados: Aécio tem 49% da preferência do eleitorado e Dilma 38% em Minas
 Coligação de Aécio defende apuração de denúncias da Veja

1º Bloco O candidato Aécio Neves (PSDB) fez a primeira pergunta, citando a reportagem de capa da Revista Veja, que traz uma denúncia feita durante a delação premiada do doleiro Alberto Youssef de que Lula e Dilma saberiam dos desvios feitos na Petrobras e perguntou a candidata se ela sabia da corrupção. A presidente candidata à reeleição diz que a revista faz "uma oposição sistemática" a ela com "calúnia e difmação". Dilma disse ainda que a revista não apresentou provas e tenta dar um golpe na reta final da campanha. Aécio, por sua vez, afirmou que durante a delação premiada o réu só tem benefícios se apresentar provas.


Dilma optou por tratar de temas considerados postivos de seu governo. Na primeira pergunta ela abordou a criação de empregos e perguntou a Aécio o que ele acha da declaração do Armínio Fraga, cotado para ser ministro da fazenda, de que o salário mínimo no Brasil está alto demais. Na resposta, Aécio atacou a inflação do governo Dilma.  "O governo do PT fracassou na condução da economia", afirmou Aécio.

Aécio perguntou sobre o financiamento do BNDES para construir um porto em Cuba e porque o documento é secreto. Dilma disse que o governo dela não tem nada a esconder e que a construção do porto gerou vários empregos no Brasil. Aécio, por sau vez, afirmou que pedirá a Procuradoria Geral da República para investigar o prazo de 25 anos do financiamento e as razões que levaram a garantia a ser dado em pesos cubanos. 

Nas duas outras perguntas de Dilma ela destacou os programas Minha Casa, Minha Vida e Pronatec, enquanto Aécio voltou a atacar o que chama de descontrole da inflação no governo Dilma.

2º Bloco

No segundo bloco, as perguntas foram feitas por eleitores indecisos. O primeiro questionou a presidente Dilma sobre o aumento dos preços do aluguel e o que ela poderia fazer para melhorar a situação. A presidente falou mais uma vez do Minha Casa, Minha Vida. "Nós vamos fazer mais 3 milhões de casas do MCMV, reajustando a faixa de renda", afirmou Dilma. Já Aécio disse que vai ampliar o progrma.  A segunda pergunta foi sobre as propostas para educação para o candidato Aécio Neves, que destacou o que fez durante seu governo em Minas. "Vamos começar pelas creches. Elas ficarão abertas até 20h da noite, assim como as pré-escolas".

A terceira pergunta foi sobre corrupção e questionou Dilma sobre a proposta para acabar com ela. A candidata concordou dizendo que a lei é branda e afirmou que propôs cinco grandes medidas de combate a impunidade: transformar em crime eleitoral o caixa 2, criminalizar o funcionário público que enriquece sem comprovar a origem, além da perda dos bens. Outra proposta foi a criação de uma instância superior para julgar mais rápido os crimes de colarinho branco.

Na réplica, Aécio disse que os brasileiros não suportam mais abrir os jornais e verem casos de corrupção. O tucano critica a falta de ação do PT para que as propostas de Dilma conseguissem avançar. "Vamos tirar o PT do governo", afirma Aécio.  Dilma, por sua vez, diz que o partido de Aécio tinha a prática de engavetar todos os tipos de ações. "Nunca compactuei com corrupto ou corrupção", afirmou Dilma

A quarta pergunta foi sobre como assegurar a aposentadoria no futuro diante do enevelhecimento da população. Aécio disse que pretende rever o fato previdenciário para não afetar a renda dos aposentados. Já Dilma ressaltou que o fator previdenciário foi criado no governo FHC e que é preciso abrir a discussão com as centrais sindicais. Aécio, por sua vez, disse que o fator previdenciário foi derrubado pelo Congresso, mas que o presidente Lula vetou a proposta. 

3º Bloco
No terceiro bloco, a primeira pergunta foi de Aécio Neves, que questionou Dilma sobre os motivos do Fundo Nacional de Assistência ter repassado apenas 11% do verba. Dilma rebateu dizendo que o centro da política de assistência social do governo dela é o Bolsa Família e que os repasses desse programa nunca atrasaram. Na vez de Dilma perguntar, ela atacou o governo dos correligionários do Aécio em São Paulo e se houve falta de planejamento em relação à água. "Houve do seu governo", respondeu Aécio. O tucano disse que a falta de água é um problema de toda região sudeste e que o eleitorado, que elegeu o PSDB no primeiro turno em SP, aprovou a gestão tucana. O contra-ataque de Dilma foi afirmando que a responsabilidade da água é dos estados. "Não planejar no estado mais rico do país é uma vergonha", afirmou. Na tréplica, Aécio disse que a transposição do Rio São Francisco ainda não ficou pronta.
Dilma fez uma pergunta para Aécio perguntando sobre os planos do senador para a agricultura e outra sobre as restrições que o PSDB já teve ao Pro Uni. Aécio foi mais incisivo e questionou a presidente sobre quem está governando o país, enquanto ela está em campanha, aproveitando para abordar a proposta dele de fim da reeleição. Dilma disse que considera o ponto mais importante da Reforma Política o fim do financiamento empresarial das campanhas. Aécio também questionou o que a presidente pensa dos condenados do Mensalão. Dilma não respondeu e contra-atacou, citando o Mensalão Mineiro e o deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB), que renunciou para evitar que fosse cassado. Aécio, por sua vez, disse que o principal articulador do Mensalão mineiro é Walfrido Mares Guia, que é um dos coordenadores da campanha de Dilma em Minas Gerais.

4º Bloco

No último bloco, foi novamente a vez dos eleitores indecisos. A primeira pergunta foi sobre saneamento básico. Dilma afirmou que tem o compromisso de acelerar o tratamento e coleta do esgoto e que o governo federal está investindo R$ 70 bilhões em parceria com municípios. Aécio, por sua vez, disse que vai desonerar as empresas de saneamento. A segunda pergunta foi sobre segurança pública e Aécio disse que os recursos não serão mais represados, como, segundo ele, está acontecendo.

"Anunciei uma política de fronteiras, que hoje estão desguarnecidas. É por onde entram drogas e armas. Vamos ter uma relação diferente com os países que produzem drogas. Vamos fazer uma profunda reforma no código penal. A terceirização de responsabiliades é muito grave. O governo federal gasta apenas 13% em segurança pública", afirmou Aécio. Já Dilma citou que durante o governo dela mais de 640 toneladas de drogas foram apreendidas

A terceira pergunta foi sobre as políticas de combates às drogas. Dilma cita os centros de comando e controle que funcionaram na Copa do Mundo e que precisa controlar as divisas dos estados, além da fronteira do país. E cita que modifique a constituição para que o governo federal posa trabalhar junto com os estados. Aécio, por sua vez, propôs um "multirão de resgate" para que os jovens que não completarem o ensino fundamental e média recebam uma bolsa de um salário mínimo para concluir. A última pergunta de eleitores indecisos foi de uma desempregada, de 55 anos, e quer saber propostas para o mercado de trabalho de pessoas "maduras". Aécio diz que a solução é a voltar a crescer para gerar empregos mais qualificados. "O atual governo perdeu a capacidade de recuperar o crescimento, pois não gera confiança nos investidores", afirmou Aécio. A candidata à reeleição, Dilma, disse que há uma carência imensa de trabalho qualificado no Brasil.

Considerações finais
Dilma disse que o Brasil está construindo o país do amor, da esperança e da união e da solidariedade, que valoriza o trabalho e a energia empreendedora. Disse que é um país que cresce e faz as pessoas crescerem, que olha para as mulheres, negros e os jovens. Dilma diz que as pessoas que lutaram tanto para melhorar de vida. "O Brasil fez as pessoas melhorarem de vida e não se pode deixar voltar atrás", afirmou.

Aécio, por sua vez, disse que chegou ao final da campanha honrado pelo apoio que recebeu. Disse que é o candidato da mudança e citou o avô Tancredo Neves, que morreu antes de assumir o cargo. O tucano se sente  vitorioso por ter travado o "bom combate, com boa fé".
 

EM MINAS GERAIS: AÉCIO TEM 49% E DILMA 38% PESQ. MULTIDADOS

Pesquisa Multidados: Aécio tem 49% da preferência do eleitorado e Dilma 38% em Minas
O percentual de eleitores que ficaram indecisos ou que não responderam a pesquisa foi de 7% e outros 6% falaram que não rejeitam nenhum dos dois candidatos

Estado de Minas

Publicação: 24/10/2014 19:08 Atualização: 24/10/2014 19:20

Pesquisa divulgada nesta sexta-feira pelo Multidados aponta o candidato do PSDB, Aécio Neves, na frente da candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), em relação à preferência de votos dos eleitores mineiros. No levantamento estimulado, o tucano foi escolhido por 49% dos entrevistados. Dilma recebeu 38% da preferência. O percentual de eleitores que ficaram indecisos ou que não responderam a pesquisa foi de 7% e outros 6% falaram que não rejeitam nenhum dos dois candidatos.

Saiba mais...
 Datafolha: No DF, Aécio tem 62% e Dilma, 38%
 Datafolha: No RJ, Dilma tem 59% e Aécio, 41%
 Datafolha: No RS, Dilma tem 51% e Aécio, 49%
 Aécio e Dilma se enfrentam no último debate antes do 2º turno
Perguntados sobre qual dos candidatos deverá vencer o segundo turno das eleições, 46% dos entrevistados apontaram Aécio, enquanto 37% afirmaram que Dilma continuará governando pelos próximos quatro anos. O levantamento foi feito entre 20 e 22 de outubro e foram ouvidos 1.254 eleitores, em 85 municípios mineiros. A margem de erro é de 2,8 pontos para mais ou para menos. O registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é BR-01172/2014.

A Multidados perguntou sobre a imagem que os eleitores tem dos candidatos. Sobre o tucano, 13% disseram ter uma ótima imagem; 47% uma imagem boa; 12%, regular; 8%, ruim; e 15% afirmaram ter uma imagem péssima de Aécio. Em relação à imagem da presidente Dilma, 10% avaliaram como ótima; 38% como boa; 22%, regular; 11%, ruim; e 17% afirmaram que sua imagem é péssima.

ARTIGO: CM AÉCIO O BRASIL VOLTARÁ A SER FELIZ


Artigo: Com Aécio o Brasil voltará a ser feliz

ESTADO DE MINAS
Publicação: 24/10/2014 12:23 Atualização: 24/10/2014 13:29
Dez razões para votar em Aécio. Há alguns anos, Milton Campos, candidato a vice de Jânio Quadros, foi derrotado por Jango Goulart, inclusive em Minas Gerais. O resultado foi a Revolução de 1964 e tudo o mais que dai decorreu. Não podemos repetir erros do passado. 

FALTAM quatro dias. Não digo "apenas quatro dias", pois quatro dias são 106 horas. Para uma campanha tão contundente, é tempo demais. Enfim, o jeito é enfrentar e esperar. Sentado, para não cair de susto, de espanto. Pois ninguém pode prever o que as urnas vão revelar, já que as pesquisas, como sempre se viu e se comprovou, não são confiáveis, ou por incompetência, ou por outras razões menos nobres.

O CANDIDATO que seria o melhor, para os que desejam mudança de rumos para o país, é mesmo o mineiro Aécio Neves Cunha. Ele foi bom governador do Estado. É aberto ao diálogo. É extremamente simpático. Conquista, fácil, a amizade dos que dele se aproximam. É uma reprise, se me permitem, do ex-governador e ex-presidente da República, também mineiro, Juscelino Kubitschek. Tem o mesmo jeito ameno e conciliador de JK. E a mesma vontade de realizar, de promover o desenvolvimento, de elevar o nível da população e do país, através do crescimento econômico, da educação, da saúde, do bom convívio com todas as nações do mundo, e não apenas com as que possam corresponder às suas convicções ideológicas, como acontece atualmente.

JÁ me perguntaram qual a razão do expressivo apoio que Aécio tem recebido dos eleitores brasileiros. Vou tentar resumir o que penso em dez ítens, mas poderia elencar muito mais.

1 - A passagem de Aécio pelo governo de MInas, eleito e reeleito, foi um sucesso sem precedentes - com o que, mais uma vez, ele se equipara a JK. Ao fim do seu segundo mandato ele recebeu a aprovação de 92% dos mineiros. Quem, no Brasil de hoje, alcançou percentual igual? Em sua gestão, não se levantou nenhum caso de corrupção, os direitos dos cidadãos, dos funcionários, foram respeitados, os serviços burocráticos, engarrafados nos velhos prédios da Praça da Liberdade, foram transferidos para a Cidade Administrativa, que ele construiu, dotando a região de uma avenida de primeiro mundo, a Linha Verde. Muitos funcionários reclamam, alegando que o local de trabalho é distante de suas casas. Mais uma vez a semelhança com JK, que mudou a capital federal do conflagrado Rio de Janeiro para o Planalto Central, construindo Brasília em cinco ano, também muito criticada pelos que sairam das praias cariocas para o deserto planaltino. Hoje, Brasília é motivo de orgulho nacional.

2 - O GOVERNO federal está desgastado e desmotivado pelos 12 anos de repetição cansativa e monótona dos slogans petistas. Para os mineiros, os 12 anos, Lula, oito, e Dilma, quatro, não foram beneféficos. O governo e as verbas federais ignoraram Minas. O metrô, aquele trenzinho de superfície que depende do governo e das verbas da União, não aumentou o tamanho de suas linhas em sequer um centímetro, apesar das promessas. Uma nova administração, comandada por um mineiro autêntico, pois filho do saudoso e digno Aécio Ferreira da Cunha, ex-deputado estadual e federal, neto de dois homens públicos notáveis, Tristão da Cunha e Tancredo Neves, recolocaria Minas Gerais na rota do desenvolvimento econômico, cultural e social.

3 -É PRECISO dar oportunidade a novas idéias, a novos projetos, que só um novo governante, pode proporcionar. É preciso abrir as janelas, cerradas há 12 anos, para a entrada do ar puro e renovador dos ambientes. É preciso que novos gestores tragam novos programas, novas iniciativas, novas obras em benefício da população. O reeleito vai apenas repetir o que foi feito e deixar de fazer o que não fez e deveria ter feito. Os vícios e malfeitos do passado serão, certamente, reeditados. A atual presidente já entrou para a história, já garantiu seu retrato na galeria de ex-presidentes. É chegada a hora da mudança.

4 - A TROCA de comando é sempre benéfica na área pública, pois propicia a troca de rotinas, o surgimento de novos programas. E abre as portas e as vagas do serviço público para as novas gerações. Há 12 anos, os mesmos se repetem, nem sempre com sucesso.E mais: Aécio, já o disse José Serra, sabe delegar. Como delegou aqui em Minas. E sua equipe, basta ver os que o ajudaram e ainda ajudam, é do melhor gabarito, bastando citar o professor da nossa velha Faculdade de Direito, o jurista Antônio Anastasia, agora eleito senador, e que deverá ser ministro chefe da Casa Civil do novo presidente, ou superministro, com a fusão, já anunciada por Aécio, dos ministérios, hoje são 39, que serão extintos. Uma garantia de competência e e dignidade.

5 - A ECONOMIA está em crise, empresas até então sólidas enfrentam dificuldades, outras em estado falimentar, ou quase, provocando desemprego. A antes poderosa Alcan, em Ouro Preto, está nos jornais, tinha três mil funcionários, hoje eles são 350, com tendência a novas demissões. Um novo governo, com nova visão, pode superar a crise, através de novas idéias, de novos métodos de trabalho.

6 - A CRISE atinge a saúde, a segurança, os transportes, o ensino. O que esperar do continuismo, a não ser a continuidade de tudo, da crise inclusive. Mudar é imperioso.

7 -A POLÍTICA internacional do Itamaraty evidencia o seu viés ideológico, privilegiando países que adotam posições semelhantes à ideologia ultrapassada que nossos governantes querem nos impor. Enquanto isso, nosso vizinho, o Chile, cresce em todos os seus índices de desenvolvimento amparado por uma política exterior moderna e destituída de preconceitos. Aécio, em seu programa, promete mudar este panorama.

8 -É PRECISO acabar com a divisão a que nos levou um posicionamento preconceituoso do governo que insiste em permancer no poder. O do "nós contra eles". Afinal, somos todos um só povo, uma só nação. A arrogância e o ideologismo capenga do atual governo podem resultar numa divisão do mapa brasileiro em dois ou três pedaços. Com sua habilidade, com seu modo tranquilo e harmonizador, Aécio conseguirá recompor o triste quadro atual, unindo a nação.

9 -A LIBERDADE de imprensa, de opinião, base da democracia, tem estado em permanente ameaça nos últimos doze anos. Agora, a ameaça parece ser maior, e poderá concretizar-se se as eleições de domingo não determinarem uma mudança. Já se fala na criação de uma entidade governamental que teria o objetivo controlar a distribuição de papel de jornal em todo o país, seguindo o exemplo do regime autoritário da Venezuela. A ditadura chavista criou um Complexo Editorial que há 17 anos comanda a destinação das quotas do papel de imprensa, privilegiando os jornais que apoiam o governo e provocando o fechamento, por falta do produto básico, dos que a ele se opõem. O risco é grande. Aécio defende a liberdade de imprensa e jamais concordaria com a existência do tal Complexo Editorial no Brasil.

10 -FINALMENTE, o Brasil precisa voltar a ser feliz, a ser alegre, a ser otimista, a acreditar que o sol nascerá no dia seguinte, e para todos. O Brasil precisa voltar a viver sem o fantasma da inflação, que já dispara. O brasileiro quer abrir os jornais da manhã sem encontrar a manchete de todos os dias com denúncias de corrupção nos órgãos e empresas públicas, como as da Petrobrás. Sem a cara fechada dos governantes nas telas das TVs, em declarações intimidadoras, substituída pelo sorriso aberto, franco, alegre de Aécio, o novo JK. Se a mudança for a vitoriosa, todo o país voltará a sorrir, a acreditar no progresso, no respeito aos cidadãos e às leis vigentes. A noite escura se transformará em madrugada da esperança. Minas Gerais precisa dar o bom exemplo. Não podemos repetir, domingo, o que aconteceu há alguns anos, quando da eleição de Jânio Quadros. Dois candidatos disputavam a vice-presidência - a eleição era em cédulas separadas: Milton Campos, um ícone da moralidade, e João (Jango) Goulart. Jânio foi eleito, Jango foi o vice. Milton perdeu, inclusive em sua terra, em Minas, uma mancha que niguém consegue apagar na nossa história. O resto, todos sabem. Jânio renunciou, Jango tentou assumir, assumiu e foi cassado, implantou-se um governo revolucionário. Se o vice fosse Milton Campos, nada disso teria acontecido.

NÃO podemos repetir os erros do passado Ou pagaremos, como naquela ocasião, muito caro por eles. O Brasil não merece isso.

Fábio P. Doyle
Jornalista
Da Academia Mineira de Letras

NOTICAS DA POLITICA BRASILEIRA: WAGNER, RUI, AECIO, GABRIELLI, REVISTA VEJA, OBAMA, PUTIN..

Paulo Roberto Costa afirma ter pago R$ 20 mi para bancar reeleição de Eduardo Campos em 2010
Foto: Wilson Dias/ABr
O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa afirmou que intermediou o pagamento de 20 milhões de reais para o caixa 2 da campanha do então candidato à reeleição ao governo de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), em 2010. A declaração foi dada em depoimento da delação premiada da Operação Lava-Jato. O pagamento da quantia milionária foi feito pelo doleiro Alberto Youssef e com a intermediação de Fernando Bezerra, na época no cargo de secretário de Desenvolvimento do governo do Estado e presidente do Porto de Suape (entre 2007 e 2010), onde foi construída a refinaria. Bezerra foi eleito senador em Pernambuco pelo PSB, mesmo partido de Campos. Em 2011 ele passou a integrar o governo de Dilma Rousseff (PT) como ministro da Integração Nacional, cargo que ocupou até outubro de 2013. “Na campanha à reeleição de Eduardo Campos, em 2010, Fernando Bezerra Coelho não teve papel de coordenador nem de tesoureiro. Portanto, nunca tratou de doações à campanha com quem quer que seja”, informou em nota a assessoria de Bezerra. “A apuração dos fatos pela Polícia Federal e pelo Ministério Público, com absoluta certeza, mostrará que as declarações são caluniosas e que elas têm cunho puramente político.” Informações do Estado de S. Paulo.

   
Governo autoriza construção de viaduto em Feira de Santana
Foto: Divulgação / Sedur
O Governo da Bahia autorizou nesta quinta-feira (23) as obras de implantação do viaduto para a interseção da Avenida Nóide Cerqueira com a BR-324, no município de Feira de Santana, no centro norte do estado. Com recursos federais e estaduais, a obra terá investimento de R$ 10 milhões e possuirá 95 metros de extensão, com pista de rolamento e passeio. Serão duas faixas de tráfego e duas alças com extensão de 607 metros. A intervenção deve facilitar o acesso entre a nova Avenida Nóide Cerqueira, recentemente inaugurada após obras de ampliação requalificação e a BR-324. O prazo para a conclusão é de oito meses. O secretário de Desenvolvimento Urbano da Bahia, Manuel Ribeiro, assinou a ordem de serviço na sede da Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia, no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador.

   
Sexta, 24 de Outubro de 2014 - 20:00

Receita, PF e MP cumprem novos mandados contra Telexfree

Receita, PF e MP cumprem novos mandados contra Telexfree
A Receita Federal, o Ministério Público (MPF) e a Polícia Federal (PF) cumpriram, nesta sexta-feira (24), mandados de busca e apreensão contra um esquema de pirâmide financeira no Espírito Santo. A segunda fase da “Operação Orion” visa combater fraudes que envolvem práticas criminosas que teriam sido promovidas pela empresa Telexfree durante sua operação no estado do Espírito Santo. Um dos advogados da empresa, Horst Fuchs, informou ao G1 não tinha conhecimento da operação. De acordo com os órgãos envolvidos na ação, a rede construída pelas empresas que atuam como pirâmide financeira não condicional os ganhos dos divulgadores à venda ou revenda dos serviços de telefonia, mas às novas adesões à rede, o que tornaria o esquema lucrativo apenas para aqueles que estão no topo da pirâmide. A Telexfree é investigada por diversos órgãos públicos do Brasil e do exterior. Em junho, a Justiça do Acre determinou a suspensão de novos cadastros e indisponibilidade dos sócios de uma das empresas. O número de divulgadores prejudicados com a ação das empresas já ultrapassa um milhão de pessoas.

   
Gabrielli nega envolvimento com Youssef e diz que acusações de revista são 'infundadas'
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
O ex-presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, negou nesta sexta-feira (24) que tenha solicitado dinheiro ao doleiro Alberto Youssef para evitar que uma agência de publicidade revelasse um esquema de desvio de dinheiro da estatal . Em nota enviada ao Bahia Notícias, Gabrielli afirma que não conhece o líder do esquema bilionário de lavagem de dinheiro e que nunca teve qualquer tipo de contato presencial ou telefônico com ele ou com pessoas ligadas à suas empresas. O ex-presidente da Petrobras ainda classificou as informações publicadas pela Revista e atribuídas à delação premiada de Youssef como “uma tentativa desesperada de interferir no segundo turno das eleições”. “Os advogados do ex-presidente já analisam medidas judiciais cabíveis para reparar as acusações infundadas divulgadas pela publicação”, conclui o texto.

   
Deputados do PV se mobilizam pelo fim de acordo nuclear entre Brasil e Alemanha
Foto: Agência Brasil
O Partido Verde na Câmara dos Deputados se mobiliza pelo fim do Acordo Nuclear Brasil-Alemanha, assinado em 1975, durante o regime militar. O documento que prevê uso pacífico para a energia nuclear será renovado automaticamente, até o fim do ano, se nenhuma das partes se manifestar contrariamente à prorrogação. No Brasil, não há perspectiva de o governo se posicionar contrariamente ao acordo por enquanto. Os integrantes do PV esperam que a revogação do documento venha por parte da Alemanha. Segundo o partido, o Parlamento Alemão vota o tema no próximo dia 6 de novembro. A liderança da legenda na Câmara encaminhou ofícios contra o acordo à primeira-ministra alemã, Angela Merkel, e ao presidente da Câmara Baixa do Parlamento Alemão, Norbert Lammert, além de manifestos a ministros alemães, ao embaixador alemão no Brasil, a ONGs ambientalistas e cientistas daquele país e à embaixada brasileira na Alemanha. Segundo o Partido Verde, o acordo não gerou o conhecimento e a tecnologia esperadas. Além disso, desde o acidente com a usina nuclear de Fukushima, no Japão, em 2011, a Alemanha anunciou o fechamento de todas as usinas nucleares daquele país até 2022 e o investimento em energias renováveis como solar e eólica. Também adiou a decisão sobre o empréstimo que seria feito para a construção da usina nuclear de Angra 3, no Rio de Janeiro. O Brasil continuou o projeto, principalmente com financiamento de bancos públicos. A previsão é que a usina entre em operação em 2018. Outras duas usinas nucleares, Angra 1 e 2, estão em funcionamento desde os anos 1980 e 2000, respectivamente. Para o líder do PV na Câmara, deputado Sarney Filho (PV-MA), porém, não há motivo para o País seguir usando energia nuclear. "Temos potencial de geração de energias alternativas renováveis, que são muito mais seguras. A energia nuclear não gera gases de efeito estufa, mas é muito perigosa. Até hoje a humanidade não sabe o que fazer com o lixo nuclear, porque não tem solução." Esta não é a primeira vez que a bancada verde na Câmara se mobiliza pelo fim da cooperação Brasil-Alemanha no campo nuclear. Manifestações de repúdio têm sido entregues a autoridades brasileiras e alemãs desde 2011. Informações da Agência Câmara.

   
TSE nega pedido de coligação petista para retirar reportagem da Veja do ar
Foto: Divulgação
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou nesta sexta-feira (24) pedido de retirada da reportagem publicada na quinta-feira (23) na página do Facebook da revista Veja, segundo a qual a presidenta Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva são citados em um suposto depoimento do doleiro Alberto Youssef. O pedido foi feito pela coligação Com a Força do Povo, que apoia a candidatura de Dilma à reeleição. A matéria foi publicada com o título "Tudo o que você queria saber sobre o escândalo da Petrobras: Dilma e Lula sabiam”. Segundo a reportagem, Youssef disse que Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sabiam do esquema de corrupção na Petrobras. Na representação, a coligação de Dilma acusa Veja de ter antecipado a edição para sexta-feira para "tentar afetar a lisura do pleito eleitoral". A representação diz ainda: "a matéria absurda de capa [...] imputa crime de responsabilidade à candidata Representante (...) e a mensagem ofensiva da capa da revista tem por objetivo bem delineado: agredir a imagem da candidata Representante". Para negar o pedido, o ministro Admar Gonzaga alegou que o artigo da lei eleitoral citado na representação (Artigo 57-D, Parágrafo 3º, da Lei das Eleições) para pedir a retirada do ar não está em vigor nas eleições deste ano. Com isso, a representação foi arquivada, sem julgamento sobre o conteúdo.

   
Sexta, 24 de Outubro de 2014 - 19:00

Putin diz que EUA aumentam chances de conflitos entre 'grandes potências'

por Estadão Conteúdo
Putin diz que EUA aumentam chances de conflitos entre 'grandes potências'
Foto: NBC News
Os Estados Unidos desestabilizam a ordem global ao tentar impor sua vontade, declarou o presidente da Rússia, Vladimir Putin, nesta sexta-feira (24). Em discurso a especialistas em política em um resort de Sochi, no Mar Negro, o líder alertou que o mundo pode enfrentar novas guerras se Washington falhar em respeitar os interesses de outros países. "A probabilidade de uma série de conflitos agudos com envolvimento indireto e até direto de grandes potências aumentou significativamente", afirmou Putin. "A Ucrânia é um exemplo de tais conflitos que influenciam o equilíbrio global de forças e, creio eu, não será o último". Durante o pronunciamento, Putin citou as situações no Iraque, Líbia e Síria como exemplos de políticas norte-americanas que fracassaram e levaram ao caos. Visivelmente emocionado, ele disse que os norte-americanos e seus aliados estão "lutando contra os resultados de suas próprias políticas" nos países. "Eles estão usando seu poder para remover riscos que foram criados por eles mesmos, e estão pagando um preço crescente", disse. Putin acusou ainda os Estados Unidos de tentarem criar a imagem de que a Rússia é um perigo para o resto do mundo, forçando seus aliados a imporem sanções sobre Moscou. Segundo ele, essas medidas têm por objetivo levar a Rússia ao isolamento, mas que não irão ser bem-sucedidas. Informações da Associated Press.

   
Sexta, 24 de Outubro de 2014 - 18:40/BAHIA NOTOCIAS

Gabrielli pagou R$ 1 mi para que agência não denunciasse esquema, diz Veja

Gabrielli pagou R$ 1 mi para que agência não denunciasse esquema, diz Veja
Foto: Elias Dantas/ Ag. Haack/ Bahia Notícias
No suposto depoimento do doleiro Alberto Youssef ao qual a revista Veja teria tido acesso, não são citados apenas a presidente Dilma Rousseff (PT) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A edição desta sexta-feira (24) traz ainda um caso que teria ocorrido no final do governo Lula: o então presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli – homem de confiança do ex-presidente – teria determinado que Youssef captasse R$ 1 milhão de reais entre as empreiteiras que participavam do esquema bilionário de lavagem de dinheiro para comprar o silêncio de uma agência de publicidade. A empresa teria ameaçado “explodir” o esquema de corrupção na estatal após pagar antecipadamente propina e ter, ainda assim, seu contrato reincidido. O doleiro não cita envolvimento direto de Lula e Dilma nas transações, mas disse ter condições de apresentar provas de que a movimentação não poderia ter existido sem o conhecimento dos petistas. A revista explica que, neste momento da delação premiada – que deve conseguir reduzir a pena do operador do esquema – Youssef não tem que apresentar as provas do que diz, apenas convencer o Supremo Tribunal Federal (STF) de que está falando a verdade. Segundo a Veja, caso alguma informação dada seja mentira, o doleiro não só perde os benefícios da delação como pode ter acrescidos quatro anos na sua pena. De acordo com a revista, o atual secretário de Planejamento da Bahia não quis se pronunciar sobre o assunto.

   
Sexta, 24 de Outubro de 2014 - 18:20

Feira da Cidade acontece no Rio Vermelho neste fim de semana

por Rebeca Menezes
Feira da Cidade acontece no Rio Vermelho neste fim de semana
Foto: Reprodução / Instagram
Feira da Cidade, que reúne barracas de artesanato e gastronomia semanalmente, acontece no bairro do Rio Vermelho, em Salvador, neste fim de semana. No sábado (25), a feira acontece das 11h as 17h, e no domingo (26), das 8h as 17h. Segundo Carla Maciel, coordenadora do evento, a edição trará novidades. “Desta vez nós teremos a estreia de Dadá, com moqueca e bolinhos de estudante. Também vamos ter barracas que já atuaram na feira, mas com sabores diferentes. Na próxima edição traremos comida mineira... Nossa intenção é sempre trazer novidades, mas também termos coisas permanentes”, explicou ao Bahia Notícias. Carla explica que o projeto deve ocorrer de forma fixa no Rio Vermelho e na Barra, mas também privilegiar outras regiões. “Estamos definindo outros dois locais. Estudamos a Praça Ana Lúcia e da praça do Aquarius, e também teremos um bairro surpresa. Estamos fazendo em vários lugares porque as pessoas estão pedindo muito”, contou.

   
Wagner é cotado para ministro da Fazenda de Dilma, diz revista
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
A edição desta semana da revista Veja não trouxa apenas a polêmica em relação ao doleiro Alberto Youssef e sua suposta ligação com a presidente Dilma Rousseff (PT) e seu antecessor Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo a publicação, haveria uma “forte articulação” dentro do Partido dos Trabalhadores para fazer de Jaques Wagner o novo ministro da Fazenda caso a petista seja reeleita – ideia que teria adesão de Lula. “Dilma Rousseff tem um bom relacionamento com o governador da Bahia”, diz o texto. De acordo com Lauro Jardim, da coluna Radar, o fato de Wagner não ter ligação com economia por ser “um ex-estudante de engenharia que nunca completou o curso” seria um problema, mas fez com que os apoiadores da ideia o relacionassem com o médico Antonio Palocci. “Wagner, como Palocci, também é um habilidoso conversador, um predicado obrigatório para aparar as arestas do setor produtivo”, defende.

   
Sexta, 24 de Outubro de 2014 - 17:40

Rui Costa quase tem olho perfurado em Jequié

Rui Costa quase tem olho perfurado em Jequié
Foto: Zenilton Meira
O governador eleito Rui Costa (PT) sofreu um incidente inusitado nesta sexta-feira (24) durante caminhada em Jequié, no sudoeste baiano. Um dos militantes estava com um guarda-chuva e atingiu involuntariamente o olho do petista. Segundo o blog Zenilton Meira, Rui não reclamou de dor e prosseguiu com o ato de apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).

   
Sexta, 24 de Outubro de 2014 - 17:20

'Testa de ferro' aceita acareação para falar sobre PSDB

por Ricardo Brandt e Fausto Macedo l Estadão Conteúdo
'Testa de ferro' aceita acareação para falar sobre PSDB
Foto: José Cruz/Agência Brasil
Leonardo Meirelles, apontado como "testa de ferro" de Alberto Youssef nas indústrias farmacêuticas Labogen, diz que aceita o desafio da acareação na Justiça feito pelo doleiro. Meirelles declarou formalmente em juízo no dia 20 de outubro que o PSDB também usava os serviços da lavanderia alvo da Operação Lava Jato. Youssef, mentor do esquema de corrupção e lavagem de dinheiro ilícito, nega ter atuado para o PSDB e, por meio de seu advogado, disse que quer uma acareação com seu testa de ferro. Em petição ao juiz Sérgio Moro, que conduz as ações da Lava Jato, juntada nesta quinta feira, 23, ao processo que trata sobre desvios, corrupção e lavagem de dinheiro nas obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, o advogado de Mereilles, Haroldo César Náter, informa que "se for do juízo de vossa excelência, está disposto a participar do procedimento de acareação". Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, outro alvo central da ação penal, afirmaram no dia 8 que PT, PMDB e PP loteavam diretorias na estatal e cobravam propina de até 3% de grandes construtoras. Na última segunda-feira, 20, ao ser ouvido no processo como réu, Meirelles espontaneamente citou o PSDB ao ser perguntado pelo próprio advogado sobre se ele tinha conhecimento de que outro partido, além do PT, PMDB e PP, tinham negócios com Youssef. A afirmação de Meirelles fez com que o doleiro entrasse com um pedido de acareação e desafiou seu "testa de ferro" por meio de seu advogado Antônio Figueiredo Basto a provar sua relação com o PSDB e com o ex-presidente nacional do partido, senador Sérgio Guerra (PE), que morreu em março deste ano.

   
Sexta, 24 de Outubro de 2014 - 17:00

Rui Costa cria grupo para iniciar transição de governo

Rui Costa cria grupo para iniciar transição de governo
Foto: Divulgação
O governador eleito da Bahia, Rui Costa (PT), afirmou nesta sexta-feira (24) que na próxima semana deve criar um grupo para iniciar o trabalho de transição do secretariado. O petista pretende deixar a equipe pronta antes de viajar para um “período de descanso”, depois do segundo turno das eleições. "Esse grupo vai começar a levantar os dados que precisamos para algumas medidas que vamos tomar. Quando voltar de viagem, quero reunir os partidos e lideranças para discutir a formação do governo. Em dezembro anuncio o secretariado", prometeu. Rui participou, nesta sexta, de um ato pró-Dilma Rousseff (PT) ao lado da senadora Lídice da Mata (PSB) e reforçou a defesa de que precisa “ter as portas abertas em Brasília”. “A Bahia tem uma arrecadação pequena e depende do governo federal para realizar grandes projetos. Vamos reeleger nossa presidenta e garantir mais quatro anos de grandes obras no estado", defendeu o futuro gestor.

   
Danilo Tarracha é 'resgatado' por Ney Franco e retorna ao elenco principal
Foto: Glauber Guerra / Bahia Notícias
O lateral-esquerdo Danilo Tarracha está de volta ao elenco principal do Vitória. Após passar quase 60 dias treinando separadamente no G2, o jogador foi resgatado nesta sexta-feira (24) pelo técnico Ney Franco. Leia mais na coluna deEsportes

   
Sexta, 24 de Outubro de 2014 - 16:40

Sem dar entrevista, Aécio diz que PT tenta censurar Veja

por Estadão Conteúdo
Sem dar entrevista, Aécio diz que PT tenta censurar Veja
Foto: Reprodução
Em rápido pronunciamento à imprensa, o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, acusou o PT de tentar censurar a última edição da revista Veja, publicada nesta sexta-feira (24). O tucano não quis dar entrevista e fez apenas uma declaração sobre a reportagem de capa da Veja em que o doleiro Alberto Youssef, preso desde março, acusa a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (ambos do PT) de terem conhecimento de um suposto esquema de desvio de dinheiro da Petrobras. "A denúncia é extremamente grave e tem que ser confirmada, mas é preciso que seja também apurada", afirmou o candidato tucano, que acusou o PT de tentar censurar a publicação. "O Brasil merece uma resposta daqueles que governam o País. Infelizmente, a única manifestação foi pela censura, pela retirada de circulação da maior revista nacional. Essa não é, certamente, a resposta que os brasileiros aguardam", disse. O candidato tucano recusou-se a responder as perguntas de jornalistas, ao contrário do que tem feito diariamente durante a campanha, quando grava depoimentos para emissoras de TV. "Hoje não vou dar entrevista. Vou fazer apenas uma declaração em razão da relevância do tema", disse em uma sala do Hotel Sheraton, no Leblon, zona sul do Rio, onde passou o dia possivelmente se preparando para o debate desta sexta-feira (24) na TV Globo.

   
Mentor de roubo na Área 1 é primo de jovem morto, diz polícia
Foto: Jornal Folha de Condeúba
O estudante Willian Souza Santana, de 24 anos, era mandante e comparsa que suposto assalto que resultou na morte de Railan da Silva Santana, 17, na portaria da Faculdade Área 1, informou nesta sexta-feira (21) a Polícia Civil. De acordo com a instituição, o jovem é primo de Railan e cursa o sétimo semestre de Direito na Faculdade Ruy Barbosa, que fica ao lado do local do crime. Segundo a delegada Andréa Ribeiro, Willian se apresentou ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) nesta sexta e teria um chassi de uma motocicleta do mesmo modelo do policial militar Jorge Figueiredo Miranda, de 30 anos. A polícia alega que a intenção da dupla seria roubar a moto do PM para desmanche e que Railan utilizou uma arma calibre 38, com numeração raspada, que pertenceria ao estudante de Direito. As investigações apontam William como reincidente na prática de roubo de motocicletas, apesar dele não ter passagem policial registrada em delegacia. Segundo a delegada, há informações de que Willian é suspeito de envolvimento em outros assaltos praticados na companhia do primo Raimar Santana Souza, assassinado em abril deste ano, no bairro de Itapuã, e de um homem conhecido por “Tchê”, que também já morreu. Vítima do assalto, Miranda se apresentou, acompanhado do advogado, na noite desta quinta (23). Ele teria confessado que atirou em Railan ao reagir à ação do adolescente, que teria o ameaçado de morte caso fosse policial. PM a cinco anos, Jorge disse que pediu a uma empregada da Área1 para chamar uma guarnição policial e relatar toda a ação, mas não esperou por estar nervoso com o ocorrido.

   
Estudante abre fogo em escola dos Estados Unidos e fere pelo menos sete pessoas
Foto: Reprodução
Um tiroteio em uma escola de Marysville, no estado norte-americano de Washington, deixou pelo menos sete pessoas feridas nesta sexta-feira (24). Um estudante, que ainda não teve a identidade revelada, abriu fogo na cafeteria da escola e cometeu suicídio após atingir pelo menos sete estudantes. Duas pessoas foram evacuadas de helicóptero. Segundo a polícia local, ainda não há informações sobre a motivação para o ato. Um aluno que havia buscado refúgio dentro de uma sala de aula falou à rede CNN, por telefone, que quando os tiros começaram, os estudantes pensaram que se tratava de uma simulação de incêndio, até que os professores disseram a todos para correrem para as salas porque se tratava de um atirador. Informações da Associated Press e do Seattle Times.

   
Após matéria de Veja, PSDB pedirá investigações à PGR e diz que PT pode ser extinto
Foto: Bruno Magalhães/ Coligação Muda Brasil
O PSDB irá ingressar com uma Representação Criminal perante a Procuradoria Geral da República requerendo o aprofundamento das investigações por conta da matéria da Revista Veja que sugere o conhecimento Lula (PT) e Dilma Rousseff (PT) sobre os esquemas de desvio de dinheiro da Petrobras. Em nota oficial assinada por Carlos Sampaio, Coordenador Jurídico da Coligação Muda Brasil, o partido lista diversos crimes que teriam sido cometidos pelo PT: lavagem de dinheiro, corrupção passiva, corrupção ativa, peculato, prevaricação e crimes contra a ordem econômica decorrentes da ocultação de contas e valores no exterior. “Vale dizer que, ao se confirmar que todas as infrações narradas pelo doleiro Alberto Youssef ocorriam com o conhecimento dos Srs. Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Vana Rousseff, há que se realizar um aprofundamento das investigações para verificar a sua participação nos ilícitos”, diz a nota, que defende que há responsabilidade criminal a ser perquirida. “É necessário apurar se a repatriação de recursos financeiros do exterior se concretizou, ainda que por meio de outro operador, pois, caso se confirme o ingresso de R$ 20 milhões de recursos ilegais em benefício da campanha de Dilma Rousseff, restará caracterizado o abuso de poder econômico nestas eleições. Além disso, a obtenção de recursos de procedência estrangeira por partido político poderá levar à extinção do Partido dos Trabalhadores”, finaliza.

   
Após roubo de carro em rua próxima, alunos da FSBA fazem abaixo-assinado por segurança
Foto: Erik Salles/Divulgação
Após um veículo ser roubado na Rua Senta Pua, que fica atrás da Faculdade Social da Bahia (FSBA), alunos da instituição organizaram um abaixo-assinado para entregar à unidade policial responsável pela segurança em Ondina. O documento também tem assinaturas de alunos da Ufba, que tem campus próximo à unidade de ensino, e de moradores da região. A Faculdade Social da Bahia (FSBA) e o Colégio ISBA, que também está instalado no local, informaram em nota que já encaminharam ofícios à 12ª Companhia Independente da Polícia Militar (12ª CIPM/Rio Vermelho), que realiza o patrulhamento em Ondina, para solicitar rondas no local, que segundo o comunicado, têm ocorrido com frequência. As instituições afirmam também que apoiam e consideram legítima qualquer movimento dos alunos relacionados à segurança nas ruas do entorno dos prédios onde funcionam o colégio e a faculdade. De acordo com informações da Polícia Militar, o assalto foi executado por três homens armados que chegaram em um veículo prata, por volta das 19h20. Após render o motorista do Palio branco, eles roubaram as chaves e fugiram. Ainda de acordo com a corporação, uma equipe da 12ª CIPM foi até o local onde ocorreu o crime e fez rondas, mas não conseguiu localizar os assaltantes. Os policiais orientaram a vítima a registrar o caso na Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV). Em nota enviada ao Bahia Notícias, a 12ª CIPM informou que duplas de policiais que integram a Operação Corredor Turístico de Salvador serão posicionados nas proximidades do Instituto.