quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

HSTÓRICO -POJUCA CENTENÁRIO DA INSTALAÇÃO DA VILA DE POJUCA - 26/10/1913 - 26/10/2013 /PARABÉNS!



MAIS  DE  540 MIL  ACESSOS 25/02/2015



PARABÉNS  POJUCA 100  NOS DA INSTALAÇÃO DA  VILA 26/12/1913 - 26/10/2013!

                                                    EDIÇÃO INÉDITA -  HISTÓRICA
                                                                  
                                                        RELÍQUIA HISTÓRICA!
                        RUA  GOVERNADOR JOSÉ JOAQUIM SEABRA JULHO DE 1923
                       NO CENTRO DA FOTO O EDIFICIO DA INTENDÊNCIA MUNICIPAL
                      EM FASE  FINA  DE CONSTRUÇÃO -
             F. ARQUIVO DE CHIQUITINHA  MARAVILHA -DIÁRIO OFICIAL  DA BAHIA 1923

NOTA:
CAPITÃO MANOEL BATISTA  DOS SANTOS, AVÔ DE  NÍVEA BATISTA  DOS SANTOS, ESTA   CASADA COM   JORGE   ABREU   GUIMARÃES,  PAIS   DENTRE OUTROS FILHOS  DE    MARCIA   GUIMARÃES, JORGE LUIZ, NÚBIA GUIMARÃES.  JORGE GUIMARÃES FILHO DO INDUSTRIAL E FAZENDEIRO  PRISCÍLIO   ABREU  GUIMARÃES,   QUE FOI PROPRIETÁRIO  DO LATICÍNIO (OU USINA)  DE  LEITE E DERIVADOS,  NA CIDADE DE MATA DE SÃO JOÃO/BA.   DA DÉCADA DE 1940 A  DÉCADA DE 1960.
CONSELHEIRO MANOEL BATISTA DOS SANTOS  INAUGUROU A  PRIMEIRA PADARIA  E  PRIMEIRO CINEMA    NO ATUAL MUNICÍPIO DE POJUCA E COLOCOU A LUZ ELÉTRICA A  MOTOR.

FOTO  DA  FAMÍLIA BATISTA DOS SANTOS  NA  CIDADE DE  POJUCA, ANTONIO  BATISTA  DOS SANTOS, FILHO  DO CAPITÃO MANOEL BATISTA DOS SANTOS,  ESTE, UM DOS  CINCOS  CONSELHEIROS MUNICIPAIS (VEREADOR) ELEITOS PARA O PODER  LEGISLATIVO  DE  POJUCA  NO DIA 29/07/1913 E QUE FORAM EMPOSSADOS  PELO GOVERNADOR  DA BAHIA,  JOSÉ JOAQUIM  SEABRA NO DIA 26/10/1913.   ANTONIO  BATISTA DOS SANTOS   FOI  PREFEITO INTERINO  DO  MUNICÍPIO  DE POJUCA   NO  ANO DE  1967. 
ANTONIO  BATISTA DOS SANTOS PAI DENTRE OUTROS  FILHOS  DE NIVEA BATISTA DOS SANTOS, CASADA COM JORGE   GUIMARÃES,  PAIS DE  MARCIA GUIMARÃES,  JORGE LUIZ  E  NÚBIA. JORGE   GUIMARÃES, UM DOS  FILHOS DE PRISCÍLIO  ABREU GUIMARÃES,   FAZENDEIRO   E INDUSTRIAL NA  CIDADE  DE MATA DE SÃO JOÃO,  DONO DO LATICÍNIO  DE  LEITE E  DERIVADOS   DA DÉCADA  DE 1940  A DÉCADA DE  1960.  
CONSELHEIRO   CAPITÃO MANOEL  BATISTA  DOS SANTOS, CASADO COM HERMELINDA NOGUEIRA BATISTA, AVÔ DE NIVEA E BISAVÔ E BISAVÔ MATERNO DE MARCIA, JORGE LUIZ E NÚBIA. FOTO ARQUIVO DE GILKA BATISTA, EM PÉ DA ESQUERDA P/ DIREITA: ANTONIO MATHEUS DO AMARAL LEAL (O 1º), ANTONIO BATISTA DOS SANTOS (O 2º)... MENINAS TRAJANDO ROUPAS DE COMUNHÃO..

JORGE GUIMARÃES, ESPOSA NÍVEA BATISTA  DOS SANTOS  E FILHOS  JORGE LUIZ, NA CIDADE DE MATA DE SÃO JOÃO, BAIRRO DA ESTAÇÃO DA LESTE PERTO DA USINA  OU LATICÍNIO  DE LEITE  E  DERIVADOS DO INDUSTRIAL  PRISCÍLIO  GUIMARÃES. FOTO ARQUIVO DA FAMÍLIA   JORGE E NÍVEA GUIMARÃES, INICIO  DÉCADA  DE 1960.

FAMÍLIA  BATISTA DOS SANTOS - NA  FOTO IRMÃS  NÍVEA (BLUSA AMARELA),  GILKA (BLUZA AZUL) E  ETELVINA  BATISTA  DE JESUS (TETE). FOTO FACEBOOK  DE MÁRCIA   GUIMARÃES MOURA.  



                                                        Perfeito! 4 gerações! 


Família Batista Guimarães e ramificações genealógica. Magníficas, passado, presente  e futuro, repletos  de histórias! Foto reunião   de  primos no Condomínio  Jardim Mediterrâneo/Salvador/Ba.  Facebook Márcia Guimarães Moura, 21/02/2015. Legenda Gamaliel Chagas (Chiquitinha Maravilha).

Famílía Batista  Guimarães Ramo Genealógico   casal Márcia Batista Guimarães e  Fernando  Moura Neto e  filhos:
da esquerda p/  direita, Fernando Guimarães Moura,  Vanessa (1º casamento de Fernando Moura Neto), Moema (filha  do casal Márcia Guimarães e  Fernando Moura Filho),  Fernando Moura  Neto,  esposa Márcia Batista Guimarães,  Roald,   formado em Ciências  da Computação, Vanessa  em  designe gráfico 
Fernando  Guimarães  Moura,  formado em Administração  de Empresas,  Moema  médica, Carla  psicóloga,    Fernando  Moura Filho, Economista, esposo da matense Márcia Batista   Guimarães, esta  formada  em Enfermagem com  pós graduações,  sendo Auditora.  O casal Márcia  e  Fernando Moura Neto  se  casaram dia 02/06/1984 na igreja  de Nossa  Senhora  da Luz/Pituba, Salvador/Ba.


                                                                FAMÍLIA ABREU  GUIMARÃES  DE  POJUCA

Priscílio   Abreu  Guimarães, INDUSTRIAL E FAZENDEIRO
                                  Maria dos Anjos (Dona  Zinha), ESPOSA  DE  PRISCÍLIO gUIMARÃES
CASÓRIO DE Lucas Silva e silva e  Carla Guimarães   Moura
CASÓRIO  DE  MÁRCIA  BATISTA GUIMARÃES  E FERNANDO MOURA  NETO, DATA 02/06/1984, IGREJA DE N. SENHORA DA  LUZ/PITUBA/SALVADOR/BA.





MAIS DE 260 FOTOS!


Vídeo  da  cidade  de  Pojuca

Vídeo   narrado, filmado, produzido por Chiquitinha  Maravilha   dia 23/10/2013  na  cidade  de  Pojuca   que  completou  no  dia 26/10/2013 completou 100  anos  da  Instalação  da    Vila (atual  Município pelo então Governador  da  Bahia  Jose  Joaquim  Seabra  (29/3/1912 a 28/3/116) e  sua  Comitiva  no  dia 26/10/1913,   um  data Festiva, Histórica  na  pujante Pojuca (1912/1915 com mais  de 36  mil  habitantes     em 2013, (estimativa  do IBGE).

CLICK NO LINK E ASSISTAM

http://www.youtube.com/watch?v=HQAjAxpQNcU


VIDEO DA TRAGEDIA DA EXPLOSÃO DE WAGÕES DE TREM DA LESTE  FERROVIÁRIA NA CIDADE DE POJUCA EM 1983, VITIMANDO 382  PESSOAS E DEIXANDO INÚMEROS FERIDOS..

 TEXTO RESUMO DO VÍDEO:

Contendo  o relato da  tragédia    acontecida   na  cidade de  Pojuca  no ano  de 1983,  quando   o trem da    leste  Ferroviária, descarrilou  com wagões de Gasolina  que  horas depois  explodiu, causando    vitimas. Um tragédia  que  comoveu a  Bahia  e   o Brasil, sendo  notícias    nos veículos  de  comunicações
Sr. Eivan José Lima morador  da  cidade de Pojuca, foi testemunha e heroí  dessa     citada  tragédia, salvando  vitimas  e  expondo  sua  própria vida, sendo inclusive ferido...

  Vídeo  documentário na  entrevista de Chiquitinha  Maravilha no dia 23/10/2013 com o Sr. Elivan,   aos  61  anos  de idade, morador  na  rua 29 de  julho, cidade  de Pojuca/Ba. desde  os  6 meses  de idade, sendo natural  do município de   Entre  Rios/Ba
Elivan conta fatos  histórico da  história  de Pojuca, sua  biografia, seus  pais, filhos, sua vida  profissional, sendo torcedor do Bahia,  jogador  zagueirão bom bola,  relata  também fatos   do futebol pojucano e  muito mais...... 


CLICK NO LINK E ASSISTAM

http://www.youtube.com/watch?v=LAYmVEHgJYo&feature=player_detailpage



HISTÓRICO!

FOTO DA TRAGEDIA DO TREM DA LESTE/POJUCA 31/08/1983

Em 31 de agosto de 1983, um trem de combustível descarrilou no centro da cidade, deixando vazar 40 mil litros de combustível. Como o leito da linha era mais alto que a rua, o líquido vazou para dentro das casas e uma faísca não se sabe de onde detonou o fogo que se espalhou queimando várias  pessoas e 382 morreram.Fonte/Veja, 1983
ACIMA: O túnel 5 quilômetros após a estação de Pojuca, sentido São Francisco, um dos poucos da linha e original da época da construção, nos anos 1860. Tem 250 metros de extensão (Foro Robson Pinheiro em março de 2008).


                ELIVAN JOSÉ  LIMA - O HERÓI DA  TRAGEDIA  DE 1983 NA CIDADE  DE POJUCA/BA.
 Elivan Jose  Lima, 61  anos, morador  na  rua  29 de julho (Pojuca), aos  6 meses veio residir na  cidade de Pojuca no inicio  da década  de  1950 herói da  tragedia  de  1983, quando    socorrendo  as  vitimas da explosão de  wagoes  do Trem da  Leste  em 1983,  houve vitimas  na  famosa  tragedia do trem da  Leste  na cidade  de Pojuca, destaque  nos  veículos  de  comunicações  da  Bahia e  do  Brasil. Ver  Vídeo relatando a  citada  tragedia   do ano  de 1983  (daqui ha  pouco)
               Elivan  Jose  de Lima e  sua  esposa  Sonia  torcedores  da   Esporte  Clube  Bahia
                                   Elivan José  Lima desde criança   torcedor da Nação tricolor
 Foto Hstórico:
Elivan no início da década  de 1960 é o 1º  na  foto a partir da esquerda  para a  direita, Dr. Toinho, atual, prefeito  de pouca  que toma  posse   dia 24/10/213 é o 5º  na  foto (chupando bico).
Foto do reprodução de  Chiquitinha  Maravilha  do arquivo  de Elivan José   Lima,  amigo de infância  do Dr. Toinho, médico pediatra
Tradicional Praça  29 de Julho, local onde iniciou-se  a  povoação do atual município de  Pojuca no inicio do  Século  XVII (1600), nas cabeceiras  do  lendário  Rio Pojuca, em  cuja  prala  as   águas  no período  de  inverno alagava   o  citado local.

         ABAIXO - FAMÍLIA  DE ELIVAN JOSÉ  LIMA, HERÓI DA  TRAGEDIA DE POJUCA  EM 1983


  A monumental Praça  Senador Antonio  Carlos Magalhães (ACM)  na  Cidade  de Pojuca/Ba.  Senador Antonio  Carlos Magalhães (ACM)  na  Cidade  de Pojuca/Ba. Senador Antonio  Carlos Magalhães (ACM)  na  Cidade  de Pojuca/Ba.


SEABRA UM DOS BENEMÉRITO  DO  MUNICÍPIO  DE POJUCA/BA

LINK DA SUA BIOGRAFIA COMPLETA COM FOTOS NA PESQUISA DE


CHIQUITINHA MARAVILHA.


Nota:


Leopoldina  Seabra, irmão  do  citado Governador se  casou  com o Cel Luiz  Meireles   Viana (com   descendência),  este    tio irmão  da  trisavó de Chiquitinha Maravilha,   nominada de Joana  Amélia Meireles Viana, casada  com o médico político Dr.   Antonio  Rodrigues Teixeira, 1º Intendente  da  Vila  de Mata  de S. joão em 1890 (eram primos carnais).

Cel  Luiz  Meieles    foi Vereador  na  Vila de Mata de S. João, proprietario  do Engenho  São João na  região  da povoação de Pitanga, zona  rural matense, Luiz   herdou   do seu pai  o   citado Engenho de   açúrcar, depois  passou  a  ser Fazenda com o mesmo  nome.

LINK CLICAR NO LINK

http://chiquitinhamaravilha.blogspot.com.br/p/portico-da-cidade-tricolor-na-reta.html




GOVERNADOR  JOSÉ JOAQUIM SEABRA!
SUA  BIOGRAFIA.             
Por Chiquitinha  Maravilha                                                   
Governador   José Seabra  Líder Liberal Democrata, foi  destaque, sendo considerado o Maior Governador Baiano  da  Chamada  Republica Velha (1890 a 1930). 

Seabra: Carisma, Oratória Eloquente,  visão de  modernidade, liderança  incontestável  na  política  baiana  e  brasileira de 1890  a 1930. Seabra nasceu  no então Distrito dos Mares na   Cidade Baixa em Salvador /Bahia no  dia  22/08/1855 e faleceu  no  Rio de Janeiro em 07/12/1942, sendo sepultado no dia 12/12/1942 no Campo Santo, Cidade de Salvado perante uma multidão de   pessoas,  como jamais visto num funeral na cidade  de Salvador.

DE ALUNO BRILHANTE, A DOUTORADO  NA  FACULDADE  DE DIREITO DE RECIFE

 O  jovem  José  Joaquim  Seabra,  bacharelou-se  em  5/11/1877  com  22  anos  de  idade,  sendo  aprovado  com  distinção.  No  ato  da  sua  colocação  de  grau,  o  Lente  Catedrático,  homem  de  notável  inteligência,  o  Justiano  da  Silva  Guimarães,  propôs  a  Comissão  que  julgassem  o  aluno  que  acabava  de  concluir  o  curso  de  Bacharel em  Ciências  Jurídicas  e  Sociais  que  era  digno  de  um  prêmio  que  no  Estatuto  não  permitia  e  que  pelo  êxito  que  Seabra  havia  sido aprovado  no referido  curso.
A  sugestão  foi  aceita  pela  direção  da  Faculdade  de  Recife  e  Seabra  foi  agraciado  pelo  premio  a  que  fez  jus.  Foi  um  fato  inédito,  um  precedente  jamais  concedido  a  outros alunos  dessa  Faculdade  de  Direito  de  Recife.
Depois  de  aprovado  a  proposta  foi  levada  para  o  consentimento  do  Ministério do  Império,  que no  seu  relatório  pediu  aprovação  pela  Assembléia  da Capital  do  Império  (Rio  de  Janeiro), o  qual  também  a  proposta  foi  concedida.
Como  estudante,  Seabra  atingiu  o  culto  às  Letras,  depois  a  Revista  Acadêmica  de  Ciências Lidas.  A  mesada  modesta  paterna,  insuficiente  para  custear  os  estudos  de  Seabra,  o  qual  teve  de  trabalhar  nas  horas  vagas,  no  caso  lecionando  Retórica. 

Tese  de  Doutorado 

Seabra  fez  seu  doutoramento  em  1878,  sustentando  a  tese  perante  a  Congregação  da  Faculdade  de  Direito  de  Recife,  onde  nessa  brilhante  Faculdade  formaram-se grandes  expoentes, jurisconsultos  e  Estadista  do  Regime  Imperial  e  Republicano.
Não  era  fácil  obter  um  Diploma  de  Doutor  em  Direito.  As  provas  eram  difíceis  e  o  tribunal  exigente  e  rigoroso  no  julgamento.  Raros  eram  dos  poucos  que  aspiravam  a  honra,  os  que  logravam  serem  aprovados  e  raríssimos  eram  esses  os  aprovados  por  unanimidade.  O  Dr. Seabra  pertenceu  a  esse  seleto  número.  Não alcançou  nenhuma  “bola  preta”  foi  aprovado  unanimemte,  era então  o  grau  mais  elevado.
No  ano  seguinte,  1879, entrou  em  concurso  para  lente  substituto  da mesma  Faculdade,  tendo  como  competidores: Albino  Meira,  o  Barros  Guimarães,  Roza  e  Silva,  Gomes  Parente  e  Lidino  Drumond, Seabra  foi nomeado.  Nessa  ocasião  era  Promotor  Público  da  Capital  do  seu  Estado,  em  cujo  desempenho  já  se  havia  imposto  a  consideração  pública  íntactica,  manteve  as  tradições  brilhantes  que  o  acompanhavam  dos  bancos  escolares,  fazendo  os  interesses  sociais,  ofendidos  Zacharias  Góes, Fernandes  da  Cunha  e  José  Antonio  Saraiva.
Por  força  do  cargo  em  que  fora  investido  por  decreto  Imperial,  o  Dr.  Seabra  já  então  casado com  dona  Amélia  de Freitas  Seabra,  a  filha  do  Conselheiro José  Antonio  de  Freitas,  clínico  e Professor  da  Faculdade  de  Medicina,  foi residir  em  Recife,  mais sempre  visitando  a  Bahia  (Salvador),  com  frequência,  onde  nasceram  os  seus  filhos.


                               O FUNERAL DO  SÉCULO  VINTE!                                                 
Cortejo do  Funeral  do   Governador da  Bahia, Dr. José Joaquim Seabra, na  Praça Castro, proximidades  do antigo Cine Guarani, naquele  inesquecível  dia  12/12/1942  na    linda Cidade de Salvador, a capital da Bahia,  com destino  ao tradicional  Cemitério do Campo Santo, onde   foi sepultado  o Ilustre e  Notável Baiano. Um dos Ícones da  Política  Baiana  de Todos os Tempos!
FOTO 1913


HISTORIA DO  MUNICÍPIO DE  POJUCA

Quarta, 28 de Agosto de 2013 - 09:20
 Fonte/  BAHIA NOTÍCIAS /SAMUEL CELESTINO.

TSE decide que Dr. Toinho é o novo prefeito de Pojuca

TSE decide que Dr. Toinho é o novo prefeito de Pojuca

Foto: Divulgação

Julgamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, na noite desta terça-feira (27), que o pedetista Antônio Jorge de Aragão Nunes, conhecido como Dr. Toinho, é o novo prefeito do município baiano de Pojuca. Nas eleições de 2012, o político foi escolhido pela maioria da população da cidade, mas seus votos não foram computados porque sua candidatura foi indeferida a pedido da Procuradoria Regional Eleitoral, por abuso de poder econômico e captação ilícita de sufrágio, com base na Lei da Ficha Limpa. Até a decisão final do recurso, Gerusa Laudano (PSD) comandava o município, já que, sem a contagem dos votos do pedetista, a candidata ficou com 92,28% dos votos válidos. “Neste momento, o sentimento é de uma grande responsabilidade nossa. Com toda certeza, eu e minha irmã Cristina vamos dar seguimento à luta que meu avô começou como vereador de Pojuca. Ela, como presidente da Câmara Municipal de Pojuca, e eu na prefeitura”, declarou Dr. Toinho após o resultado da votação.
 Fonte/  BAHIA NOTÍCIAS /SAMUEL CELESTINO.

 NO DIA 24/10/2013 O CITADO PREFEITO  SERA  EMPOSSADO PREFEITO  DO  MUNICÍPIO  DE  POJUCA 2013/16.


Eleições de Intendente e Vereadores de Pojuca

(07/09/1913

     Foi realizada a 1ª eleição para a composição do Poder Legislativo e Executivo do recém criado município de Pojuca, no dia 7/9/1913 no edifício da escola do sexo masculino no município de Catu, eleitorado da 4ª Seção Eleitoral.
     O presidente do Mesário foi Manoel Batista dos Santos, Mesários foram: José Félix de Oliveira Ramos, Raimundo Ferreira de Santana, Pedro Cândido da Trindade, João Gualberto da Silva foi o Secretário.
     Os resultados das eleições foram: para Intendente Carlos Pinto 206 votos. Conselheiros: Manoel Joaquim da Silva 155 votos, Pedro Cândido da Trindade 144 votos, Dr. João Evangelista Paim 142 votos, Raimundo Ferreira de Santana 97 votos, Antonio Thomé de Abreu com 96 votos, José Félix de Oliveira Ramos 91 votos, João Nicodemo de Poltti 41 votos (os  eleitos). Os   Suplentes: Ângelo José Ferreira 35 votos, Manoel Aquilino do Espírito Santo 34 votos, Pacífico Lima com 27 votos, Alexandre Batista Lima 21 votos, Emydio Serafim de Lemo 20 votos, Adalino Simões de Freitas 12 votos, Emygdio da Costa Lidger 8 votos.
     Destes 16 candidatos a Conselheiros Municipais votados, foram eleitos Conselheiros os 7 mais votados.
     Ata da Seção Preparatória para a verificação de Poderes do Conselho da Intendência Municipal da Vila de Pojuca. Às 10:00 hs da manhã do dia 7 de outubro de 1913 na Sala da casa destinada a ser o Paço Municipal, reunidos os Conselheiros Manoel Joaquim da Silva, por ser o mais  votado, escolhido o Presidente do Conselho.
     Para o 1º Secretário, o Conselheiro Pedro Cândido da Trindade (o 2º mais votado), para 2º Secretário o Dr. João Evangelista Paim o 3º mais votado, constituindo a Mesa Interina os Conselheiros entregaram ao Presidente os seus respectivos diplomas.
     Antonio Thomé de Abreu, Manoel Baptista dos Santos, José Félix de Oliveira Ramos, a Junta Apuradora expediu diplomas aos 7 primeiros mais votados, reconhecendo Conselheiros sem contestação.
     Documento extraído dos livros do Cartório de Notas, pelo chefe da Agência Municipal de Estatística de Pojuca, Francelino Improta.
     A Banda de Música do 1º Corpo de Polícia da Capital, tocou o Hino Oficial da República. O coronel Carlos Pinto, Intendente de Pojuca e o vigário Cupertino de Araújo, receberam os convidados, organizaram no melhor estilo as solenidades que iria acontecer dentro de alguns instantes.

Instalação do Termo de Pojuca da Comarca de Mata

     Aos 25 dias deste mês do ano de 1913, presentes na Casa da Câmara Municipal desta Vila, o Dr. Juiz Preparador, Dr. Promotor Público da Comarca de Mata de São João, o Coronel Intendente deste Município, Conselho Municipal e grande número de pessoas gradas, foi aberta a audiência presidida pelo Dr. Juiz Preparador para a instalação do Termo de Pojuca, criada pela Lei nº 979 de 29 de Julho deste ano.
     Em seguida, o Dr. Juiz Preparador, fez a nomeação do escrivão, ad-hos dos Feitos Civis e Criminais, o Cidadão José Gualberto da Silva, que prestou imediatamente o seguinte compromisso legal: Juro ou prometo cumprir e respeitar em Lealdade a Constituição e Leis da República e do Estado, desempenhar com honra as funções a seu cargo e executar com solicitude as determinações de meus superiores legítimos.
     Feito isto, o Dr. Juiz Procurador, depois de dizer algumas palavras salientando a necessidade da boa distribuição da Justiça, declarou instalado o Termo de Pojuca com as formalidades do estilo e marcou as suas audiências para as Terças e Sextas de 01:00  às 02:00 hs da tarde.
     Em firmeza do que eu, José Gualberto da Silva, Escrivão ad-hos, lavrei esta ata na primeira folha do livro de protocolo, que vai assinada pelo Dr. Juiz Preparador e demais pessoas presentes e por mim José Gualberto da Silva, Escrivão ad-hos que a escrivi.
     Cópia da Ata da Instalação do Termo de Pojuca, extraída por Francelino Improta – Chefe da Agencia Municipal de Estatística de Pojuca (ME), 31/8/1957.10331

  HISTÓRICO / POJUCA/BAHIA


Instalação do Município de Pojuca 26/10/1913

     Aconteceu no dia 26/10/1913, a instalação oficial do município de Pojuca desmembrado do vizinho município de Catu, o ato de instalação foi muito festivo, com as presenças de várias autoridades e  do  jornal do Diário da Bahia, assim como de autoridades do município de Pojuca.

Caravana e Autoridades do Estado rumo a Pojuca

     Às 6:00 da manhã do dia 26/10/1913, partiu do Elevador Lacerda com destino a Calçada, o Sr. Governador do Estado Dr. José Joaquim Seabra, chefe de Polícia com as suas famílias, oficial de Gabinete do Governador Seabra, Senadores de  Estado e representantes da Imprensa.
     Todos eles foram em bondes especiais, procedida da Banda Oficial do 1º Corpo de Polícia na Gare (Estação) da Calçada, era esperados pelos Secretários de Estado, comandante do Regimento Oficial, Comandante do Corpo de Polícia, diversos oficiais e outros.
     Ás 7:00 hs da manhã começaram a partida para Pojuca, puxado por locomotivas de 5 classes. Tomaram lugar na de luxo os senhores Exmo. Governador e seus Secretários.
    

Desembargador Thomás Garcez  Paranhos  Montenegro

(em  Camaçari  Homenageia  Seabra)

     Às 9:00 hs em ponto passaram pela Estação de Camaçari, onde lá o Desembargador Thomás Garcez Paranhos Montenegro da sua residência em frente a Estação da Leste, saudou a Comitiva do Governador José Seabra com estrepitoso espocar de foguetes. Uma grande marcha em frente a sua aplausível residência, onde tremulava a Bandeira Nacional.


A Comitiva do Governador Seabra em Mata 1913


 A Comitiva do Governador José Joaquim Seabra que partiu em 5 vagões especiais da Leste Ferroviária, da Estação da Leste, localizada na Calçada, depois de passar pela Estação de Trem de povoação de Camaçari, realizou uma rápida parada na Estação da Vila de Mata, isto no dia 26 de outubro de 1913, pouco mais das 9:45 hs da manhã de domingo, antes de chegar em Pojuca.
Na Vila  de Mata de São João, nessa rápida parada, a Comitiva foi saudada pela massa popular que já aguardava o Governador da Bahia, o Sr. José Joaquim Seabra e sua Comitiva.
Estudantes primários das Escolas Municipais e Estaduais e o povo, aplaudiram a Comitiva do Governador, prestando-lhes homenagens e muita queima de fogos nos céus da Vila de Mata de São João.
A Escola Municipal com a sua classe discente, comandada pela regente Maria do Carmo Castro Lima, saudaram o Governador Seabra, tendo a professora Maria do Carmo entregado ao Dr. José Joaquim Seabra um lindo ramalhete de flores naturais.
     Pela Escola Estadual, a menina Almerinda Simões Sales também saudou o Governador Seabra entregando-lhe um lindo buquê de flores naturais, recebendo o abraço carinhoso do Dr. José Seabra.

A Professora Alcina Guerner, era a regente da Escola Estadual na Vila de Mata de São João. Alcina também saudou o Governador Seabra com uma grande massa do povo concentrada na Estação de Trem, assim como no  largo situado em frente da Estação de  Trem, aplaudiam a Comitiva e o Presidente do Conselho Municipal da Vila de Mata, recepcionou a Comitiva do Governador, assim como o Intendente da Vila,  que se incorporou a Comitiva rumo a Pojuca.

Também o Bacharel Guilherme Meireles Viana que já foi Promotor Público na Vila, cumprimentou o Governador Seabra e junto com outros matenses, incorporaram a Comitiva.  Dr.  Guilherme irmão  de Luis  Meireles  Viana,  este  casado  com  a  irmã   de José  Seabra, Dona   Leopoldina   Seabra  Viana.  
Dr. Guilherme. irmão de  Joana Amélia Meireles  Viana, esposa  do  médico político  matense,  Dr. Antonio Rodrigues Teixeira (estes  trisavôs materno de  Gamaliel Chagas/Chiquitinha Maravilha, Dr. Antonio   1º Intendente  da Vila de  Mata de São João/1890,  da era republicana).

O Comboio de Trem partiu da Estação de Trem rumo a Vila de Pojuca, depois de um rápida parada. Dezenas de girândolas e foguetes espocaram nos céus da Vila de Mata de São João que vivia minutos históricos com a nobre Comitiva do Governador Seabra, que ia instalar a Vila de Pojuca naquele domingo, dia 26/10/1913.

A Estação onde o comboio da Comitiva de Seabra parou, não foi a Estação atual, esta foi edificada na década de 1940, na Superintendência de Lauro de Freitas. A Estação citada é a situada perto da Casa Residência do Fazendeiro José de Oliveira Regis (já falecido e não pertencente à família). Esta Estação está em ruínas e precisa ser restaurada. Ao seu lado existe uma caixa d’água edificada na década de 1940, junto com a nova Estação de Trem.

A Chegada em Pojuca da Comitiva

     Às 10:28 hs chegou a Comitiva na Estação de Trem de Pojuca onde diversas famílias, autoridades e pessoas outras, sendo delirantemente ovacionada a Comitiva do Governador Seabra.
     As Filarmônicas Euterpe Siciliana, Euterpe Alagoinhense que foram a passeio de recreio para abrilhantarem os festejos da instalação da Vila de Pojuca. As Filarmônicas de Pojuca, Recreio Jovial e Amantes da Lira de Pojuca estavam presentes na Festa Política.
     Foram oferecidas lindas palmas de flores naturais, fitas de seda branca com as devidas inscrições: Ao Benemérito Governador oferece agradecido  o município de Pojuca
     Ao coronel Carlos Pinto foi entregue uma Palma com os dizeres: Ao querido Intendente Cel. Carlos Pinto, pleito de gratidão do povo de Pojuca. Aos presentes foram servidos taças de champanhe  e vários brindes.
     Na Vila de Pojuca, grande entusiasmo geral. Vários folguedos populares, queima de fogos e foguetes, muita música sendo executada na Vila.
     A Banda  de  Música do  1º  Corpo  de  polícia  da  capital  tocou  0  Hino  Oficial  da  República,.  O  Coronel  Carlos  Pinto, Intendente  de  Pojuca  e  o  vigário  Cupertino  de  Araujo, receberam   os  convidados, organizaram  no  melhor  estilo  as  solenidades  que  iria  acontecer   dentro  de  alguns   instantes.


Conselheiros e o Intendente da Vila de Pojuca

     A instalação oficial da Vila de Pojuca teve os seguintes membros empossados pelo Governador José Seabra: Intendente, o Coronel Carlos Pinto (era também deputado estadual),  Conselheiros João Evangelista Paiva, Major Manoel Joaquim da Silva, Capitão Cândido da Trindade, Capitão Manoel Batista dos Santos, Capitão Thomé de Abreu e Capitão Raimundo Ferreira de Santana.

FAMÍLIA  BATISTA   DOS  SANTOS

Capitão Manoel Batista  dos Santos, avô de  Nívea Batista  dos Santos, esta   casada com   Jorge   Abreu   Guimarães,  pais   dentre outros filhos  de    Marcia   Guimarães, Jorge Luiz, Núbia Guimarães.  Jorge Guimarães filho do industrial e fazendeiro  Priscílio   Abreu  Guimarães,   que foi proprietário  do Laticinio (ou Usina)  de  Leite e derivados,  na cidade de Mata de São João/Ba.   da década de 1940 a  década de 1960.
Conselheiro Manoel Batista dos Santos  inaugurou a  primeira Padaria  e  primeiro Cinema    no atual município de Pojuca e colocou a Luz elétrica a  Motor.

Foto  da  Família Batista dos Santos  na  cidade de  Pojuca, Antonio  Batista  dos Santos, filho  do Capitão Manoel Batista dos Santos,  este, um dos  cincos  Conselheiros Municipais (Vereador) eleitos para o Poder  Legislativo  de  Pojuca  no dia 29/07/1913 e que foram empossados  pelo Governador  da Bahia,  José Joaquim  Seabra no dia 26/10/1913.   Antonio  Batista dos Santos   foi  Prefeito Interino  do  município  de Pojuca   no  ano de  1967. 
Antonio  Batista dos Santos pai dentre outros  filhos  de Nivea Batista dos Santos, casada com Jorge   Guimarães,  pais de  Marcia Guimarães,  Jorge Luiz  e  Núbia. Jorge   Guimarães, um dos  filhos de Priscílio  Abreu Guimarães,   fazendeiro   e industrial na  cidade  de Mata de São João,  dono do Laticínio  de  Leite e  derivados   da década  de 1940  a década de  1960.  
Conselheiro   Capitão Manoel  Batista  dos Santos, casado com Hermelinda Nogueira Batista, avô de Nivea e bisavô materno de Marcia, Jorge Luiz e Núbia. Foto arquivo de Gilka Batista, em pé da esquerda p/ direita: Antonio Matheus do Amaral Leal (o 1º), Antonio Batista dos Santos (o 2º)... meninas trajando roupas de Comunhão.

Pojuca Toda Engalanada, era Só Festas!

A Vila de Pojuca estava toda engalanada, recepcionando os procederes da política estadual da Bahia. As ruas, avenidas e praças com a sua simpática população saindo às ruas sorridentes naquele dia histórico com a instalação oficial da Vila de Pojuca, emancipada no dia 29 de julho de 1913.
Faixas, cartazes com dizeres alusivos a data da instalação da Vila de Pojuca, assim como faixas alusivas aos políticos do estado do município de Pojuca.


Banquete na Residência do Intendente

     A Comitiva do Governador José Seabra, seguiu para a residência do Intendente, Coronel Carlos Pinto que recepcionou toda Comitiva do Governador Seabra com um histórico Banquete.
     Esse banquete tinha o seguinte cardápio que foi servido  precisamente às 11:20 hs: Salmon, rosbife, estrogonofe, maionese, brochete, vários tipos de champanhes, sobremesas, sorvetes, café, licor e água mineral importada de outros estados: São Lourenço, Corcovado e outras marcas


A Missa na Matriz de Pojuca


 Às 13:20 hs realizou-se a Missa na Matriz, sendo Missa de Ação e Graça. Com presenças das autoridades pojucanas e da Comitiva do Governador José Joaquim Seabra, estando a Matriz toda ornamentada.
Padre Reverendíssimo João Martes nos ofícios da Missa, servindo como diácono, padre Cupertino Araújo, vigário de Catu, subdiácono, padre Manoel Tibúcio, vigário de São Sebastião do Passé. Ocupou o púbito o padre Osório, ex-Capelão  do famoso Hospital Português de Salvador, que produziu um belo sermão.

Sessão Magna de Instalação da Vila de Pojuca

 Às 14:00 hs instalou-se a Sessão Magna, onde foram empossados, Intendente e os Conselheiros da Vila de Pojuca, sendo o ato presidido pelo Governador José Seabra. Os Sr. Carlos Pinto, Engº João Paiva usaram da palavra, discursando, encerrando a solenidade o Governador José Seabra que produziu vibrante discurso, sendo aplaudidos por todos os presentes.

Comitiva Recepcionada no Edifício da Prefeitura

Depois de fazendo um rápido lanche na Casa do Deputado Carlos Pinto  (eleito Intendente de Pojuca), a Comitiva seguiu para as dependências  do prédio da Prefeitura de Pojuca, que se situava perto da residência do Sr. Carlos Pinto.

O Salão Nobre da Prefeitura estava todo engalanado, tendo uma grandiosa Mesa no formato em U, onde todos os convidados sentaram-se para o banquete, oferecido pela Prefeitura Municipal, tendo o Exmo. Dr. José Joaquim  Seabra tomado assento ao lado do 1º secretário Geral do Estado, Arlindo Fragoso, José Álvaro (Chefe da briosa Polícia da Capital). O Cel. Carlos Pinto Intendente de Pojuca e mais as seguintes pessoas.

Dr. Anísio Circundes de Carvalho, Dr. Jerônimo Gonçalves, Dr. César Cabral, Cel. Frederico Costa, Dr. João Martins, Dr. Pedro Arlindo, Dr. Pereira Morais, Dr. Agnelo Dourado, José Furtado de Oliveira, Cel. Joaquim Esmeraldo Jesuino de Oliveira, Santos Moreira pelo Sacro de Gado, Arthur Ferreira pela Gazeta de Notícias, Arthur Silva Filho, Dr. Manoel Durval, Dr. Francisco Borges, Dr. Vitorino Morais, Cirurgião Dentista, Carlos Seabra, Aloísio e Carvalho.

    
E mais  ainda: Cel. Pedro Ataide, Cel. Costa Lopes, Intendente Mata de São João, Guilherme Meireles Viana, Bacharel, político em Mata de São João, Dr. Arquimede Pessoa, Dr. Pedro Celestino,  Eduardo Lopes, Engº Francisco Becker, Adolfo Gonzales, J. Batista de Melo Filho, Dr. Américo Alves, Cel. Bernado Dias Lima, o Major João Farias, Paulo Bispo, Capitão Justiniano do Bonfim, Major Néri de Freitas, Alferes Antonio Maia.
     
Também presentes: Cel. Luiz Marques, Capitão Miguel Chaves, o Capitão Borges de Barros, Capitão Otávio Sarmento (amigo da Mata de São João), Justo Sabino,  Francisco Bernado Martins, Capitão Aloino Cerqueira, Aroldino Cardoso, Cel. João José , Miguel Paraense, este do Jornal Gazeta de Notícias.
     
Foram tocados os musicais: Viúva Alegre, Sonho de Valsa, Conde de Luxemburgo, dentre outras músicas. Um cardápio selecionado foi servido: Salmon, Roast beef, maioneses, Carmard, dindon, jarbond’Yor d’York, Vol-ou-vent, água mineral (São Lourenço Corcovado, etc).

Sobremesas: doces, sorvetes, café, licor, etc. O horário do Almoço no Salão Nobre da  Prefeitura Municipal de Pojuca, foi a partir das 11:30 hs, depois foi a sequencia a Missa na Matriz, no dia 26/10, dia consagrado em louvor do Sagrado Coração de Jesus e foi por isso escolhido essa data, para a Instalação da Vila de Pojuca. A Missa Solene foi às 13:20 e depois a Sessão Magna da Instalação da Vila, sendo empossado Intendente e Conselheiros Municipais de Pojuca.    
  A cerimônia de Instalação da Vila de Pojuca, ocorreu às 14 hs, no salão da Prefeitura Municipal.


A Comitiva Retorna a Salvador

A Comitiva, às 15:00 hs, foi para a Estação de Trem e com os acordes de várias músicas e o espocar dos foguetes, os vagões da Leste partiram da Estação de Pojuca com destino a Estação da Calçada em Salvador, onde a Comitiva chegou depois de uma agradável viagem com cerca de 3 horas de duração.
     Na Pojuca continuaram os festejos até altas horas da noite.Vários   jornais   de  Salvador   foram  a  Vila    de  Pojuca   para   a  festa   da  Instalação  da   citada   Vila. 


 INTENDENTE  E  CONSELHEIROS 1923/27

No ano  de  1923 era  Intendente  da  Vila  de Pojuca o Major Virginio de Oliveira Lima, sendo os  sete  Conselheiros Municipais os Srs. Coronel Carlos  Pinto, o Presidente, Capitão Pedro Candido da  Trindade, este o  vice-presidente,  Capitão   Raimundo Ferreira de Santana, , 1º Secretario o Capitão Bartolomeu Souza, 2º Secretario Antonio Thomé  de Abreu, José  de Azevedo Lima e José Felix de Oliveira Ramos.

Fonte/ Diário Oficial Edição Especial  do centenário da  Independência da  Bahia, edição  de  02/07/1923,páginas 560.



PREFEITOS DE  POJUCA

 Ex-prefeitos
Nome
Período
Condição
Carlos Pinto
1913
Eleito pelo Conselho Municipal
Raimundo Sant'Ana
1923/1927
Eleito pelo Conselho Municipal
Pedro Cândido da Trindade
1928-1929
Eleito pelo Conselho Municipal
Raimundo Sant´ana
1930
Eleito pelo Conselho Municipal
Pacífico de Azevedo Lima
1930-1931
Nomeado p/ interventor federal
Dr. Elsior Coutinho
1931-1935
Nomeado p/ interventor federal
João da Costa Libório
1937-1938
Nomeado p/ interventor federal
João Alfredo Leite
1938-1939
Nomeado p/ interventor federal
Hunaldo de Lima Oliveira
1940-1941
Nomeado p/ interventor federal
Nilson Federal Coelho
1941-1943
Nomeado p/ interventor federal
Antônio Mota
1943-1945
Nomeado p/ interventor federal
José Martins Valverde
1945-1946
Eleito pelo povo
João Alfredo Leite
1946-1948
Eleito pelo povo
Antônio Mota
1948-1950
Eleito pelo povo
Antônio Paes Leal
1950-1954
Eleito pelo povo
Flaviano de Souza Bomfim
1954-1955
Eleito pelo povo
Percílio dos Santos
1955-1959
Eleito pelo povo
José Gonçalves Cruz Filho
1959-1963
Eleito pelo povo
Percílio dos Santos
1963-1967
Eleito pelo povo
José Gonçalves Cruz Filho
1967
Eleito pelo povo
José Vardes
1967
Interino
Antônio Baptista dos Santos
1967
Interino
Fernando Ferreira da Silva
1968
Interino
Walter de Almeida Mansur
1970-1973
Eleito pelo povo
José Vardes de Souza
1973-1975
Eleito pelo povo
Walter de Almeida Mansur
1976
Eleito pelo povo
Maria Luiza Dias Laudano
1977-1983
Eleita pelo povo
Luiz Alfredo Leite
1984-1988
Eleito pelo povo
Eudes José Argolo Guimarães
1989-1992
Eleito pelo povo
Luiz Alfredo Leite
1993-1996
Eleito pelo povo
Maria Luiza Dias Laudano
1997-2000
Eleita pelo povo
Maria Luiza Dias Laudano
2000-2004
Eleita pelo povo
Antônio Jorge de Aragão Nunes
2005-2006
Eleito pelo povo
Carlos Eduardo Bastos Leite
2006-2008
Decisão Judicial
Gerusa Laudano
2008-2012
Eleito pelo povo



PREFEITOS - 2013
Ana Cristina Nunes Moreira2013
Decisão Judicial
Antônio Jorge de Aragão Nunes2013- Eleito pelo povo



Pojuca (1/2)
Pojuca é um município brasileiro do estado da Bahia, localizada na Região Metropolitana de Salvador.
Município de Pojuca
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida
Fundação
Cidade Modelo
Gerusa Dias Laudano
(2009 - 2012)


Localização
Localização de Pojuca
12° 25' 51" S 38° 19' 40" O12° 25' 51" S 38° 19' 40" O
Catu IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes
Distância até a capital
67 km
Características geográficas
290,1172km²
33. 066 hab. IBGE/2010
Estimada em 2013 36.551

113,97 hab./km²
61.368 m
Tropical Atlântico
Indicadores
0,708 médio PNUD/2000 
R$ 946.714.114 mil IBGE/2005 
R$ 33.211,00 IBGE/2005
Código do Município 2925204 




1. História
Com a chegada de Tomé de Sousa, em 1549, pisou as terras incultas da Bahia o intrépido bandeirante Garcia D´Ávila, estabelecendo-se nas terras onde está situado o atual município de Pojuca e partiu para o desenvolvimento de densa floresta; contribuindo para o povoamento da região, posteriormente, introduziu-se Mata de São João, onde se edificou o castelo da torre. Data de 1612 o movimento colonizador, verificando nas terras marginais dos rios Pojuca, Jacuípe e Joanes, que se atraíram pela sua fertilidade, diversos colonos, os quais ali se fixaram, fazendo erguer-se das matas incultas, pequenas comunidades.
A primeira povoação surgida no território do atual município data de 1684, quando se fixaram às margens do Rio Pojuca, onde está situada a cidade do mesmo, as famílias Freire de Carvalho, Veloso e Saraiva, que fizeram construir moradias e engenhos, atraindo para o desenvolvimento da nascente diversos colonos.

Com o decorrer do tempo, foram surgindo as primeiras casas e as principais ruas, conhecendo a povoação apreciável progresso, uma conseqüência lógica do seu aumento populacional.
O Distrito criado pela Lei Municipal de 5 de setembro de 1892, figura na divisão administrativa do Brasil, relativa a 1011 com o componente do município Sant'Ana do Catu.
Em virtude da Lei Estadual N° 979 de 29 de julho de 1913, criou-se o município de Pojuca, com o território desmembrado de Sant ´Ana do Catu (atual Catu), começando a chamar-se assim a partir de 26 de outubro de 1913.

Na divisão administrativa do Brasil, concernente a 1933, o município de Pojuca apresenta-se subdividido em dois distritos, o da sede e o do Miranga, mantendo-se essa formação distrital nas divisões territoriais datadas de 31 de dezembro de 1937, como também no quadro anexo de decreto Lei N° 10724 de 30 de março de 1939.


POJUCA SIGNIFICA

O termo Pojuca, segundo Teodoro Sampaio, é corrutela de iapó-iuca, que significa o pântano, o estagnado, o podre; para os naturais é usado o gentílico “pojuquense” ou “pojucano”.
O rio Pojuca banha todo o município de oeste para leste, num percurso de 60Km aproximadamente e a cidade encontra-se edificada a sua margem esquerda, originando-se daí o seu topônimo.
2. Geografia
Fica situada a 76,1 km (1h e 12 minutos - BR 324 e BR 110 e 1h e 33 minutos - BR 324) da capital baiana, na Região Metropolitana de Salvador. Suas principais rodovias de acesso são: BA-093, BA-504 e BA-507.
Sua temperatura média é de 24.7°C bastante confortável principalmente em dias de verão.
As atividades econômicas do município são bastante diversificadas: Agricultura, pecuária, extração de petróleo e gás natural, indústrias, comércios e serviços.

POPULAÇÃO E SUPERFÍCIE

População: Estimada em 1 de julho de 2005 - 28.506 habitantes.
Superfície: A área do município é de 318 km²
Localização: Está localizada na zona Norte da Região Metropolitana de Salvador, a 76,1 km da capital ligada por rodovias asfaltadas.

Acidentes geográficos: O município é pouco acidentado, apresentando pequenas elevações ao oeste. Os principais acidentes geográficos são os rios Pojuca, Catu e Quiricó.
Clima: É temperado com variações bruscas. Não há posto meteorológico no município. A temperatura média é de 24.7°C, bastante confortável principalmente nos dias de verão.

Limites:

Ao norte: Catu e Araçás.
Ao sul: Mata de São João
A leste: Itanagra
A oeste: São Sebastião do Passé

Com o município de Catu - começa no rio Pojuca, na foz do rio Una, por este acima até a foz do riacho Muritiba, pelo qual sobe até sua nascente; daí em reta até a nascente do riacho Caboclo, de onde prossegue em reta até o lugar sapé, à margem do rio Catu, daí ainda em reta até o marco divisório entre as fazendas Angola e Camaçari, à margem do riacho Gameleira, pelo qual desce até sua foz no Quiricozinho, por este acima até a foz do riacho Fortuna.
Com o município de Araçás - começa na foz do riacho Fortuna, no rio Quiricozinho, daí em reta à foz do riacho Cancelão, no rio Quiricó Grande.
Com o município de Itanagra - começa na foz do riacho Cancelão, no rio Quiricó Grande, até a sua foz no rio Pojuca.

Com o município de Mata de São João - começa na foz do rio Quiricó Grande, no rio Pojuca, desce pelo rio Pojuca até a ponte da Estrada de Ferro sobre o mesmo rio.
Com o município de São Sebastião do Passé - começa no cruzamento da Estrada de Ferro sobre o rio Pojuca, na frente da cidade do mesmo nome, subindo o rio Pojuca até a foz do rio Una.
Densidade demográfica: 93.53 Hab/km²
Altitude: 61.368m
Relevo: planície
Vegetação: matas perenes no centro como semidecíduas.
Clima: tropical úmido

O território do município é banhado por diversos rios de onde provém a fertilidade de suas terras. A zona central é regada de norte a sul pelos rios Catu e Quiricozinho. Os seus extremos de oeste, leste e sul, pelos rios Una, Quiricó Grande e Pojuca, estabelecendo linhas divisórias com os municípios vizinhos. Não há um só rio navegável. A época de maior intensidade das chuvas é a do inverno, embora se verifiquem chuvas também durante o verão. São raríssimas as secas e estiagens. O rio Pojuca, quando no período de inverno, enche, causando prejuízos à lavoura. O clima é temperado com variações bruscas. Sob o ponto de vista agrológico, predominam as terras arenosas e argilo-silicosas, existindo, entretanto cerca de 30% da sua área total de terras humíferas. Quanto à cor das terras mais características do município, é a amarela, notando-se certa quantidade avermelhada e escura. Dois terços, aproximadamente, da área total são acidentados e situados a oeste, embora não tenha montanhas ou picos que se possa mencionar.

3. Aspectos urbanos

A cidade está situada à margem do rio Pojuca. É servida pela ferrovia Companhia Atlântico Leste (ex-Companhia Férrea Federal Leste Brasileiro), cujas linhas a dividem no meio. A principal artéria é a rua J.J Seabra onde estão localizadas as melhores casas comerciais e as duas agências bancárias. Na Praça Antônio Carlos Magalhães, a principal da cidade, estão localizados o prédio da Câmara Municipal, o Fórum Desembargador Walter Nogueira, a Biblioteca Municipal, a sede da Filarmônica São José, o clube social, uma escola, estabelecimentos comerciais e residenciais. Na praça Almirante Vasconcelos estão situados o prédio da Prefeitura Municipal, o Centro Assistencial Antônio Balbino (Posto Médico), o prédio da EMBASA, o Colégio Estadual Luiz Eduardo Magalhães, a Escola Conselheiro Saraiva e várias residências. O bairro Inocoop também merece destaque pelo número de residências e que também situa o batalhão da polícia militar e a delegacia de polícia.

4. Subdivisões

Além da sede, o município conta com o distrito de Miranga, as localidades de Central e Retiro e os povoados de Riachão, Cabíola, Riacho do Meio, Coqueiro, Sapé, Sapucaia, Patins, Brejões, Lagoa Verde, Corujão (Paraíso), Garoupa, Araponga, Jenipapo, Riacho das Pedras, Arauari, Pipiri, Pacas, Santiago e Pedrinhas.

4. 1. Praças

Nome Localização Praça 29 de julho Rua 29 de julho, Centro Praça Juracy Magalhães Bairro Cruzeiro Praça Guilherme Nonato Rua Alfredo Leite - Bairro Shangri-lá Praça Lauro de Freitas Rua Alfredo Leite - Bairro Shangri-lá Praça Rui Barbosa Bairro Centro Praça da Bandeira Bairro Centro Praça Edna Couto Bairro Inocoop Praça Almir Guimarães Bairro Cruzeiro Praça Celso Cunha Sérgio Bairro Central Praça Antônio Carlos Magalhães Bairro Centro Praça Almirante Vasconcelos Bairro Centro Praça Mário Improta Bairro Inocoop Praça Hélio Cruz Bairro Centro

5. Aspectos sociais

A sede do município é servida de energia elétrica, abastecimento de água, agência da EBCT e telefonia. Possui clube social, estádio e várias áreas de lazer.
A assistência médica oficial é prestada pelo Hospital Maternidade Maria Luiza dias Laudano, Conjunto Assistencial Governador Antônio Balbino, Posto Médico do Estado, Posto Médico de Central, Posto Médico do Retiro e Unidade Móvel de Saúde, dotada de consultório médico e odontológico que atende principalmente à população da zona rural. A sede possui clínicas, consultórios médicos e odontológicos particulares.
O município é sede da Paróquia de Nosso Senhor Bom Jesus da Passagem (fundada em 12 de dezembro de 1904), com oito templos. Praticam-se também os cultos evangélicos, ecumênicos e espíritas. Nele está situada a sede da 32ª Companhia Independente da Polícia Militar do Estado da Bahia com jurisdição nos municípios de Catu, Itanagra e Mata de São João.

PRIMEIRO INTENDENTE

Seu primeiro intendente municipal foi o Sr. Carlos Pinto, eleito com 206 votos, no pleito realizado no dia 7 de setembro de 1913. O Conselho Municipal também eleito naquela ocasião ficou composto dos seguintes membros: Manoel Joaquim da Silva, Pedro Cândido da Trindade, Dr. João Evangelista Paim, Raimundo Ferreira de Santana, Antônio José de Abreu, José Félix de Oliveira Ramos e João Nicodemo Poltti.

6. Economia
6. 1. Recursos energéticos

petróleo e o gás natural são as riquezas de maior evidência. Em 1956 foram produzidos 462.168 barris de petróleo e 1.132.782 barris, no primeiro semestre de 1957. Pojuca é um dos municípios que mais produz petróleo, na região do recôncavo baiano, e já foi o maior, recebendo o título de Rainha do Petróleo. Seu solo generoso é o celeiro de óleo na Bahia, tanto assim que a Petrobrás instalou no fim de 1962, no povoado de Santiago, a Unidade de Absorção de Planta de Gasolina Natural. Nesta unidade, o gás é submetido a um processo mecânico de limpeza, pelos depuradores (SCRUBBERS) e, em seguida, desidratado por contato, em determinadas condições de pressão de temperatura, com etileno glicol. Esse etileno é recuperado por liberação de água em forma de vapor, voltando ao processo para tratar novo volume de gás. Após ser desidratado, o gás passa através da torre de absorção em contra corrente a um fluxo de óleo de absorção ou óleo podre. Este óleo absorve as frações pesadas de gás e é retirado pela base da torre e conduzido para a torre reabsorvidora-desetanizadora onde, por aquecimento, são eliminados o metano e o etano que constituem o gás residual. Em seguida, o óleo rico vai para a torre retificadora para liberar as frações absorvidas do gás. Tendo perdido as frações absorvidas, o óleo volta à sua condição inicial e retorna à torre de absorção, após ser resfriado a 23°C, para novo ciclo.

6. 2. Atividades econômicas

As atividades econômicas do município são agricultura, pecuária, comércio, extração de petróleo e gás natural, indústrias, principalmente de minérios, comércio e serviços. As atividades que mais geram ICMS (Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços), segundo dados da Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia são: extração e tratamento de minerais, indústria de minerais não metálicos, metalúrgica, indústria de espumas, colchões e estofados, mecânica, agricultura e criação de animais, serviços de transportes, serviços comerciais, comércio atacadista, comércio varejista.
Há também indústrias de cerâmica, alimentos, artefatos de cimento e farinha de mandioca. Três grandes empreendimentos contribuíram para a emancipação econômica do município: o oleoduto que liga campos petrolíferos à Refinaria de Mataripe, a Estação Transformadora para fornecimento de luz e força da CHESF e a rodovia asfáltica que liga Pojuca à capital do Estado e outros centros.
Na pecuária, destacam-se os rebanhos de bovinos, eqüinos e suínos.

6. 3. Parque industrial

Construído numa área de mais de 58 hectares de terras o PIP já está abrigando importantes empreendimentos gerando emprego e renda para o município.
Pojuca está localizado de forma centralizada, portanto e considerada cidade entroncamento pela viabilidade com os municípios de Simões Filho, Camaçari, Dias Dávila, Catú, Alagoinhas, Itanagra, Araçás, Mata de São João, São Sebastião do Passe, Esplanada, Entre Rios e Rio Real. O Parque Industrial de Pojuca conta com os acessos pela BA 093 e BA 533 e reserva a potencialidade de estar a apenas 32 km do Pólo Petroquímico de Camaçari e a 38 km do Porto de Aratu em Candeias reconhecido nacionalmente por sua tecnologia de automação.
O PIP fica na região de Santiago a 02 km do centro de Pojuca e conta com excelentes serviços de infra-estrutura:
Energia - A oferta de energia e bem variada com a subestação da CHESF com 230 KVA e serviços da Cia de Eletricidade da Bahia COELBA.
Rede Ferroviária - Passa a 01 km de distância do PIP.
Bombeiros - Sua estrutura é fornecida pelo corpo de bombeiros da Petrobrás.
Comunicação - Ampla rede de atendimento fornecido por companhias de telefonia fixa e móvel com serviços de internet e também canais de TV, emissoras de rádio e sistemas de fibra óptica.
Incentivos fiscais - Atrativos como os incentivos fiscais e tributários instituídos pelo Governo do Estado constantes no Decreto 4.316 de 19 de junho de 1995 os quais concedem benefícios fiscais a indústrias que se estabelecerem no estado bem como os incentivos oferecidos pelo município com serviços de infra-estrutura nas áreas habilitadas a receberem obras de terraplanagem, drenagens, esgotamentos sanitários, distribuição de água por poços perfurados, pavimentação de ruas e muitos outros benefícios.
Vale destacar a ampla oferta de mão-de-obra especializada, facilitando a composição do quadro funcional da empresa.

O Parque Industrial de Pojuca é uma realidade com 03 grandes empresas:
Minuano - Beneficiadora de couros para produção de estofados.
Italsofá - Importante fábrica de estofados italiana chegou a Pojuca para acelerar sua produção de exportação, atendendo principalmente o mercado europeu. Sua filial em Pojuca conta com uma mega estrutura empregando cerca de mil funcionários que em grande maioria são moradores do município.
Chanceller/White Martins Lavanderia - Prestadora de serviços de lavanderia hospitalar já atende inúmeros hospitais. Sua técnica de lavagem por ozônio e bastante conhecida no Brasil em suas 06 unidades instaladas. Pojuca foi escolhida para instalação de mais uma unidade devido as excelentes condições que o município oferece as empresas no seu parque industrial e hoje emprega mais de 200 (a maioria mulheres).



Estádio Luiz Viana Filho
Nome
Estádio Luiz Viana Filho
Local
Construção
Não disponível
Inauguração
8 de novembro de 1970 (39 anos)
Proprietário
Não disponível
Equipes mandantes
Não disponível
Números
Capacidade
3.500 espectadores[1]
Histórico

Primeira partida

Seleção de Pojuca 1x1 Ypiranga

Primeiro gol

Não disponível

O Estádio Luiz Viana Filho localiza-se no município de Pojuca, no estado da Bahia e possui capacidade para 3.500 espectadores.[1] Foi inaugurado no dia 8 de novembro de 1970, com a partida amistosa entre a Seleção de Pojuca e o Ypiranga de Salvador, a qual terminou empatada em 1 a 1.


 FONTES / Wikipédia /IBGE JORNAIS  DE SALVADOR  NO ANO  DE 1913, Diário Oficial Edição Especial  do centenário da  Independência da  Bahia, edição  de  02/07/1923,páginas 560.Revista  dos  Municípios de   Cova.



FONTES / Wikipédia /IBGE JORNAIS  DE SALVADOR  NO ANO  DE 1913, 



FOTOS DA  CIDADE  DE  POJUCA DIA 23/10/2013 P/MANHÃ E TARDE




FOTOS  CHIQUITINHA MARAVILHA



                     POSTANDO MAIS DE 260 E 2 VIDEOS  DOCUMENTARAM

                         FOTOS   E VIDEOS  /CHIQUITINHA MARAVILHA 23/10/2013

                                            Paisagismo  no entorno do lendário  Rio Pojuca/Ba.
   
    ESTUDANTES DA  REDE MUNICIPAL -  O FUTURO  DA  JUVENTUDE   O MUNICÍPIO  DE POJUCA
            POSTANDO FOTOS/VIDEOS E BREVIÁRIO HISTÓRICO  DO MUNICÍPIO DE  POJUCA

                 Edificio  do Poder  Executivo de  Pojuca, edificado no  de 1922/23
                                     Edifício  do Poder Legislativo do Município de  Pojuca
 Elivan Jose  Lima, 61  anos, morador  na  rua  29 de julho (Pojuca), aos  6 meses veio residir na  cidade de Pojuca no inicio  da década  de  1950 herói da  tragedia  de  1983, quando    socorrendo  as  vitimas da explosão de  wagoes  do Trem da  Leste  em 1983,  houve vitimas  na  famosa  tragedia do trem da  Leste  na cidade  de Pojuca, destaque  nos  veículos  de  comunicações  da  Bahia e  do  Brasil. Ver  Vídeo relatando a  citada  tragedia   do ano  de 1983  (daqui ha  pouco)
               Elivan  Jose  de Lima e  sua  esposa  Sonia torcedores  da   Esporte  Clube  Bahia
  A monumental Praça  Senador Antonio  Carlos Magalhães (ACM)  na  Cidade  de Pojuca/Ba.  Senador Antonio  Carlos Magalhães (ACM)  na  Cidade  de Pojuca/Ba. Senador Antonio  Carlos Magalhães (ACM)  na  Cidade  de Pojuca/Ba.

                                                      Estudantes da  cidade  de  Pojuca/Bahia
                                                                               Estacão  de trem de Trem
                                                 A  cidade de Pojuca numa crescente  notável,  

Abaixo  Praca  29 de  Julho 

FOTOS DA  CIDADE  DE  POJUCA DIA 23/10/2013 P/MANHÃ E TARDE

FOTOS  CHIQUITINHA MARAVILHA

                                          ACESSO AO ENTRONCAMENTO DE POJUCA  NA BA 093
      O lendário  Rio  Pojuca que  originou a  povoação pelos  colonizadores   que  habitaram no inicio do Seculo XVII as  terras   margeando o  citado  RIO,  cujo o toponömio   Pojuca originou o nome do atual  município -cujo   significado  do  termo Pojuca, segundo Teodoro Sampaio, é corrutela de iapó-iuca, que significa o pântano, o estagnado, o podre; para os naturais é usado o gentílico “pojuquense” ou “pojucano”. 
Rua Vanderlino  Nogueira


PARABÉNS  POJUCA 100  NOS DA INSTALAÇÃO DA  VILA 26/12/1913 - 26/10/2013!


                     POSTANDO MAIS DE 100 E 2 VIDEOS  DOCUMENTARAM

                         FOTOS   E VIDEOS  /CHIQUITINHA MARAVILHA 23/10/2013
                                            Paissagsimo  no entorno do lendário  Rio Pojuca/Ba.
   
    ESTUDANTES DA  REDE MUNICIPAL -  O FUTURO  DA  JUVENTUDE   O MUNICÍPIO  DE POJUCA
           
                               Travessa  Juracy Magalháes
                        Cemiterio primitivo perto  do Terminal Rodoviario
                                                          Otica  Luisa
                           Centro  de Abastecimento de Pojuca
                                                 Terminal Rodoviario
                            Centro de Abastecimento  de Pojuca





 Estrada  de Ferro Bahia ao s. Francisco trecho da  Estação  da Leste a  Estação da  povoação  de Pitanga/Mata  de S. João foi inaugurado oficialmente  em 1863, nesse  período  a  Estação  de Pojuca (foto acima)  já estava   edificada.
                                     ESTAÇÃO DA  LESTE  FERROVIÁRIA
                                               Praça Rui Barbosa
                                     Casarão em  estilo gótico

                                          PRAÇA RUI BARBOSA
 Rua  José   Joaquim Seabra um dos Benemérito da  município de Pojuca, no seu governo /1912/16, foi Pojuca  elevado a  condição  de Vila, sendo instalado a  citada Vila  por José  Joaquim Seabra  em 26/10/1913, completando  no dia  26/10/2013 100  Anos  da instalação  do atual  município.





                                                        Torre  do Sino
      O majestoso  edifício da Matriz  de BOM JESUS DA PASSAGEM -                                                PADROEIRO DE POJUCA/BA. 
   Placa Cmemorativa  a reconstrução do Edificio da  Matriz/02/05/1976 


           PRAÇA e RUA 29  de  JULHO, BERÇÁRIO DA 


           POVOAÇÃO  PRIMITIVA PRIMITIVA DE POJUCA

                             Dia 29/07/2004  foi reinauguração da  Praça  Senador ACM
                                         A MAJESTOSA PRAÇA ACM/POJUCA/BA.







   POSTANDO MAIS  LINDAS FOTOS..........

SITE Hyundai
E. F. Bahia ao São Francisco (1861-1911)
Cia. Chemins de Fer Federaux du L'Est Brésilien (1911-1935)
V. F. F. Leste Brasileiro (1935-1975)
RFFSA (1975-1996)
POJUCA
Município de Pojuca, BA
Linha tronco - km 81,131 (1960)BA-2571
Inauguração: 04.08.1862
Uso atual: fechadacom trilhos
Data de construção do prédio atual: anos 1940

HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco da Viação Ferrea do Leste Brasileiro (VFFLB) era a linha original da E. F. Bahia ao São Francisco, aberta entre 1860 e 1863 e ligando a estação da Calçada, em Salvador, à de São Francisco, em Alagoinhas, ainda bem longe do rio do mesmo nome. Esta linha foi incorporada pelo Governo baiano em 1903, repassada a outros concessionários até que em 1911 foi entregue à concessão da Cia. Chemins de Fer Federaux du L'Est Bresilien, de capital francês. Em 1935, a VFFLB foi criada pelo Governo para ficar com o acervo dos franceses, já sem interesse de mantê-la. Em 1975 foi definitivamente incorporada pela RFFSA como uma de suas divisões, depois de ter sido uma das constituintes desta, em 1957. O último trem de passageiros de longo percurso passou pela linha nos anos 1980, e hoje (2005) trafegam, no trecho Calçada-Paripe, apenas trens elétricos metropolitanos, ainda sob a batuta da CBTU. Hoje todas as linhas baianas que sobram em atividade estão sob a concessão da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA).
A ESTAÇÃO: A estação de Pojuca hoje se localiza se não no centro, muito próximo ao centro do município do mesmo nome. Está praticamente lacrada, tendo sido mantidas algumas aberturas nas partes que eram anteriormente portas e janelas em suas partes superiores. A estação, de estilo característico das estações de terceira classe da Leste Brasileiro reconstruídas nos anos 1940, esteve abandonada e invadida por mendigos, o que levou a Prefeitura a tomar essa decisão. Seu uso hoje é nenhum. Apenas uma linha passa hoje pela estação, que perdeu a segunda linha e outros desvios. "Morei em Pojuca de setembro de 1973 até agosto de 1974 quando voltei para minha terra, a Espanha. Morava na rua Conselheiro Chaves com minha esposa numa casa alugada, perto da estação. Trabalhava na FERBASA. Eu tinha então 26 anos. Antes, de novembro de 1971 até setembro de 1973, trabalhei na COELBA em Salvador. Nessa época passavam comboios. Nâo me

ACIMA: O túnel 5 quilômetros após a estação de Pojuca, sentido São Francisco, um dos poucos da linha e original da época da construção, nos anos 1860. Tem 250 metros de extensão (Foro Robson Pinheiro em março de 2008).lembro direito se com pessoal ou somente com mercadorias. Foi agradável rever na internet o prédio, apôs quase 31 anos. Quantas lembranças e saudades. As casinhas rosas da foto estavam bem perto da minha casa. Em Pojuca encontrei a melhor vizinhança que jamais havia tido; desejo o melhor para o seu grande e lindo País
" (Enrique Gómez García, Valencia, Espanha, 03/2005). 


Em 31 de agosto de 1983, um trem de combustível descarrilou no centro da cidade, deixando vazar 40 mil litros de combustível. Como o leito da linha era mais alto que a rua, o líquido vazou para dentro das casas e uma faísca não se sabe de onde detonou o fogo que se 


ACIMA: O acidente em Pojuca, em 31/8/1983 (Revista Veja, 7/9/1983).espalhou rapidamente, queimando diversas pessoas. Cerca de 100 morreram. 
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, esquisa local; Robson Pinheiro; Enrique Gomez Garcia; Veja, 1983; Cyro Deocleciano R. Pessoa Jr.: Estradas de Ferro do Brazil, 1886; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, 1958; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-84; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)




BAHIA 0x1  S.  PAULO CBF -SERIE DIA 20/10/  ARENA  FONTE  NOVA

CLICK NO LINK ABAIXO E CONHEÇA  UM RESUMO  DA HISTÓRIA  DA  FUNDAÇÃO DO LENDÁRIO  FUTEBOL BAIANO QUE COMPLETA  DIA 28/10/13 - 112 ANOS DE HISTÓRIAS  E LENDAS..........



CLICK ABAIXO NO LINK DA POSTAGEM  DE BAHIA 0x1 SÃO PAULO, 20/10/2013  COM SETE VÍDEOS E MAIS  DE 270   LINDAS FOTOS.....





No próximo sábado, às 17h30, o Tricolor vai encarar o Vitória-BA, em Pituaçu.



                                 Campo da Pólvora, Primeiro Campo de Futebol  da Bahia
                                                PRIMEIRA  PARTIDA DA LIGA

Foto extraída do blog Memórias da Bahia, do portal Ibahia.com

No Campo da Pólvora, Zuza reuniu os amigos e dividiu o grupo em dois times. Em seguida, ele marcou o gol com duas pedras e deu início à prática do futebol em Salvador/ e Estado da  Bahia.




                                  ESTATUA DE BRONZE PARA ZUZA FERREIRA!
    FOTO DE JOSÉ FERREIRA JUNIOR,  O  ZUZA FERREIRA ,  O INTRODUTOR DO FUTEBOL  NA  BAHIA EM  28/10/1901, ZUZA   FERREIRA MERECEDOR DE  UMA  ESTATUA  DE BRONZE, A SER ERGUIDA  NO HISTÓRICO CAMPO  DA PÓLVORA, LOCAL DO PRIMEIRO CAMPO DE FUTEBOL  DA  BAHIA. QUE SE  FAÇA A  HONRA AO MÉRITO!
ZUZA  FERREIRA  FOI COLUNISTA  ESPORTIVO  EM UM DOS  JORNAIS   DA  BAHIA, USAVA  O PSEUDÔNIMO  DE HELENICUS, CONFORME DOCUMENTAL DA  FOTO  ACIMA. NA DÉCADA  DE  1940.
ZUZA INCLUSIVE  FAZIA  ESTATÍSTICA  DOS  JOGOS  DO  BAVI, CONFORME PESQUISA  DE  CHIQUITINHA  MARAVILHA   EM JORNAIS  BAIANO    DA DÉCADA  DE  1940, EM  MATÉRIA  ESCRITA  POR ZUZA  FERREIRA.
ZUZA  FERREIRA   NAOS  ANOS  INICIAIS  DA DÉCADA  DE  1950  AINDA  SE ENCONTRAVA   VIVO,  COM CABELOS   GRISALHOS  E  USAVA ÓCULOS.


ESTATUA  DE BONZE,  PARA O INTRODUTOR DO FUTEBOL NA BAHIA!
Por  Chiquitinha Maravilha

É Precisa  urgente, que se  faça  um Memorial nessa Praça, que  represente a  memória   da  introdução do futebol na  Bahia.  Nada  mais do  que  justo, justíssimo!   Erguer-se  uma  Estatua  para José    Ferreira   Junior, popularmente   conhecido como Zuza Ferreira, o introdutor do  do Futebol na  Bahia, que  se  faça  justiça   com   Honra ao Mérito!

o Governo   Estadual  da Bahia ou a  FBF,   podem realizar  essa    justa   homenagem,  para a grandeza e   o  fortalecimento da Memória  do Futebol Baiano,   que tanto  engrandece  e  divulga o Estado da   Bahia no Cenário   Nacional  e Internacional.





O MATENSE GAMALIEL CHAGAS, 21 ANOS DE IDADE (CHIQUITINHA MARAVILHA),

 ANO 1972, ESTÁDIO MUNICIPAL DE POJUCA, INTERMUNICIPAL, SELEÇÃO DE 

MATA DE SÃO JOÃO X SANTO AMARO. FOTO ARQUIVO DE CHIQUITINHA 

MARAVILHA.



ESPORTE  CLUBE BAHIA! 



A conquista do Brasil -  1959/1988


CIDADE  TRICOLOR!
 ORGULHO  DE UMA  NAÇÃO ESPORTIVA, REPLETAS  DE GLÓRIAS!

 ESPORTE  CLUBE  BAHIA, UM CLUBE  QUE NASCEU PARA  VENCER  OBSTÁCULOS E  DESAFIOS, CONQUISTANDO VITORIAS MAGNIFICAS,   REPLETAS  DE  GLORIAS!                                                        (Frases  de Chiquitinha Maravilha).


  EC BAHIA - UMA MARCA MILIONÁRIA,  NO FABULOSO MERCADO DA BOLA!
                                                             Chiquitinha  Maravilha
  Entrada da Cidade Tricolor, o  monumental  Centro de     
  Treinamentos Top Internacional, orgulho da Nação 
  Tricolor,  calculada  em mais  de  6  milhões de 
   torcedores,  uma Nação incomensurável, uma  força  
   Esportiva  do Glorioso Estado da  Bahia.

                             CIDADE  TRICOLOR!

       ORGULHO  DE UMA  NAÇÃO ESPORTIVA, REPLETAS  DE GLÓRIAS!

                  A   MAGNIFICA  CIDADE  TRICOLOR DO ESPORTE CLUBE  BAHIA!

              UM CLUBE, QUE  NASCEU PARA  VENCER  DESAFIOS E OBSTÁCULOS,
              CONQUISTANDO VITÓRIAS  MAGNÍFICAS, REPLETAS DE GLÓRIAS


             EC BAHIA - UMA MARCA MILIONÁRIA,  NO FABULOSO MERCADO DA BOLA!

                                          Frases  de  Chiquitinha  Maravilha,





FOTOS DE BAHIA 0x1 SÃO PAULO 20/10/2013 - ARENA FONTE NOVA

FOTOS  CHIQUITINHA  MARAVILHA NO CENÁRIO DO ESPETACULO
MAIS DE 260  FOTOS E SETE VÍDEOS INÉDITOS!

 Torcidas  Organizadas da Nação  Tricolor, festa de  cores, dança  e muita  Paixão Na  Arena    Fonte Nova.